Publicidade

Estado de Minas

Mineiros desbancam São Paulo e vencem Olimpíada de Matemática online

Competição contou com mais de 13 mil alunos de 144 escolas do país


postado em 24/11/2014 08:51 / atualizado em 04/12/2014 11:16

Matheus Barbosa participa das Olimpíadas há oito anos e acredita que a competição será um diferencial na hora do vestibular(foto: Arquivo pessoal)
Matheus Barbosa participa das Olimpíadas há oito anos e acredita que a competição será um diferencial na hora do vestibular (foto: Arquivo pessoal)

Os mineiros Matheus Barbosa e Maria Caroline Morgão acabam de vencer a primeira etapa de uma competição que pode consagrá-los como futuros gênios desta geração. Os dois estudantes ficaram em primeiro lugar na Olimpíada de Matemática online da rede social Educacional, que se encerrou no dia 21 de outubro. O brasileiro Artur Avila, último vencedor da Medalha Fields, disse, recentemente, ter começado a se interessar de fato pela matemática ao participar de olimpíadas. Hoje, ele é o primeiro pesquisador brasileiro e da América Latina a receber o prêmio. Outros três alunos de Minas Gerais também venceram a competição, que contou com mais de 13 mil alunos de 144 escolas do país. São Paulo ficou em segundo lugar, com três vencedores.

Os participantes responderam online a 180 problemas matemáticos que envolviam não só raciocínio lógico, mas também interpretação de texto e imagens. As questões foram lançadas na página da olimpíada e os alunos acessavam conforme agenda previamente informada, respondendo aos desafios apresentados em três fases da competição. “São vários dias. Tem a primeira fase, a segunda, a terceira. Cada questão vai ficando mais difícil a cada etapa, mas na semifinal dá pra fazer um super bônus, que te dá muito mais chances de passar para a final, onde se classifica quem acertar todas em menor tempo”, explica Maria Caroline, de 14 anos, estudante do nono ano do Colégio Ultra, em Andradas, no Sul de Minas, primeiro lugar na sua categoria.

Matheus Barbosa, de 16 anos, também ficou em primeiro lugar na categoria Ensino Médio. Ele estuda no mesmo colégio de Maria Caroline e diz que esta é a oitava vez que participa da olimpíada. Incentivado pelos pais e professores, o estudante, que deve prestar vestibular para Engenharia Mecânica, garante que o resultado na competição é um diferencial na hora do exame. “Aumenta nossa autoestima, né? Ter ficado em primeiro lugar me dá uma confiança a mais”, confessa.

Maria Caroline ficou em primeiro lugar na categoria 8º e 9º anos(foto: Arquivo pessoal)
Maria Caroline ficou em primeiro lugar na categoria 8º e 9º anos (foto: Arquivo pessoal)
Apesar dos dois alunos relatarem paixão pela área de exatas, a coordenadora pedagógica do Educacional, Patrícia Sprada, explica que há um estímulo da competição para que não só aqueles que se consideram “feras” na disciplina participem. “Queremos, e conseguimos, envolver alunos de diferentes perfis. Surgem grandes surpresas, como aqueles que começaram a participar somente por causa do incentivo dos professores ou dos pais, gostaram e acabaram classificados para as etapas semifinais e finais”, diz.

O concurso é realizado desde 2003, e segundo a coordenação do projeto, estima-se que as questões possam desenvolver o potencial para intuir, observar, abstrair e generalizar. Além de Matheus e Maria Caroline, outros três alunos de Minas também conquistaram posições importantes nas Olímpiadas. Larah Garcia, do Colégio Belaar Nossa Senhora do Patrocínio, em Patrocínio, ficou em segundo lugar na categoria 6º e 7º ano. Miguel Compri, do Colégio Ultra, em Andradas, ficou em segundo lugar na categoria 8º e 9º ano e Henrique Souza, do Colégio Mais Positivo, em Araguari, ficou na terceira colocação na mesma categoria.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade