Publicidade

Estado de Minas CASO BRUNO

Corda encontrada em casa de Bola não tem DNA humano


postado em 23/08/2010 13:10 / atualizado em 23/08/2010 13:51

O médico-legista George Sanguinetti, esteve na casa de Bola em 14 de agosto onde recolheu alguns fios de cabelo e colheu material com contonetes(foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)
O médico-legista George Sanguinetti, esteve na casa de Bola em 14 de agosto onde recolheu alguns fios de cabelo e colheu material com contonetes (foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)
 

Testes feitos na corda recolhida pelo médico-legista George Sanguinetti, em 14 de agosto, na casa do ex-policial Marcos Aparecido de Oliveira, o "Bola", não encontraram nenhum indício de DNA humano. A informação foi confirmada pelo chefe do Laboratório de DNA Forense da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Luiz Antônio Ferreira da Silva.

Segundo Luiz Antônio, Sanguinetti lhe entregou fios de cabelo e cotonetes humidecidos que foram esfregados na corda com a intenção de absorver possíveis materiais genéticos. “Ele usou uma técnica em que um cotonete é humidecido e esfregado em alguns locais em que podem ter células humanas. E nesses cotonetes nada foi encontrado” afirma.

Os fios de cabelo não foram analisados, já que, segundo Luiz, eles estavam sem o bulbo capitar. “Sem o bulbo fica mais difícil saber de quem é o cabelo. Pode ser de várias pessoas. Para saber se é de Eliza, teríamos que comparar com o material genético da mãe dela” explica, informando que alguns testes serão refeitos.

Novas buscas

O médico-legista George Sanguinetti, fará mais buscas no Rio de Janeiro, informou Luiz Antônio. “Ele (Sanguinetti) me ligou e disse que iria para o Rio para tentar encontrar outros indícios” revela.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade