Publicidade

Estado de Minas

Recurso da defesa de Macarrão, semelhante ao do goleiro Bruno, já está no STF

Intenção do advogado de Luiz Henrique Romão é repetir para seu cliente o mesmo expediente que garantiu a libertação de Bruno


postado em 07/03/2017 06:00 / atualizado em 07/03/2017 07:58

Na imagem, Macarrão aparece chorando logo após ser condenado, em 2012, pela morte de Eliza Samudio(foto: Vagner Antônio/TJMG - 24/11/2012)
Na imagem, Macarrão aparece chorando logo após ser condenado, em 2012, pela morte de Eliza Samudio (foto: Vagner Antônio/TJMG - 24/11/2012)
Já está no Superior Tribunal Federal (STF) a petição da defesa de Luiz Henrique Romão, o Macarrão, de extensão a seu cliente da decisão que garantiu a soltura o goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza, de 32 anos.

O pedido se baseou no artigo 580 do código do processo penal. Ele estabelece que “no caso de concurso de agentes (Código Penal, art. 25 ), a decisão do recurso interposto por um dos réus, se fundado em motivos que não sejam de caráter exclusivamente pessoal, aproveitará aos outros, confirmou o advogado Wasley Vasconcelos.

O pedido que entrou no sistema do STF na noite desta segunda-feira deve chegar às mãos do ministro Marco Aurélio Mello hoje e a expectativa do defensor é de que seja julgado nos próximos 10 dias.

Em entrevista na última quinta-feira, o advogado se mostrou confiante: “Tenho plena confiança que ele será solto. A situação dele não é só igual à de Bruno, mas melhor. Tem pena menor no caso e já estava em regime semiaberto”, afirmou Vasconcelos. Braço direito de Bruno, Macarrão foi sentenciado a 15 anos de prisão por homicídio qualificado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade