Publicidade

Estado de Minas

Time de Betim quer Bruno no gol

Betinense, que disputa o Módulo II do Mineiro e manda jogos em Sete Lagoas, é a primeira equipe a assumir publicamente ter feito proposta para contar com o goleiro recém-libertado


postado em 02/03/2017 21:53

Advogados de Bruno diz que ele recebeu várias propostas para voltar ao futebol(foto: Leandro Couri/EMD.A Press)
Advogados de Bruno diz que ele recebeu várias propostas para voltar ao futebol (foto: Leandro Couri/EMD.A Press)

Uma das equipes interessadas em contratar o goleiro Bruno Fernandes, de 32 anos, é o Betinense Futebol Clube, que disputa o Modulo II do Campeonato Mineiro e lidera a chave A da competição. O time de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi a primeira equipe a declarar publicamente que formalizou proposta para contar com Bruno em seu elenco após o ex-jogador do Flamengo e do Atlético Mineiro ter ganhado liberdade no último dia 24, por meio de decisão liminar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello. Ele estava preso desde julho de 2010 pela morte de sua ex-amante Eliza Samudio.

O interesse por Bruno foi confirmado ao Estado de Minas nesta quinta-feira pelo presidente do Betinense, Junior André dos Santos. O dirigente revelou que um agente do clube procurou os advogados do atleta e apresentou proposta para que ele possa defender as cores da equipe, que, embora tenha sido criada em Betim, tem como sede os seus jogos a Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Embora tenha sido fundado em 1930, o Betinense somente se profissionalizou em 2014. No ano passado, foi vice-campeão do Campeonato Mineiro da Segunda Divisão e conquistou uma das duas vagas para disputar o Modulo II em 2017.

Para contar com Bruno, o Betinense enfrenta a concorrência de outras equipes. Na tarde desta quinta-feira, Bruno se apresentou à Vara de Execuções Penais, no Fórum de Santa Luzia, para indicar para a Justiça seu endereço residencial. Na oportunidade, o advogado dele, Lúcio Adolfo da Silva, afirmou que o ex-goleiro já tem proposta de 10 clubes, dos quais três de Minas e as outras do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, incluindo times da série A. O advogado também informou que dentro de 10 dias pretende anunciar em qual clube Bruno deve voltar aos campos, após seis anos e sete meses preso.

Time quer superar limitação financeira

Junior André dos Santos não falou em valores, mas informou que o time de Betim chegou até a criar uma estratégia para superar limitação financeira e poder contar com Bruno. “A nossa ideia é arrumar um investidor para pagar o salário dele”, declarou. “Agora, precisamos saber quais são as pretensões salariais do atleta”, afirmou o dirigente, lembrando que os advogados de Bruno ainda não deram resposta.

O presidente do Betinense fez elogios ao ex-goleiro do Atlético Mineiro e do Flamengo. “Até 2010, Bruno era considerado o melhor goleiro do Brasil. Se estivesse livre e jogando, certamente teria sido o titular da Seleção Brasileira na Copa de 2014”, afirmou. Ele frisou ainda que o lateral Luizinho, que atualmente joga no Betinense, atuou ao lado de Bruno no Flamengo e sempre elogia o goleiro como “um jogador muito técnico”. O dirigente da equipe de Betim disse acreditar que Bruno, após resolver as pendências com a Justiça, tem plenas condições de voltar a jogar futebol. “Todo mundo merece uma segunda chance. E com o Bruno não é diferente”, comentou.

O goleiro foi preso em julho de 2010, acusado de ser o mandante da morte de Eliza. Em 8 de março de 2013, foi condenado pelo Tribunal do Júri da Comarca de Contagem a 22 anos e três meses de reclusão, por homicídio qualificado por motivo torpe, com emprego de asfixia e recurso que dificultou a defesa da vítima, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver. No último dia 24, ele foi solto graças a liminar baseada no argumento da defesa sobre excesso de prazo para apreciação do habeas corpus contra a sua prisão preventiva, ocorrida em 2010.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade