Publicidade

Estado de Minas MAPA DOS SLAMS

Guia de slams: livro reúne história das batalhas de poesia na Grande BH

A obra traz o mapeamento do movimento slam como forma de trazer a sociedade para mais perto da diversidade cultural da capital e Região Metropolitana


19/07/2021 09:04 - atualizado 19/07/2021 11:31

Slam Clube da Luta, em evento antes da pandemia de COVID-19(foto: Pablo Bernardo/Divulgação)
Slam Clube da Luta, em evento antes da pandemia de COVID-19 (foto: Pablo Bernardo/Divulgação)

A Grande BH ganhou um mapa dos slams para aproximar a população desse movimento vivo e diverso de poesia marginal que vem ganhando espaço na capital mineira. O "Guia de slams de BH e RMBH" apresenta as origens da competição e sua importância, assim como mapeia os locais de atuação e descreve as características identitárias. A intenção foi mostrar como cada slam tem sua própria marca e dinâmica e mostrar a diversidade cultural e de temas que marcam a cultura urbana belo-horizontina e da região metropolitana.

Em Minas Gerais, as batalhas de poesia tiveram início em 2014, com a criação do Slam Clube da Luta, por Rogério Coelho. BH conta atualmente com cinco batalhas fixas, com direito a vaga para a competição estadual. O livro da editora LED foi escrito por Theresa Ciolete, graduanda em letras - tecnologias de edição do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), e pelo professor Luiz Henrique Oliveira, do curso de letras.

O slam teve origem na década de 1970 nos bares e teatros de Chicago, com o termo slam oficializado nos anos 1980, e logo ganhou os Estados Unidos e a Europa. Em 2008, o slam chega em território brasileiro por meio da atriz e cantora Roberta Estrela D'Alva, que criou a Zona Autônoma da Palavra (ZAP), em São Paulo.

Conheça os slams mapeados em BH:

Slam das Manas @coletivamanas
Criação: 2017
Organização: Coletiva Manas
Local: Centro de Belo Horizonte

Slamternas @coletivolanternas
Criação: 2015
Organização: Coletivo Lanternas
Local: Sinimbu, Belo Horizonte

Slam do Viaduto pra Cá 
Criação: 2018
Organização: Felipe Beluca e João Paiva
Local: Barreiro, Belo Horizonte

Slam da Estação @nosso.sarau
Criação: 2016
Organização: Coletivo Nosso Sarau
Local: Sarzedo (itinerante)

Slam Trincheira
Criação: 2016
Organização: Leandro Zere e João Victor Gomes com apoio do Coletivo Terra Firme
Local: Ibirité e Belo Horizonte (itinerante)

Slam Valores
Criação: 2017
Organização: Fabiana D'Acântra e Saulo Marte
Local: Horto, Belo Horizonte

Slam Clube da Luta @slamclubedaluta
Criação: 2014
Organização: Rogério Coelho e Thaís Carvalhais
Local: Centro, Belo Horizonte

Slam Avoa, Amor @coletivaavoante
Criação: 2017
Organização: Coletivo Avoante
Local: Belo Horizonte (itinerante)

Slam Verdade seja Dita
Criação: 2018
Organização: Programa Fica Vivo!
Local: Morro Alto, Vespaziano

Como funciona um slam?

Como movimento de poesia marginal, o slam promove um espaço de inclusão e liberdade de expressão, visto que há apenas quatro regras básicas: júri popular composto por voluntários, cada performance deve durar no máximo 3 minutos, somente é permitida a apresentação de poesias autorais e é proibido o uso de elementos cênicos ou acompanhamento musical.

A competição se dá em níveis municipal, estadual, nacional e mundial, sendo o maior evento a Coupe Du Monde de Slam (Copa do Mundo de Poesia Slam), que ocorre anualmente em Paris. Os vencedores de cada etapa são escolhidos por voto popular, se classificando para a etapa seguinte. Pieta Poeta e João Paiva são alguns dos nomes que se destacam no cenário mineiro e já representaram o Brasil no campeonato mundial.

Pandemia mudou endereço das batalhas

Com a pandemia veio a impossibilidade de ocupar as ruas e espaços públicos onde grande parte das batalhas ocorrem, comprometendo a cultura marginal. Alguns slams, como o Slam Clube da Luta, se adaptaram para plataformas on-line mas muitos estão suspensos e sem previsão de retorno. Thais Kas afirmou durante o lançamento do guia que "o foco agora é comida no prato" e que o "on-line é uma distância dolorida".

Inspiração para o guia de slams

O interesse de Theresa pelo Slam Poetry teve início com a pesquisa "Cartografia da poesia urbana em Belo Horizonte: mapeamento e estudo dos Slams da capital", desenvolvida entre 2018 e 2019 no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), com apoio do CNPq e coordenado pelo professor Luiz. Parte dos resultados foram editados para a realização do guia.
Capa do Guia de Slams de BH e RMBH e mapa com a localização dos slams pesquisados(foto: Reprodução)
Capa do Guia de Slams de BH e RMBH e mapa com a localização dos slams pesquisados (foto: Reprodução)

O lançamento, realizado por meio de live no YouTube, teve a presença da jornalista e Mestre em Estudos da Linguagem pelo CEFET-MG Aline Aguiar, como mediadora, e dos convidados João Paiva e Thais Kas. João, que além de poeta é professor da rede pública estadual, foi responsável por trazer o movimento Slam para a capital mineira em 2014, juntamente com Rogério Coelho, após uma viagem à São Paulo para conhecer a competição de poesia e suas regras. Ao retornarem foi criada a primeira batalha de poesia falada de BH, o Slam Clube da Luta, atualmente o maior da capital.

Guia de Slams de BH e RMBH está disponível para download no site da LED: Editora Laboratório.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade