UAI
Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Sociólogo lança novo olhar sobre a carreira do Rei Roberto Carlos

Livro de Marcos Henrique Amaral sobre a trajetória do cantor e compositor mostra por que o desprezado ídolo da Jovem Guarda ganhou a ''carteirinha'' da MPB


02/01/2022 04:00 - atualizado 02/01/2022 09:14

Roberto Carlos canta no Mineirinho, em show realizado em 2015
Livro analisa a vitoriosa trajetória de Roberto Carlos sob o enfoque da sociologia (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press/29/3/15)
 
 
Não é comum biografias de grandes artistas se aprofundarem nos aspectos sociais que atravessaram a vida do biografado. O que se cria é a ideia de que todas as escolhas do personagem central foram orientadas em razão do objetivo do sucesso, resultando em crônicas com pouco potencial explicativo.

Em “A simplicidade de um rei: trânsitos de Roberto Carlos em meio à cultura popular de massa”, de autoria do sociólogo Marcos Henrique Amaral, a carreira do Rei serve como ponto de partida para a compreensão de processos sócio-históricos, como a notável expansão daquilo que na sociologia pode ser chamado de “indústria cultural” em um país que buscava (e ainda busca) definir uma identidade para a música brasileira. O livro é resultado do trabalho de mestrado de Amaral na Universidade de Brasília (UnB), defendido em 2012.

DOUTOR EM JORGE BEN

O autor é professor de sociologia, pesquisador do grupo Cultura, Memória e Desenvolvimento e doutor em sociologia pela UnB. Seus estudos têm como eixo orientador as relações entre cultura popular, memória e economia. Em 2020, ele defendeu a tese de doutorado “Jorge Ben, tradutor do Brasil”.

Segundo o autor, o livro tenta mostrar como o Rei conseguiu se manter em um lugar de consagração depois de décadas, ao passo que outros símbolos da Jovem Guarda caíram no esquecimento ou não recebem tantos holofotes quanto ele.

Amaral adianta que a disputa entre a MPB, representada nos anos 1960 pelo programa “O fino da bossa”, e o iê-iê-iê, beneficiou os dois lados, mas a Jovem Guarda, cujo programa era concorrente direto daquele comandado por Elis Regina e Jair Rodrigues, nunca ganhou o páreo.

“Naquela época, a indústria começava a pensar no público jovem, que antes da bossa nova simplesmente não existia. Em meio à competição entre Jovem Guarda e MPB, a primeira foi a que melhor conseguiu atingir esse novo público”, analisa Marcos.

De um lado, jovens exploravam o rock, gênero importado do exterior, tido como de menor qualidade e pejorativamente chamado de “popularesco” pela intelectualidade. A guitarra elétrica era desprezada pela MPB, que tinha a ideia de cultura popular oriunda de um passado imaculado, de ritmos tradicionais brasileiros, o chamado “folclorismo”.

O autor fala de um elitismo denominado como “etnocentrismo de classe” por parte dos adeptos da MPB. “Roberto Carlos é um dos músicos mais regravados e que mais arrecadam direitos autorais. Como ele não é reconhecido na história da música nacional como os cânones da MPB são, sendo que ele vendeu tanto?”, questiona o sociólogo.

Segundo Amaral, o período em questão foi marcado por uma cultura de massa ainda incipiente, com a chegada do rádio de maneira significativa aos lares brasileiros e o crescimento da televisão. “Existe uma relação simbiótica entre a trajetória de Roberto Carlos e a cultura de massa em expansão naquele país que passava por um intenso processo de urbanização”, assinala o autor.

ROBERTO E CAETANO

Saltando para os anos 1990, Marcos Amaral destaca a abolição do caráter político da música, quando entra em ação a máxima “arte pela arte”, momento que Roberto Carlos ganha a “carteirinha da MPB”, movimento em que nunca foi inserido, mas com o qual sempre dialogou.

“Quando Caetano grava e revela a história da música 'Debaixo dos caracóis dos seus cabelos', canção que demonstra empatia com o exílio do baiano durante a ditadura, Roberto Carlos ganha capital simbólico”, aponta o sociólogo.
 

“A SIMPLICIDADE DE UM REI: TRÂNSITOS DE ROBERTO CARLOS EM MEIO À CULTURA POPULAR DE MASSA”
  • De Marcos Henrique Amaral (Paco Editorial)
  • 305 páginas
  • R$ 47,60







receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade