Publicidade

Estado de Minas AUDIOVISUAL

'Power Book III: Raising Kanan' foca adolescência do aprendiz de traficante

Série produzida pelo rapper 50 Cent foi gravada durante a pandemia no bairro em que ele nasceu. Estreia é neste domingo (18/07), na Starzplay


16/07/2021 04:00 - atualizado 16/07/2021 07:27

"Power Book III: Raising Kanan", que estreia hoje, mostra a adolescência do protagonista, cujo papel o rapper e produtor-executivo da série 50 Cent assume na fase adulta (foto: STARZ PLAY/DIVULGAÇÃO)

“Jamaica, a ilha?”, pergunta, com surpresa, a adolescente loira de Manhattan. “Não, Jamaica, Queens”, responde, com ironia, a adolescente negra que vive na periferia de Nova York. Tal diálogo é secundário, mas ele dá a medida do desconhecimento em torno do bairro de maioria negra e caribenha no início dos anos 1990.

Local de nascimento de 50 Cent, é esse o cenário da nova série da franquia “Power” (2014-2020), que tem o rapper como produtor-executivo. Com estreia neste domingo (18/07) na Starzplay, “Power Book III: Raising Kanan” é o segundo “filho” do drama policial que acompanhou, em seis temporadas, o rico dono de uma boate de luxo que tem uma vida dupla como chefe do tráfico em Nova York.

A franquia gerou também “Power Book II: Ghost”, com segunda temporada prevista para este ano, além dos já anunciados “Power Book IV e V”, sem previsão de estreia. “Raising Kanan”, que antes mesmo de estrear teve seu segundo ano confirmado, volta no tempo e acompanha a trajetória de Kanan Stark (Mekai Curtis) na adolescência. O personagem, na idade adulta interpretado por 50 Cent, foi um dos grandes antagonistas da série principal.

ESCOLHAS 

Aqui, Kanan é um adolescente de South Jamaica. Em 1991, aos 15 anos, ele não tem do que reclamar. Criado só pela mãe, é o único filho de Raquel “Raq” Thomas (Patina Miller), uma distribuidora de cocaína com poder crescente na região. Inteligente, com bons amigos na escola, mas sem fugir de uma boa briga, tem o futuro à sua frente. 

A mãe quer mantê-lo o mais longe possível do tráfico, mandá-lo para uma escola de elite em Manhattan. Mas Kanan acaba fazendo suas próprias escolhas, é o que o episódio-piloto não demora a mostrar.

A série é também a grande chance de Mekai Curtis. Aos 20 anos, com uma carreira iniciada na infância em séries e programas da Disney, ele vive seu primeiro protagonista em uma produção dramática. Chegou ao universo de “Power” quase sem saber. “Estava assistindo à série e pensando como gostaria de fazer parte dela. Na semana seguinte, fui chamado para uma audição. Só sabia que seria um spin-off”, conta ele, que foi para o teste às escuras. 

“Era outro roteiro, outro nome, mas, como era fã, aceitaria qualquer coisa, até mesmo uma participação com um personagem que morreria no primeiro episódio.” Só depois é que soube que havia sido selecionado para interpretar o personagem-título. 

“Aí assisti à série desde o primeiro episódio para compreender melhor o personagem, estudar o que 50 Cent fez, suas conexões, relacionamentos. Um professor me ajudou a falar com o sotaque. Mesmo que eu tenha nascido em 2000, sempre me senti um cara dos anos 1990, pois são dessa época as minhas músicas e filmes favoritos. Mas como ele tem apenas 15 anos, tive muito espaço para criar.”

DOMINÓ 

A família é essencial em “Raising Kanan”. A mãe comanda uma rede da qual também fazem parte os tios. A melhor amiga de Kanan é sua prima. Para Mekai Curtis, a cena favorita está no episódio-piloto, que mostra a família jantando em um restaurante. “Ali vemos os personagens jantando, celebrando, em uma dinâmica comum de família. Só que o subtexto conta outra história. E depois, quando uma decisão é tomada, ela vai implicar todos ali, como um efeito dominó.”

O piloto de “Raising Kanan” foi rodado em fevereiro de 2020. Com a pandemia, a série teve que ser interrompida, e a equipe se reuniu novamente oito meses mais tarde. A primeira temporada terminou de ser filmada no final de maio. 

“Foi uma espera longa, e a pandemia tornou tudo mais difícil. Além dos testes (de COVID), três, quatro vezes por semana, eram muitos os cuidados. Lembro-me de que, quando voltamos a gravar,  tínhamos que ficar numa distância grande uns dos outros, não estávamos autorizados a ficar sem máscara. Mas à medida que a temporada evoluiu e a vacinação começou, houve mais liberdade”, conta. 

POWER BOOK III: RAISING KANAN
Série, em 10 episódios. Estreia neste domingo (18/07), na Starzplay. Um novo episódio por domingo. 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade