Publicidade

Estado de Minas

Alta do IPI anula competição com carro nacional, diz Abeiva


postado em 10/10/2011 15:34 / atualizado em 10/10/2011 16:35

O presidente da Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva), José Luiz Gandini, disse nesta segunda-feira, que o aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em 30 pontos porcentuais para veículos que não tenham 65% de índice de nacionalização "tira dos veículos importados a possibilidade de competir com os nacionais". O executivo, que também preside a Kia Motors do Brasil, considerou ainda que a elevação do imposto "acabou com a função das importadoras de balizar os preços no Brasil a níveis internacionais".

Gandini criticou a postura do governo em não conceder um período de 90 dias antes do aumento do imposto. Segundo o executivo, a rede de concessionárias dos importadores de veículos irá recolher aproximadamente R$ 5,6 bilhões em impostos relativos à atividade de importação neste ano. A Abeiva representa hoje 27 marcas, que possuem 800 concessionárias em território nacional.

Desde 16 de setembro está em vigor um aumento em 30 pontos porcentuais o IPI para veículos que não tenham 65% de seus componentes nacionais, atingindo em cheio os importados de países com os quais o Brasil não tem acordo comercial.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade