Publicidade

Estado de Minas INVESTIMENTO

Aproveite o momento e saiba como investir na bolsa com menos de R$ 100

Após oito cortes consecutivos, sendo quatro apenas neste ano, o Brasil tem a menor taxa de juros da história


postado em 02/07/2020 14:42 / atualizado em 02/07/2020 18:50

A pandemia está sendo um momento favorável para começar a investir em razão dos juros baixos (foto: Reprodução Pixabay )
A pandemia está sendo um momento favorável para começar a investir em razão dos juros baixos (foto: Reprodução Pixabay )
Com a crise financeira acarretada pelo novo coronavírus, o Brasil atingiu a menor taxa de juros da história. Após oito cortes consecutivos, sendo quatro apenas neste ano, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) reduziu a Selic (taxa média dos financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia para títulos federais) de três para 2,25% ao ano. Essa redução demonstra um incentivo ao crédito e ao consumo. Com a taxa baixa, o momento de investir é agora. Mas, afinal, por onde começar?

Segundo o professor Bruno Ramos, fundador doPosso Investir, canal de cursos e educação financeira on-line, e assessor de investimento, este cenário é ideal para começar os investimentos, pois a taxa de juros está baixa. “Isso faz com que o dinheiro fique mais caro ou mais barato. Ou seja, quando o governo abaixa a taxa, as pessoas tendem a consumir mais”, explica o professor. 


O mercado oferece facilidades e oportunidades para quem deseja começar a investir, mesmo com pouco dinheiro. Apesar da mistificação, Bruno lembra que não é necessário uma grande quantia para entrar no negócio: “Você não precisa colocar todo o seu capital. Hoje, com R$ 50, eu já consigo”.


Entretanto, o professor lembra que quanto maior o patrimônio a ser investido, maiores as possibilidades. “Se investir R$ 82, você fica limitado a ações mais baratas”.

Para exemplificar esse processo, durante uma live no YouTube com os alunos, Bruno propôs uma dinâmica: cada um recebeu R$ 100 mil para investir. “Teve um aluno que investiu somente R$ 10 mil e a carteira dele estava em 4%. Então, ele lucrou quatro vezes mais”, conta o professor.

Apesar de ser uma boa forma de lucrar, Bruno Ramos diz que o brasileiro demorou a entrar nesse mercado: “Somente em 2018, quase 40 anos depois da inauguração no Brasil, a Bolsa de Valores chegou a 80 mil investidores. Em 2019, esse número foi para 1,6 milhão. Ou seja, tudo o que a bolsa demorou 40 anos para construir, ela dobrou em um ano. Até maio deste ano, esse número foi para 2,4 milhões".

Durante as lives, o professor propõe dinâmicas para facilitar o aprendizado do aluno (foto: Reprodução Arquivo Pessoal )
Durante as lives, o professor propõe dinâmicas para facilitar o aprendizado do aluno (foto: Reprodução Arquivo Pessoal )
Segundo o professor, esse crescimento está interligado com o aumento da informação disponível na internet sobre finanças. “As pessoas estão procurando investir de forma segura e, por isso, pesquisam os nossos canais no YouTube”, afirma.

Bruno comenta que, com as lives, ficou ainda mais fácil aprender a investir: “O feedback é na hora, então tem como tirar todas as dúvidas”.
 
Além disso, o professor afirma que a possibilidade de o processo ser feito virtualmente favoreceu o negócio: “Os bancos digitais, como o Inter, estão abrindo para esta oportunidade”.

Como começar a investir


Em conversa com o Estado de Minas, o professor deu algumas dicas para quem quer começar a investir durante a pandemia

  1. O primeiro passo é tomar a decisão de começar! Mesmo com menos de R$ 100, é possível. Mas lembre-se que mais dinheiro aumenta a chance de maior lucro: “Quanto maior o patrimônio, maior o acesso a bons produtos financeiros”.
  2. Abrir uma conta em um banco digital ou em uma corretora: “A principal diferença da corretora para o banco tradicional é que, geralmente, ela distribui produtos financeiros em condições melhores. Então, você consegue escolher em qual produto quer investir. Na corretora, não há os custos tradicionais de manutenção de conta. Porém, ela é remunerada em função dos investimentos que faz”. O professor não orienta a começar a investir em bancos tradicionais, com agências físicas pois, geralmente, as taxas de manutenção são mais altas.
  3.  Agora, é só escolher o produto e começar a aplicar seu dinheiro.

Como funcionam os investimentos?

Os investimentos são produtos emitidos pelas instituições financeiras com o intuito de captar recursos de forma mais barata que empréstimos bancários.

“Por exemplo, um empresário quer abrir um negócio, porém ele não quer pegar um empréstimo no banco e correr o risco de se endividar. Então, ele pode abrir mão de 40% dos lucros dele e vender ações nas bolsas, ou seja, ele procura investidores para virarem acionistas”, explicou o professor.

Bruno conta que, atualmente, são mais de 300 empresas brasileiras registradas na bolsa que negociam artigos de riscos. “Se a empresa crescer, as ações se valorizam e o investidor ganha dinheiro. Caso contrário, as ações caem e os investidores perdem dinheiro”.


Posso investir


O projeto começou com uma página no Instagram e, agora, está ampliando para o YouTube. Com vídeos, postagens e lives, a equipe do Posso Investir “motiva iniciantes a entender sobre finanças comportamentais e aprender a investir por meio de vídeos com conteúdos simples e pedagógicos”.

Todo o conteúdo é gratuito e o aluno tem acesso a informações fundamentais, como cuidados necessários para investir e o passo a passo para se tornar um investidor com rentabilidade de médio e longo prazos.

 

*Estagiária sob supervisão da subeditora Kelen Cristina  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade