Publicidade

Estado de Minas LITERATURA

Flitabira começa hoje na cidade de Carlos Drummond de Andrade

Projeto literário on-line exibirá vídeos de autores que participaram do Fliaraxá. Sessão especial será destinada a agentes culturais do município mineiro


17/06/2021 04:00 - atualizado 17/06/2021 06:47

Carlos Drummond de Andrade é homenageado em festival literário(foto: ARQUIVO EM)
Carlos Drummond de Andrade é homenageado em festival literário (foto: ARQUIVO EM)

O Flitabira chega à primeira edição nesta quinta-feira (17/06). O curador e jornalista Afonso Borges, criador do Festival Literário de Araxá (Fliaraxá) e do projeto Sempre um papo, levou o festival para Itabira, cidade natal de Carlos Drummond de Andrade, o homenageado do evento.

“No Brasil, talvez no mundo, não existe um autor que apresente tanta correlação entre obra e cidade quanto Drummond”, diz Borges. O único que chega perto disso é o irlandês James Joyce, cujos livros remetem a Dublin. “Quero mostrar para o mundo que aqui nasceu Carlos Drummond. E quero transformar Itabira em Dublin”, brinca o curador.

Até 31 de outubro, o Flitabira vai relembrar as edições passadas do Fliaraxá. No projeto virtual, escritores vão falar de seu trabalho e sobre a obra de Drummond.

Também serão realizadas ações sociais. A primeira foi a doação de 500 livros para a biblioteca da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade.

Nesta quinta-feira, passarão a ser postados nas redes sociais do festival depoimentos de agentes culturais da comunidade itabirana.

“A pergunta que a gente faz é: fala sobre seu trabalho, o que você faz. O que você pretende comunicar para as pessoas? É um espaço que a gente abriu. Quando chegamos na casa das pessoas, pedimos licença para entrar. Esta foi a nossa forma de abordar a educação”, diz Borges.

Entre os primeiros moradores e artistas de Itabira que terão vídeos transmitidos estão Altamir Barros, idealizador do Memorial Carlos Drummond de Andrade, que participou da criação do jornal O Cometa Itabirano; Thiago SKP, rapper; Gercimar Almeida, líder do movimento LGBTQIA+ da cidade; e Juliana Alves, dona da livraria Clube da Leitura.

Em 10 de julho, ocorrerá a Ocupação Portinari-Drummond, na Praça do Areão, inspirada nos 23 painéis do pintor Candido Portinari que abordaram o clássico “Dom Quixote”, de Cervantes.

“Drummond ficou tão encantado com os quadros que ele mesmo escreveu sobre isso. Desenvolveu 23 poemas relacionados com as pinturas de Portinari e incorporamos isso na ocupação”, conta Afonso Borges. O projeto promove também cursos de redação e atividades educacionais.

*Estagiário sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria











receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade