Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Brasil terá doses dos EUA


18/06/2021 04:00

Os Estados Unidos vão enviar doses de vacinas contra a COVID-19 ao Brasil nas próximas semanas, confirmou ontem o coordenador da força tarefa da Casa Branca contra a pandemia, Jeff Zients, em entrevista à imprensa. No entanto, ele não especificou quantas das 80 milhões de doses previstas para doação serão enviadas ao país. De acordo com Zients, o governo norte-americano também espera “fazer mais” no segundo semestre de 2021 para combater a ameaça global do novo coronavírus, em adição ao compromisso de doar 580 milhões de unidades dos imunizantes a nações pobres.

Sem esclarecer se a administração Joe Biden pretende aumentar as doações no período, o comentário foi feito enquanto Zients destacava os esforços dos EUA para acelerar a vacinação contra a doença em todo o mundo, “à medida que as taxas locais de infecção e mortes por COVID-19 melhoram”. Segundo a diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) americano, Rochelle Walensky, a média diária de casos da doença nos EUA caiu 15,8% entre 9 e 15 deste mês, em relação aos sete dias anteriores, a 12.192. As mortes recuaram 24,8% no período, a 286, enquanto as hospitalizações caíram 9,8%, a 2.027.

Investimentos 


O governo norte-americano anunciou, ainda ontem, linha de financiamento de US$ 3,2 bilhões para a pesquisa e o desenvolvimento de tratamentos antivirais, para combater a COVID-19 e outras ameaças virais. Os recursos para o chamado Programa Antiviral para Pandemias têm fonte no Plano de Resgate dos EUA, pacote de  US$ 1,9 trilhão aprovado pelo Congresso em março.

“Os antivirais são um complemento importante das vacinas existentes, especialmente para pessoas com certas condições que podem estar em maior risco ou para as quais as vacinas podem não ser tão protetoras”, disse Anthony Fauci, principal conselheiro médico do presidente Joe Biden a respeito da pandemia. O plano ajudará a acelerar os ensaios clínicos de antivirais orais, atualmente em vários estágios de desenvolvimento, como o molnupiravir da Merck ou os esforços da Pfizer e da Atea-Roche.

CRÉDITO


US$ 32 bilhões - É o montante que o governo Biden anunciou para financiar pesquisa de remédios antivirais, inclusive da COVID-19


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade