Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

BH se rende ao mundo da mixologia

Depois do sucesso de bebidas à base de gim, as cartas de drinques se transformaram em prioridade em bares e restaurantes da capital Em cena, criatividade, frescor e muito sabor


postado em 04/01/2019 05:02

No Laicos, drinques têm a missão de despertar experiência sensorial nos frequentadores do bar e balada(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )
No Laicos, drinques têm a missão de despertar experiência sensorial nos frequentadores do bar e balada (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )

Verão e férias, época que mais combina com encontros regados a bebida gelada, certo? Pois a oferta em BH vai além do boom das cervejas artesanais. Para a temporada 2019, bares, restaurantes e drinkerias da capital capricham na carta de drinques e oferecem opções repletas de sabor, desenvolvidas a partir de muita criatividade e na medida para surpreender e refrescar o público.

“Nos últimos anos, a reboque do estouro do gim, a cena da coquetelaria se desenvolveu muito em BH, inclusive com alguns mixologistas sendo reconhecidos nacionalmente”, afirma Marco Sassen Panerai, empresário e sócio-proprietário do Laicos, bar e balada na Praça ABC, Bairro Funcionários, já reconhecido pelo movimento em torno de bons drinques.

Panerai destaca que as receitas são cada vez mais criativas e inovadoras na maneira de servir, com forte apelo na experiência sensorial ofertada ao consumidor. “Hoje, a coquetelaria é tão rica que pode ser considerada um ramo etílico da gastronomia”, atesta. Na casa, que realiza promoções com desconto de 50% nos bebes às segundas-feiras, há desde opções clássicas, como mojito, moscow mule e gim tônica a drinques autorais, criados pela mixologista Ruth Santos.

O sakamelo leva sakê, ginger ale (refrigerante norte-americano), suco de limão e xarope de caramelo (Monin). Custa R$ 20 (copo 300ml) ou R$ 28 (taça de acrílico de 580ml). Já o bubble gim é feito com a bebida da moda, além de espumante, suco de limão e licor de cassis (R$ 22, 300ml; e R$ 28 na taça de 580ml). O amora amora também tem gim, a frutinha roxa, suco de limão, tônica, água com gás e limão siciliano (R$ 20 ou R$ 28).

“Hoje, o público está mais aberto a provar o novo, em busca de experiências sensoriais, fugindo do básico. Nas receitas, elementos estrangeiros como a toranja (ou grapefruit) e mesmo pouco usuais – como banana, beterraba ou rúcula – têm sido explorados. Tanto que o público dos drinques, que já foi até 90% feminino, está cada vez mais variado”, diz.

A casa oferece também opções de comidinhas: falafel com molho de ervas, R$ 10; Laicos burger (R$ 24); e brochetitos (miniespetos de brochete de contra-filé grelhado, finalizado com azeite aromatizado) também R$10.


Publicidade