Publicidade

Estado de Minas

Réplica em sabor variado

Dois anos depois de abrir casa ampla, Mercado da Boca ganha versão compacta na Savassi


postado em 24/01/2020 10:31

Espaço na Rua Levindo Lopes comporta 200 pessoas(foto: JAIR AMARAL/EM/D.A PRESS)
Espaço na Rua Levindo Lopes comporta 200 pessoas (foto: JAIR AMARAL/EM/D.A PRESS)

Inaugurado com pompa e circunstância em maio de 2018 no Jardim Canadá como um empreendimento pioneiro em Minas Gerais, o Mercado da Boca, passados quase dois anos, fez o oposto em sua primeira expansão. Há um mês, sem qualquer alarde, foi inaugurada uma filial na Savassi. É uma versão bem menor do que a original – são, ao todo, oito lojas, divididas entre comidas e bebidas.

Em uma das esquinas mais disputadas do bairro – entre as ruas Levindo Lopes e Antônio de Albuquerque – não deu outra. Desde a abertura, há um mês, as filas são grandes. Esta versão comporta 200 pessoas, contra 800 da sede. Além do espaço, outra diferença grande é no atendimento. É uma conta única, com garçom.

Sócio do grupo que administra o Mercado da Boca, Lucas Vereza comenta que somente a sorveteria Mi Garba repete o mix de restaurantes. Os demais são novos. Trips Burger, de sanduíches, com hambúrgueres inspirados na culinária de várias países; Bar Zazá, de tapas, do chef Rodrigo Zarife; Esquina Parrillera, exclusivo de carne; Doce da Vida, só de sobremesas; Uluru, café, lanches e refeições leves, filial da casa nos Funcionários. Para bebidas, há o Jângalito Drinkeria (do bar Jângal) e um espaço destinado a cerveja e chope Wals.

No Zazá, para acompanhar tapas como creme de bacalhau gratinado (R$ 28), queijo brie assado (R$ 42) ou polvo à galega (R$ 48), há uma carta de vinhos (em taça ou garrafa). Há também drinques em taças feitos à base de espumante (aperol, 
R$ 19,90; kir royal, R$ 20,90, entre outros) ou em jarra (clericot ou sangria, R$ 79,90). A Esquina Parrillera também traz opções de vinhos, em taça ou garrafa. Já o forte do Jângalito são drinques que têm o gim como base (são seis gim tônica, todos a R$ 24, além de clássicos como o Negroni, R$ 28).

Funcionando diariamente, durante a semana o Mercado da Boca ainda tem opção de almoço executivo – cada casa tem seus próprios pratos, com preço único de R$ 25. “Nos surpreendemos com o público, que está acima das nossas expectativas. Tanto que antecipamos um pouco o nosso plano de expansão, que estava previsto desde a inauguração do Mercado da Boca original”, comenta Vereza.

Até o fim deste ano, ele afirma, será aberto um terceiro mercado, no Buritis. “A expansão será neste mesmo modelo, com um mix de restaurantes de acordo com cada região.” Um quarto estabelecimento está previsto para a região da Pampulha. “E a partir de 2021, 2022, mais cidades, tanto em Minas quanto em outros estados. Nosso projeto sempre foi  chegar ao Brasil inteiro.”

Sócio do grupo, Lucas Vereza projeta filiais também no Buritis e na Pampulha(foto: JAIR AMARAL/EM/D.A PRESS)
Sócio do grupo, Lucas Vereza projeta filiais também no Buritis e na Pampulha (foto: JAIR AMARAL/EM/D.A PRESS)


MERCADO DA BOCA SAVASSI

Rua Levindo Lopes, 124. De segunda a quarta, das 11h30 às 23h; de quinta a sábado, das 11h30 à 0h; domingo, das 11h30 às 22h. O café Uluru abre mais cedo – de segunda a sexta, às 10h, e sábado e domingo, às 9h.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade