Publicidade

Estado de Minas

É importante a violência contra a mulher cair no Enem, diz Maria da Penha

"Fazer com que a Lei Maria da Penha seja devidamente implementada é o caminho para diminuir essas injustiças", disse a mulher que inspirou a legislação


postado em 27/10/2015 09:40 / atualizado em 27/10/2015 09:41

Maria da Penha Maia Fernandes, de 70 anos, sofreu duas tentativas de homicídio(foto: REUTERS/Ueslei Marcelino )
Maria da Penha Maia Fernandes, de 70 anos, sofreu duas tentativas de homicídio (foto: REUTERS/Ueslei Marcelino )
Nove anos após a aprovação da Lei 11.340, conhecida como Maria da Penha, a violência contra a mulher foi tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Maria da Penha Maia Fernandes, de 70 anos, cuja história inspirou a legislação, considera a prova uma oportunidade para medir a percepção dos estudantes sobre o assunto.

Ela sofreu duas tentativas de homicídio, praticadas pelo ex-marido - ferida por um disparo, ficou em cadeira de rodas. Por anos, lutou pela prisão do agressor. Sua batalha originou a Lei Maria da Penha, que estabelece penas mais duras para a violência em casos de violência doméstica. A legislação foi parte do material de apoio na redação do Enem, prova realizada no domingo, 25.

"As pessoas precisam cada vez mais se conscientizar sobre a importância da lei na vida das mulheres", disse Maria da Penha em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

"Nós sabemos que a violência está muito presente na vida do jovem. Quer eles vivam com o pai agressor, quer vivam agredindo suas namoradas, porque aprenderam em casa", afirmou, ao ressaltar a importância do tema proposto na redação do Enem.

Questionada sobre o que seria necessário para a violência de gênero diminuir no Brasil, Maria da Penha apontou a falta de uma grande política pública sobre o tema.

"Fazer com que a Lei Maria da Penha seja devidamente implementada é o caminho para diminuir essas injustiças", finalizou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade