UAI
Publicidade

Estado de Minas

Cia Luna Lunera lança neste sábado "Urgente", seu primeiro livro

Obra homônima a espetáculo do coletivo retrata processo criativo da trupe teatral, que celebra 20 anos


09/10/2021 04:00 - atualizado 13/10/2021 16:07

Grupo Luna Lunera
O grupo Luna Lunera está celebrando sua trajetória de 20 anos com uma programação diversificada (foto: Raquel Carneiro/Divulgação)
Como parte da celebração dos 20 anos, a Cia Luna Lunera lança sua primeira publicação neste sábado (9/10), pela Editora Javali. O livro “Urgente” transpõe a dramaturgia do espetáculo homônimo, que reflete sobre o tempo e diálogo com o atual momento de isolamento social imposto pela pandemia de COVID-19. O lançamento acontece em live, às 18h, no canal de YouTube do coletivo (@cialunalunera).

Desde agosto, a mostra “Luna Lunera 20 anos” oferece programação virtual ampla, que inclui bate-papos sobre o fazer teatral, oficinas, leitura dramática, reprises de espetáculos e o lançamento deste primeiro livro do coletivo mineiro. As atividades comemorativas se estendem até 27 de outubro.

“É uma possibilidade da gente ter um olhar crítico sobre a nossa trajetória, para além da celebração. Até porque celebrar em tempos sombrios tem algo de incômodo, mas também tem algo de ousado, porque aponta pra vida”, define o ator Zé Walter Albinati, de 54 anos, um dos fundadores do coletivo.

Ele foi um dos atores que participou do espetáculo “Urgente”, o sétimo da Cia. Luna Lunera, que estreou em março de 2016 na capital mineira e percorreu o circuito do CCBB no país. A criação colaborativa, feita em parceria com o Areas Coletivo (RJ), segue a vertente de trabalhos autobiográficos produzidos pelo coletivo.

“É quase como se fosse um ato falho, que a gente traz nos momentos de improvisação sobre quaisquer temas. Ao longo de várias obras, isso vai ter uma frequência maior ou menor nas nossas produções”, explica Zé Walter sobre a proposta autobiográfica. 

As diretoras Maria Sílvia Siqueira e Miwa Yanagizawa provocaram o elenco a recontar suas vidas em um curto período de 2min, trazendo a sensação de urgência aos artistas, que tinham uma média de 40 anos de idade. 

DEMANDAS 
“Em 2016, a gente se dava conta dessa sensação subjetiva de aceleramento do tempo, com tudo muito corrido. Era um atropelamento das nossas vidas pelo tempo, supostamente. Por outro lado, nós estávamos metaforicamente no meio das nossas vidas, todos (atores) na média dos 40 anos. A reflexão provocativa era: até aqui, o que a gente deu conta de fazer?”, explica Zé Walter.

A trama de “Urgente” apresenta quatro personagens que são vizinhos em um edifício, com uma certa dimensão de confinamento, em um espaço exíguo. Eles vivem “sequestrados” pelo excesso de demanda em suas rotinas e são movidos pela ansiedade. A percepção de tempo dos moradores é contrastada com a visão do zelador Antônio, que cultiva outra relação com as suas próprias urgências. Para destacar esta diferença, o tempo dos personagens é tratado de forma desigual na dramaturgia.

“Tem um aspecto social da condição do trabalho (do zelador), ainda que os outros personagens sejam suburbanos lidando com seus anseios de resultados, sem se dar conta do tempo que os engole. E o Antônio tem um tempo de percepção dilatado. Ele é solícito, repara as coisas, observa, cuida”, comenta Zé Walter.

A publicação do livro "Urgente" surgiu do desejo de registrar o modo como o coletivo cria seus espetáculos, oferecendo uma nova visão sobre o trabalho. Em 160 páginas, os leitores podem conferir as rubricas do roteiro, as entrelinhas da dramaturgia e as fotografias da temporada, além de elementos que estimulam o imaginário a partir dos diálogos. Zé Walter define como uma “experiência polifônica" a transposição do processo cênico para a literatura.

As semelhanças entre o espetáculo, os desdobramentos políticos-sociais vividos no país e a realidade imposta pela pandemia de COVID-19 influenciaram o lançamento neste período. “A gente percebe o espetáculo quase como se estivesse antecipando a leitura de um tempo que viria e que, de algum modo, nós registramos no espetáculo”, confessa o ator. “Se o 'Urgente' fala do tempo, eu acho que o livro é uma forma de inserção reflexiva no tempo.”

LIVE 
O prefácio de “Urgente” é de autoria do Áreas Coletivo (RJ), cocriador da peça. O posfácio é assinado por Sérgio Gomes (mestre em antropologia social) e Jean-Luc Moriceau (pesquisador e professor de métodos de pesquisa). A orelha do livro foi escrita pela jornalista, crítica e pesquisadora teatral, Soraya Belusi.

A live deste sábado, às 18h, é comandada por Marcos Coletta, da editora Javali, com participação da co-diretora Miwa Yanagizawa e dos atores Zé Walter e Isabela Paes.

Como parte da programação da mostra “Luna Lunera 20 anos”, o coletivo exibe o registro audiovisual do espetáculo "Urgente" na íntegra na próxima quinta-feira (14/10), às 20h, em seu canal de YouTube. 

* Estagiário sob a supervisão da subeditora Tetê Monteiro

livro na Mostra Luna Lunera 20 anos
“URGENTE” 
Lançamento do livro na Mostra Luna Lunera 20 anos (formato on-line) neste sábado (9/10), às 18h. Evento gratuito no canal do Youtube da Cia. Luna Lunera (@cialunalunera).  Exemplares à venda, para todo país, a partir de R$ 30, pelo site cialunalunera.art.br. Exibição gratuita do espetáculo homônimo no YouTube da @cialunalunera, na próxima quinta-feira (14/10). Disponível por quatro dias. 


 













receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade