Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Fãs pediram e Roberta Sá lança 'Sambas e bossas', que viralizou na internet

Gravado por encomenda de uma empresa, álbum ganha edição em vinil e repertório está disponível nas plataformas. Neste sábado, tem live da cantora


05/06/2021 04:00 - atualizado 05/06/2021 07:59

A cantora Roberta Sá lança agora o disco 'Sambas e bossas', que gravou há 17 anos por encomenda de uma empresa (foto: Pedro Bucher/Divulgação)
A cantora Roberta Sá lança agora o disco 'Sambas e bossas', que gravou há 17 anos por encomenda de uma empresa (foto: Pedro Bucher/Divulgação)

Enquanto mixava “Braseiro”, seu CD de estreia, Roberta Sá gravou um álbum em 2004 por encomenda de uma empresa. Distribuído fora do circuito comercial, “Sambas e bossas” é lançado agora pela Bolachão Discos em vinil e nas plataformas digitais.

Neste sábado (5/6) à noite, a cantora faz live para mostrar o repertório que viralizou nas redes sociais há 17 anos. Roberta também faz o show para lembrar o aniversário de João Gilberto (1931-2019), que completaria 90 anos na próxima quinta-feira (10/6).



“A iniciativa surgiu durante a série de lives que fiz em 2020 para reviver os discos gravados nesses anos todos de carreira. Sempre ouvi pedidos para lançar o ‘Sambas e bossas’. Muitos até achavam que era o meu primeiro álbum, mas ele foi gravado logo após a finalização do ‘Braseiro’”, conta ela. O álbum foi encomenda, mas Roberta teve liberdade para escolher o repertório. “Misturei clássicos com canções que amava ouvir e cantar.”

Entre as faixas estão “Chega de saudade” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Falsa baiana” (Geraldo Pereira) e “O sol nascerá” (Cartola e Elton Medeiros), mas também novidades na época, como “Samba de um minuto” (Rodrigo Maranhão), gravada pela primeira vez em “Sambas e bossas”. Essa canção, sucesso de Roberta, foi registrada também em seu segundo disco, “Que belo estranho dia para se ter alegria” (2007).



A pandemia foi crucial para a retomada do disco de 2004. “Como tudo foi feito muito rápido, nunca o considerei um álbum de carreira. Mas o público tinha carinho grande por ele e me pedia muito para lançá-lo em vinil. Incluí algumas daquelas canções nas lives e percebi que agora é o momento certo para retomá-las”, afirma.

A cantora conta que aprendeu a gostar de “Sambas e bossas”, pois o achava “muito óbvio” por reunir apenas músicas que ela gostava de escutar, sem trazer registros inéditos. “Essa é a grande graça dele. É um disco livre, o acho bonito também.”

O lançamento se deve tanto aos pedidos dos fãs quanto ao empenho da equipe da Bolachão. “O disco tem a cara do vinil. Também pensamos em lançá-lo no digital e a Altafonte comprou a ideia. Por enquanto, ele sai somente em vinil e estará disponível nas plataformas”, explica Roberta. Aliás, fãs já estão pedindo o CD. “Fiquei até surpresa, pois nem sabia que tanta gente escuta CD hoje em dia.”

Ao relembrar a gravação de 17 anos atrás, Roberta brinca, dizendo que era uma jovem muito densa e com alma velha, “perdidamente apaixonada” pelo repertório que registrou. “Era quase uma playlist do que eu achava importante de sambas e bossas.”

DIAMANTINA 


Como lá está o clássico “Chega de saudade”, os 90 anos de João Gilberto, na quinta-feira, foram lembrados. “Um amigo mineiro mandou mensagem perguntando se eu sabia que a cidade de Diamantina era o berço da bossa nova. Mas foi tudo acidental, não estava ligada que o aniversário dele seria agora. Quando fomos ver a data de lançamento, a gente se tocou: é aniversário do João, então vamos lançar esta semana, porque a música dele é imortal”, comenta.

O amigo de Roberta citou Diamantina porque foi lá, no “banheiro acústico” da casa da irmã, que o jovem baiano testou sua batida genial, na década de 1950. Pouco tempo depois, João se tornaria um dos pais da bossa nova.



“SAMBAS E BOSSAS”
.Disco de Roberta Sá
.Dez faixas
.Bolachão Discos
.Disponível nas plataformas digitais
.Neste sábado (5/6), às 21h, a cantora faz live de lançamento, com transmissão pelo Canal 500 da Claro TV e no canal oficial da Claro no YouTube.

REPERTÓRIO

“ALEGRIA/O SOL NASCERÁ”
Cartola e Elton Medeiros

“ESSA MOÇA TÁ DIFERENTE”
Chico Buarque

“SAMBA DE UM MINUTO”
Rodrigo Maranhão

“FALSA BAIANA”
Geraldo Pereira

“PRA DIZER ADEUS”
Edu Lobo e Torquato Neto

“CHEGA DE SAUDADE”
Tom Jobim e Vinicius de Moraes

“FICA MELHOR ASSIM”
Zé Renato e Xico Chaves

“COISA MAIS LINDA”
Carlos Lyra e Vinicius de Moraes

“A FLOR E O ESPINHO”
Nelson Cavaquinho, Alcides Caminha e Guilherme de Brito

“PRESSENTIMENTO”
Elton Medeiros e Hermínio Bello de Carvalho




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade