Publicidade

Estado de Minas CARREIRA

O que vai cair na prova do novo concurso público do TRF-3?

Confira os pontos principais de um dos concursos públicos mais aguardados do ano. O edital foi lançado nesta sexta-feira (6/9), com vagas para técnicos e analistas


postado em 06/09/2019 12:18 / atualizado em 06/09/2019 12:38

TRF-3 (foto: Divulgação/CNJ )
TRF-3 (foto: Divulgação/CNJ )


Os concurseiros de todo o país estão em polvorosa, tudo porque finalmente o edital de abertura do novo concurso público do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), com sede em São Paulo e Mato Grosso do Sul, foi lançado! A Fundação Carlos Chagas (FCC) disponibilizou o regulamento nesta sexta-feira (6/9), com nove vagas para técnicos e analistas judiciários, com salários iniciais que chegam a cifra dos R$ 12,4 mil! Para começar já a finar os estudos fique por dentro dos principais pontos do edital de abertura do TRF-3 e, ao final, veja o edital de abertura em sua íntegra: 

Tudo começa com a inscrição 

As inscrições ficarão abertas, exclusivamente via internet, no período de 10h do dia 12/09/2019 às 14h do dia 02/10/2019 (horário de Brasília). 

É preciso efetuar o pagamento da taxa de inscrição por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU-SIMPLES), pagável exclusivamente no Banco do Brasil, gerada no próprio site da Fundação Carlos Chagas, até a data de 2 de outubro. (R$ 85 para nível médio e R$ 95 para nível superior). 

A partir de 23/09 o candidato poderá conferir no site da FCC se os dados da inscrição foram recebidos e se o valor da inscrição foi pago. 

Voluntariado e cotas 

O edital está super atualizado e já contém a opção de desempate se o candidato prestou voluntariado, aprovado pelo presidente Jair Bolsonaro recentemente. Segundo o regulamento, o candidato que, eventualmente, prestou serviço voluntário comprovado em atividades de conciliação no âmbito da Justiça Federal até a data de término das inscrições, deverá registrar esta condição em campo específico do formulário de inscrição, para fins de desempate. 

O edital reserva 5% das vagas a pessoas com deficiência e 20% a candidatos autodeclarados negros. 

O candidato que se declarar como pessoa com deficiência no ato da inscrição deverá encaminhar, durante entre 12 de setembro e 2 de outubro a documentação necessária especificada no edital. 

Os candidatos que não forem reconhecidos pela Comissão como negros – cuja declaração resulte de erro, por ocasião de falsa percepção da realidade, não sendo, portanto, revestida de má-fé, continuarão participando do concurso em relação às vagas destinadas à ampla concorrência, se tiverem obtido pontuação/classificação para tanto. Será eliminado do concurso o candidato que não possua pontuação/classificação para figurar na listagem de ampla concorrência.

Provas objetivas 

Para todos os cargos/áreas/especialidades, as provas objetivas de conhecimentos gerais e de conhecimentos específicos constarão de questões objetivas de múltipla escolha com cinco alternativas cada questão, de caráter habilitatório e classificatório. 

As provas serão aplicadas no dia 01/12, nos seguintes períodos: 

  • MANHÃ – cargos de técnico judiciário – todas as áreas/especialidades;
  • TARDE – cargos de analista judiciário – todas as áreas/especialidades. 



A nota das provas objetivas no concurso corresponderá à média aritmética ponderada das notas obtidas em cada prova, na escala de 0 a 10, atribuindo-se:

  • peso 1 à nota da prova objetiva de conhecimentos gerais;
  • peso 3 à nota da prova objetiva de conhecimentos específicos.

Será habilitado o candidato que obtiver, simultaneamente, no mínimo, 50% de acerto na prova de conhecimentos gerais e, no mínimo, 50% de acerto na prova de conhecimentos específicos. Os candidatos que obtiverem média aritmética ponderada igual ou superior a 6 serão habilitados e classificados por unidade de classificação/cargo/área/especialidade, em ordem decrescente das médias. Os candidatos não habilitados nas provas objetivas serão excluídos do concurso. 

Provas discursivas 

Analista: estudo de caso constará de duas questões práticas, para os quais o candidato deverá apresentar, por escrito, as soluções. 

Técnico: redação, o candidato deverá desenvolver texto dissertativo-argumentativo a partir de proposta única, sobre assunto de interesse geral não atrelado necessariamente ao conteúdo programático de conhecimentos específicos referido no presente edital.




Classificação e cadastro reserva 

Na hipótese de se esgotar a lista para provimento de vagas existentes na unidade de classificação Tribunal Regional Federal da 3ª Região ou na unidade de classificação seção judiciária do estado de São Paulo – capital, serão convocados os candidatos habilitados constantes na lista geral do estado de São Paulo, obedecida a ordem de classificação. 

Para o provimento de vagas que vierem a surgir, serão convocados os candidatos da lista da unidade de classificação a que se vincularem de acordo com a opção efetuada no momento da inscrição. 

O Concurso Público terá validade de dois anos, a contar da data da publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma vez, por igual período, a critério do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região. 


Publicidade