Publicidade

Estado de Minas

Advogado do goleiro Bruno pede que o cliente cumpra a pena em regime semiaberto

Segundo o TJMG, Bruno teve sua pena atualizada depois de prestar serviços na cozinha do presídio onde está. O processo segue para apreciação do Ministério Público


postado em 11/10/2018 16:54 / atualizado em 11/10/2018 18:44

Bruno em treino no Boa Esporte, durante curto período em que deixou a prisão: Atleta deve passar para o regime semiaberto(foto: Leandro Couri/EM/DA Press - 8/4/17)
Bruno em treino no Boa Esporte, durante curto período em que deixou a prisão: Atleta deve passar para o regime semiaberto (foto: Leandro Couri/EM/DA Press - 8/4/17)
O advogado do goleiro Bruno, Flávio Gama, pediu, na tarde desta quinta-feira, à Justiça de Varginha, no Sul de MInas, que seu cliente cumpra a pena em regime semiaberto. De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o processo já foi para a apreciação do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, que tem um prazo máximo de cinco dias úteis, a partir de segunda-feira, para se manifestar a favor ou contra o pedido.

O TJMG esclarece que, independente do parecer do Ministério Público, cabe ao juiz da Comarca de Varginha, Tarcísio Moreira, decidir o futuro de Bruno. Caso o magistrado aceite o pedido da defesa, o goleiro deverá dormir em casa, já que na cidade não existe cumprimento de pena no semiaberto. 

Preso desde junho de 2010 e condenado pelo envolvimento no desaparecimento e morte de Eliza Samudio, o goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza teve sua pena atualizada, uma vez que prestou serviços na Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac). Segundo o TJMG, foram 74 dias trabalhados na cozinha do presídio.

*Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade