UAI
Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Elana Dara lança single 'amor não eh pra mim', feat com Vitor Kley

A cantora curitibana contou detalhes do primeiro EP ao Estado de Minas, que deve ser lançado ainda este ano


10/09/2021 08:37 - atualizado 10/09/2021 12:56

Elana Dara e Vitor Kley no clipe de 'amor não eh pra mim'
Elana Dara e Vitor Kley no clipe de 'amor não eh pra mim' (foto: Breno da Matta)


Cantar sobre amores que não dão certo motivou a curitibana Elana Dara, de 21 anos, a lançar seu primeiro EP. Para dar início a esta nova etapa de sua carreira, nesta sexta-feira (9/9) a cantora divulgou a primeira faixa do projeto, “O amor não é pra mim”, uma colaboração com Vitor Kley. 

Expoente de uma nova geração de músicos jovens brasileiros, a música surgiu na vida de Elana quando ainda era um hobbie gravar e publicar vídeos de covers para o Youtube. A curitibana fazia faculdade de arquitetura, mas foi descobrindo seu caminho como cantora e teve uma virada de chave quando venceu um concurso, em  e foi se apresentar com a banda mineira Lagum. 

“Foi um concurso que rolou pela Covers Brasil e a pessoa que ganhasse ia participar de um show da cidade mais próxima da turnê. Eu ainda estava morando em Curitiba e eles iam fazer um show lá na Ópera de Arame e eu acabei ganhando. No dia, deu sold out (ingressos esgotados). Eu era e sou até hoje muito fã da Lagum e quando eu vi eles eu pensei ‘Meu Deus que legal, conhecer eles, ir no palco e cantar’. Foi a primeira vez que usei um retorno de fone, subi no palco e vi toda aquela galera cantando comigo. Desde então foi uma virada de chave para eu falar que também quero isso pra mim, ter sold out, fazer um show impressionante para a galera se esgoelar cantando as minhas letras e poder trazer as minhas traduções da vida para outras pessoas”, conta ao Estado de Minas .

Resultado disso refletiu no sucesso da música “Falei de você pra minha mãe”, que já conta com quase 4,5 milhões de visualizações no Youtube e mais de 8 milhões no Spotify . Uma história real, mas que não foi para frente, virou a estreia que abriu portas para Elana. “Eu achei tão legal poder ver as playlists no Spotify indo super bem na minha primeira música de trabalho com a gravadora. Eu lembro de ter escrito essa música antes mesmo de pensar em produção porque eu nem sabia ainda o que ia fazer. Foi um primeiro passo super importante e que já deu muito certo, então eu fico feliz com os resultados e eu amo essa música”, comemora.

Depois deste sucesso, a cantora seguiu no embalo dos singles e lançou uma faixa mais melódica de “Ninguém dá certo comigo” e um pop chiclete em “Aff…”. Agora, ela chega no mercado com a primeira das seis faixas do seu primeiro EP em “O amor não é pra mim”, uma parceria com o cantor Vitor Kley. 

Feat

O encontro com o cantor veio dos covers que Elana fazia de suas músicas para o Youtube. “Sempre admirei muito o trabalho do Vitor, tenho mais de três covers no meu canal de músicas dele e ele sempre via. Eu lembro dele ter comentado. Depois comecei a postar meus trabalhos autorais e ele chegou a falar comigo pelo direct”, revelou.

Fazer o encontro entre Vitor que canta sobre um amor que dá certo e Elana, que vai na direção oposta, veio naturalmente. “Inicialmente era pra eu cantar sozinha só que aí, quando pensei no nome dele falei ‘nossa, fica genial ele cantando aqui comigo’ acho que até o tom tinha super a ver. Eu mandei um direct pra ele e a gente trocou whatsapp, mandei para ele uma guia de violão e voz e ele topou na hora”, disse.

“Essa música surgiu meio que do nada, lembro de ter pego uma base de violão do Charlie Brown. Eu sempre estou meio na linha de um amor que não dá certo porque eu adoro tratar o amor de uma forma não convencional e acho que gera muita identificação. Mesmo a gente tratando do tema de uma maneira leve, ele ainda é um amor contraditório e o fato do Vitor ter entrado comigo nessa também foi super legal porque ele sempre tá cantando sobre o amor de uma maneira mais bonita, que dá certo.”

Clipe

A música chegou também com um videoclipe, que teve o final escolhido pelo público. Ao fazer o pre-save (quando  as plataformas disponibilizam um link prévio para que o usuário possa incluir o lançamento na biblioteca antes da data do lançamento), as pessoas podiam escolher o final para o videoclipe. A decisão era entre os cantores destruírem uma pinhata de coração e uma guerra de bolo. 

“São minhas duas cenas favoritas que a gente mais gostou de gravar porque a gente meteu aquele taco de baseball numa pinhata e eu fiquei enfiando bolo na cara do Vitor. Foram duas cenas muito divertidas que a gente conseguiu fazer de uma forma leve e falar um pouco sobre amor”, disse Elana.

“Meu diretor deu essa ideia de trazer de uma forma que fique mais atrativo, as pessoas ficam mais curiosas para irem ver o clipe. Fizemos dos dois jeitos e dependendo do resultado iríamos subir uma ou outra. Agora que a gente já tem o resultado a gente vai subir a que foi escolhida”, acrescentou. O vencedor você pode conferir:


EP

Segundo Elana, a escolha da música para começar a divulgação do EP foi pensada por ser um feat e também para encaixar uma transição do último lançamento com o novo projeto. “A gente abre as portas um pouco mais forte trazendo as forças do Vitor junto. Eu também achei legal fazer uma transição um pouco mais fluida entre o meu último lançamento para a música do EP. Não queria chegar em uma coisa muito oposta a outra que talvez fosse causar um estranhamento. Acho que vai ser legal essa transição e entender como a galera vai corresponder a música mais orgânica e a produção um pouco mais voltada para a banda, mais voz agora que eu estou me sentindo muito mais confiante”, disse.

Porém, as outras cinco faixas vão vir em um outro estilo. “O amor não eh pra mim é uma forma mais madura, mais polida que tem violino, cello, tem uma bateria fechada, mas as outras do EP vão vir ‘torando o pau’ com bateria, guitarra, um grave, muito violão então vai ser muito legal nos shows para a galera cantar.”

Ao Estado de Minas , Elana ainda deu alguns spoilers do que vem por aí. “Eu posso falar que são seis faixas, os nomes são super representativos, assim como ‘amor não eh pra mim’. Não tem nenhum nome pequeno, é sempre uma frase. Eu tô fazendo a produção com muita cara de show porque quero (quando voltar depois dessa pandemia) fazer show com banda. Então já tô pensando muito nisso porque minhas referências musicais sempre foram muito banda e eu nunca trouxe isso tão vivo quanto vai ser a partir de agora”, revelou.

O projeto deve ser lançado ainda este ano, segundo a cantora.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade