Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas FINANÇAS PESSOAIS

Dicas para planejar gastos e evitar dívidas em 2020

Especialistas ensinam como organizar o orçamento familiar sem cair na tentação de fazer uma ''dieta financeira'' radical


postado em 31/12/2019 04:00 / atualizado em 30/12/2019 21:40

(foto: Fotos: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Fotos: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
 
Com os sinais de recuperação muito lenta da economia, até mesmo os mais otimistas elegeram 2020 como um período para organizar as finanças, e fugir do aperto financeiro. Quem não tem dívidas também adota a austeridade, programa corte de gastos para poder juntar dinheiro e alcançar objetivos adiados em 2019, mas sem tirar os pés do chão. Consultores financeiros ouvidos pelo Estado de Minas recomendam a estratégia pelo menos até que a melhora mostrada por alguns indicadores econômicos configure tendência.

A rigor, não existe uma receita pronta e única para enfrentar os desafios do novo ano, alerta o consultor e professor de economia Paulo Vieira. O consumidor pode diminuir gastos com o objetivo de equilibrar as contas. “Cada pessoa tem uma necessidade diferente. Cada caso é um caso”. Para quem está endividado, ensina o consultor financeiro Erasmo Vieira, a prioridade não precisa ser necessariamente quitar as dívidas maiores. “Comece pagando as pequenas e vá limpando a casa pra 2020”, afirma.

Embora comum, a prática de simples redução de custos não é recomendada pelo consultor financeiro Erasmo Vieira. Ele prefere que o consumidor aprenda a gastar bem o seu dinheiro. “Não sugiro cortar nenhum gasto ou custo. O que ensino é gastar melhor o dinheiro”, argumenta. Se há dívidas a pagar, o melhor é empregar os recursos disponíveis na quitação das parcelas. “Assim você poderá gastar esse dinheiro de forma melhor”. Já para o também consultor Paulo Vieira, é possível diminuir gastos com o objetivo de equilibrar as contas, mas não existe uma receita pronta. “Cada pessoa tem uma necessidade diferente. Cada caso é um caso”, diz.

Planos adiados

Outra questão que deve continuar marcando os problemas financeiros em 2020 é a inadimplência. As dívidas são um problema na vida de Suzy Montalvan, de 39 anos, dona de um restaurante. Ela até adiou planos de comprar uma casa e quer retirar o nome da lista do SPC. “Eu moro de aluguel, pretendo comprar um imóvel, mas para pegar um empréstimo preciso limpar o nome. Tudo que a gente tem na vida é o nome”, diz.

A dica dos consultores financeiros para quem pretende se livrar das dívidas em 2020 é se planejar e ter disciplina. O primeiro passo pode ser conhecer a fundo as dívidas. “Colocar tudo no papel, planinha, aplicativo, agenda”, recomenda Erasmo Vieira. Além disso, na hora de negociar os débitos, deve-se procurar condições que seja possível honrar.

Dicas financeiras para seguir em 2020

  • Planeje cada objetivo e tenha disciplina
  • Crie objetivos para aplicar melhor seu dinheiro
  • Negocie débitos para diminuir o endividamento
  • Priorize as dívidas menores na hora do acerto

Depois de honrados os compromissos, todo o cuidado é preciso para não voltar ao mesmo problema. A organização financeira tem que permanecer. Uma possibilidade é que criar objetivos que levem a gastar melhor o dinheiro, como comprar um carro novo. Porém, nem sempre as dívidas são totalmente negativas. “É sempre bom frisar que dívida não é defeito nem doença”, explica o consultor financeiro e professor Paulo Vieira. “Pode ser uma oportunidade de saneamento financeiro e progresso, desde que bem administrada”. Dessa forma, o endividamento pode ser necessário para tirar as finanças do sufoco.

Na avaliação de Paulo Vieira, é preciso ter cautela com as compras a longo prazo, já que a economia brasileira é instável. “Inclusive com relação às fontes de origem dos recursos que vão pagar as dívidas”, observa. “Um planejamento financeiro pé no chão não fará mal a ninguém. Uma eventual facilidade de hoje pode ser a dor de cabeça de amanhã”, afirma.

"Minha vida financeira está equilibrada"

Mauro César da Silva
66 anos, juiz do trabalho
O segredo para uma vida financeira organizada é gastar dentro do orçamento, segundo Mauro Silva. Ele pretende fazer uma viagem em maio de 2020, e está se planejando para comprar o pacote turístico com antecedência, quando o dólar baixar um pouco. “Minha vida financeira está equilibrada, não tenho dívidas. Não tenho com o que me preocupar, não ganho excessivamente, mas consigo equilibrar os gastos. Tem que ficar sempre de olho na conta de água, na de energia”. Para 2020, O juiz do trabalho confia na melhora na economia.“Acho que a inflação vai ser manter, o consumo vai impulsionar mais a economia e com isso vai gerar mais renda, mais emprego. Eu torço, espero e acredito”.

"Cortar tudo que for supérfluo"

Rafaela Cornélio Pereira
20 anos,auxiliar de serviços gerais
Empenhada em organizar a vida financeira em 2020, Rafaela pretende economizar o suficiente para conseguir a carteira de motorista, e se tudo der certo, à vista. Além disso, a casa própria também está nos planos dela. Uma estratégia que ela pretende implementar é cortar gastos. “Cortar tudo que for supérfluo, tudo que for luxo. Já cortei tudo. Estou me mudando pra uma casa mais barata, a conta de água e a de luz está vindo mais barato. Não estou saindo mais. Agora todos os meus planos estão em primeiro lugar”. Mas, as expectativas para a economia não estão boas. “É muito desemprego. Custei a arrumar esse. Então não vai sair disso de um dia pro outro.”

"Pretendo comprar um imóvel"

Suzy Montalvan
39 anos, dona de restaurante
O principal problema de Suzy são as dívidas. Por isso, a meta para o ano que vem é limpar o nome. Para cumprir o objetivo, ela pretende cortar os gastos que puder. “Neste ano, já cortei um pouco e nesse próximo ano vou cortar mais ainda. Uma saída no fim de semana, um luxo, um brinquedo a mais pra minha filha, perfume. Vou comprar o essencial, o básico”. Dessa forma, ela não espera comprar nada, pelo menos por enquanto. “Eu moro de aluguel, pretendo comprar um imóvel, mas para pegar um empréstimo preciso limpar o nome”. A comerciante espera melhora na economia com o novo governo. “Tem que pensar positivo, vai melhorar emprego. Tem que girar o dinheiro no Brasil de novo”.

"Tem de olhar no que vai aplicar"

Sílvia Gontijo
74 anos, professora de inglês
Sílvia já tem casa própria e escritório e não pretende adquirir nenhum outro bem em 2020. Também não tem dívidas a saldar. Por isso, ela não pretende cortar nenhum gasto, e sim economizar para algo do que não abre mão: viajar para o exterior. Para guardar dinheiro, a professora de inglês investe em imóveis. “No ano que vem, a gente tem que olhar muito no que vai aplicar. As aplicações financeiras não estão assim muito boas. A aplicação bancária não é muito segura”, diz. Em 2020, ela espera aquecimento da economia. “A economia mundial está abalada. A gente está passando por um período de transição. Tudo vai depender das decisões do governo”.

"Espero que a economia melhore"

Wesley Moreira
31 anos, motorista de aplicativo
Na tentativa de equilibrar a vida financeira, Wesley está colocando todos os gastos na ponta do lápis. “Há três meses que eu estou tentando controlar e gastar só o que é preciso”. Ele tem dívidas para honrar e ainda pretende construir uma casa e comprar um carro. Já teve uma lanchonete, mas com a crise econômica teve que fechar a loja. Desempregado, a alternativa foi trabalhar para aplicativo de transporte. “Trabalho mesmo você pode bater nas portas que está difícil”. Porém, Wesley está confiante que mais oportunidades virão em 2020. “Torço e espero que a economia melhore. Muitas portas de trabalho serão abertas. Até penso em voltar a trabalhar no ramo de lanchonetes”.

"Fui para aluguel mais barato"

Igor Toledo
37 anos, analista de sistemas
O que Igor espera para 2020 na vida financeira é equilíbrio. Ele afirma que sempre foi organizado quanto ao orçamento e não tem dívidas. Para conseguir comprar um apartamento e acomodar os filhos pequenos, o analista de sistemas já está cortando os gastos. Ele não deve pedir empréstimo ou financiar o imóvel. “Fui para um aluguel mais barato, troquei carro por moto para economizar gasolina. Um pouquinho de lazer, de tudo um pouco. Tem muita bobagem que a gente compra”. Além disso, ele pretende investir seu dinheiro. Igor está confiante na economia no ano que vem. “Acho que vai melhorar, o mercado está melhorando. A empresa em que trabalha tem muita vaga. Tem muita oportunidade”.


(*) Estagiário sob a supervisão da subeditora Marta Vieira


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade