Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Governo mandará concessão da Nova Dutra para TCU e fazer publicação do edital


postado em 04/06/2020 13:31

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse nesta quinta-feira, 4, em uma live promovida pelo portal do jornal O Estado de S. Paulo, que o programa de concessão não parou por conta da pandemia do novo coronavírus e que haverá no segundo semestre deste ano uma concentração de leilões. A atividade será retomada no final de agosto com o Porto de Santos.

Durante a entrevista, o ministro disse que a concessão da Nova Dutra será enviada para o Tribunal de Contas da União (TCU) e que o edital será feito em seguida.

De acordo com ele, não há alteração na prioridade de projetos e os planos estão sendo seguidos. Para Freitas, o aprendizado com a pandemia é remodelar os contratos para dar maior flexibilidade.

O ministro voltou a dizer que aposta no sucesso do programa de concessões de aeroportos públicos à iniciativa privada. Segundo ele, a pandemia é grave, mas vai passar e o importante agora é trabalhar para tentar mudar a experiência nos voos e fazer com que ocorra recuperação das viagens. Freitas comentou que já há um movimento de compra de pacotes de turismo para o fim do ano. "Nossas concessões vão ser bem sucedidas", comentou.

Ele disse que as obras não estão paradas e não existem projetos na fila esperando para serem executados. Segundo ele, a estruturação de projetos é uma tarefa que demanda esforços, análise de campos e estudo de engenharia. "Não é simplesmente pegar um projeto e colocá-lo na frente. Temos que seguir a sequência. Existem projetos que estão em níveis diferentes de maturidade e estamos seguindo exatamente o planejado. Esse é um dos segredos para dar tudo certo. É preciso tranquilidade, não se pode sair tomando medidas sem reflexão. Tínhamos um plano antes da pandemia e vamos mantê-lo agora", afirmou.

Segundo Freitas, o que for necessário em termos de reestruturação será feito e o mercado será ouvido para ajustar o cronograma de leilões. Ele afirmou que o mercado está reagindo bem e que por isso os leilões terão bons resultados.

"O mercado está reagindo bem e a gente vai ver leilões acontecendo esse ano. Vamos ver o investimentos chegando. Temos que seguir o plano. Tínhamos lá atrás uma estratégia de concessão de ativos para a iniciativa privada. Estamos mantendo isso. Tínhamos como meta a resolução de passivos e estamos trabalhando os passivos", comentou o ministro.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade