Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Bauxita e o carioca Bombom abrem festival on-line de jazz, soul e blues

Cantor mineiro e parceiro de Ed Motta lideram a banda criada especialmente para o evento gratuito que será realizado nos domingos deste mês


15/05/2021 04:00 - atualizado 15/05/2021 07:53

O grupo Buena Vista Soul Band foi formado especialmente para o festival realizado em Minas Gerais (foto: JP Sofranz/divulgação)
O grupo Buena Vista Soul Band foi formado especialmente para o festival realizado em Minas Gerais (foto: JP Sofranz/divulgação)

Música e artes visuais nos domingos de maio. Essa é a proposta do Buena Vista, Soul, Jazz & Blues Festival, que adotou o formato on-line depois de ser realizado presencialmente em Belo Horizonte, Contagem, Pirapora, Betim e Sete Lagoas.

Neste domingo (16/5), vai tocar a Buena Vista Soul Band, formada especialmente para o evento. O cantor mineiro Bauxita se junta ao baixista e compositor carioca Bombom e a Gustavo Figueiredo (piano e teclados), Vinícius Pessoa (guitarra), André Queiroz (bateria), João Vianna (trompete) e Jonas (sax).

Bombom será o convidado especial de amanhã. “Entre seus trabalhos se destacam a participação no disco 'Ed Motta e Conexão Japeri'”, afirma Ivan Chagas, produtor-executivo da Sion Produções e Eventos, realizadora do festival. O músico carioca compôs duas faixas daquele álbum: “Solução” e “Um love”, parcerias com Ed e Fábio Fonseca.

SAVASSI

O baixista Bombom diz que adora fazer parte do grupo mineiro Buena Vista. “A primeira vez que participei do festival foi na Savassi. Conheci o Gustavo Figueiredo e o Alexandre Lopes, já conhecia o Bauxita e o André Queiroz. A partir dali, começamos essa banda espetacular, que só tem feras, pessoas maravilhosas e totalmente do bem”, afirma. “BH é fantástica, estou em casa. E ainda terei a chance de passar uma temporada grande na cidade”, elogia.

O carioca revela que o projeto da banda Buena Vista não se limita ao festival. “Estamos seguindo. Daqui a pouco estaremos com músicas autorais inéditas. A ideia é fazer shows sempre que possível”, diz Bombom, que já fez planos com o mineiro Bauxita. “Nosso objetivo é compor algumas coisas diferentes, com outras influências e novas parcerias.”

Bombom tem canções gravadas por Marina Lima e Patrícia Marx, além de Ed Motta. Também participou da trilha sonora de novelas da Globo. Sua música “O paraíso” foi tema de abertura de “Malhação” e “Tão linda” fez parte de “Quatro por quatro”.

Bauxita está contente em voltar a tocar com a Buena Vista Social Band. “Estive no festival com a Rock Machine e também em 2019, quando Ivan Chagas trouxe o Bombom para se apresentar na Savassi. Naquela época, ele não cantava. Então, o Ivan montou a banda com músicos daqui e eu era um dos cantores. Montei repertório com várias músicas de Ed Motta, de quem sou muito fã. Tudo na pegada de soul e black music”, relembra.

Apple Rose, grupo de Montes Claros, é uma das atrações deste domingo (foto: JP Sofranz/divulgação)
Apple Rose, grupo de Montes Claros, é uma das atrações deste domingo (foto: JP Sofranz/divulgação)

ED MOTTA

O mineiro quer homenagear Ed, de 49 anos, sobrinho de Tim Maia, talento do soul e também da música instrumental. “Para mim, ele é o maior cantor que existe na música brasileira atualmente, embora não seja valorizado, assim como não foi o Cassiano, que faleceu recentemente.”

Marcelo Daí vai se apresentar com Bauxita. “É o maior cantor da nova geração. Além disso, é multi-instrumentista, um talento. Hoje, ele é a maior revelação da música de qualidade”, garante o veterano. A dupla vai interpretar uma canção de Marvin Gaye.

Outra atração deste domingo é a Apple Rose, de Montes Claros. “A banda foi influenciada pelas lendas do blues e artistas modernos. Unindo diversos elementos e estilos musicais, ela criou versões criativas para diversas canções”, informa o produtor Ivan Chagas.

O grupo montes-clarense reúne Thais Zampieron (vocal), Gustavo Gomes e Nicolas Dias (guitarras e violões), João Gabriel (baixo), Bernardo Gomes (metais e percussão) e Vitor Vandaick (bateria).

Dedicada ao folk, a cantora italiana Alessandra Salerno também vai se apresentar amanhã, acompanhada de Hugo Bizzoto (teclados) e Bruno Marques (guitarra). Ela participou da terceira edição do “The voice Itália’ com a versão de “Creep”, canção da banda Radiohead.

O baixista carioca Bombom diz que adora BH e tocar no Buena Vista, Soul, Jazz & Blues Festival (foto: Facebook/reprodução)
O baixista carioca Bombom diz que adora BH e tocar no Buena Vista, Soul, Jazz & Blues Festival (foto: Facebook/reprodução)

Libertas Coletivo em ação

Os artistas plásticos Rafael Abreu, Luiz Pêgo e Lax Aiala pintarão telas ao vivo, enquanto as atrações musicais se apresentam no Buena Vista, Soul, Jazz & Blues Festival. As performances dos pintores também vão ocorrer a partir deste domingo (16/5).

O trio faz parte do Libertas Coletivo de Artes. Rafael é filho do pintor Gilberto de Abreu. Luiz Pêgo é desenhista autodidata, além de se dedicar à pintura. O artista visual Lax Aiala se especializou em street art, com destaque para trabalhos em aerografia, grafite e pintura digital.

O artista Rafael Abreu vai exibir seus quadros amanhã (16/5); Luiz Pêgo, em 23 de maio; e Lax Aiala, em 30 de maio.

A apresentação do festival ficará a cargo da cantora Anny Rosa. Rosane Lucas será a intérprete de libras.

Shows já foram gravados

O festival mineiro não se inspirou no projeto cubano Buena Vista Social Club, como pode parecer à primeira vista. O produtor Ivan Chagas revela que o nome veio da Lagoa Boa Vista, em Sete Lagoas, onde o evento foi realizado anteriormente.

“Começamos em 2017 e já fizemos 21 edições. Como o festival é itinerante, já estivemos em Pirapora, Betim, BH, Contagem e Sete Lagoas”, informa o executivo da Sion, produtora responsável pelo evento, em parceria com a Serginho Produções.

MUDANÇA

A edição de 2021 seria presencial, pois Ivan imaginou que a pandemia estaria controlada em abril deste ano. “Era para ser feito em Nova Lima, Sete Lagoas e Itabira. Como não deu, convertemos para três lives”, informa.

As apresentações já foram gravadas. “É complicado, pois por mais que você se cerque de uma pré-produção bem-feita, pode ocorrer algo errado. Para fazer algo mais garantido, optei pela gravação”, diz Ivan Chagas. “Gravamos um áudio multipista que foi mixado, masterizado, tratado e editado pelo guitarrista Vinícius Pessoa.”

O produtor conta que reuniu uma equipe de alto nível para garantir o sucesso da edição on-line. “Chamei o Vicente Baka, que foi iluminador do Skank, o JP Sofranz, fotógrafo do Jota Quest, e o Vinícius Pessoa, que cuidou da direção de gravação. Com esse staff, fizemos três lives de ponta.”

O projeto foi viabilizado pela Lei Aldir Blanc, com transmissões pelo canal da Sion Produções no YouTube, a partir das 15h.

'THE VOICE'

“Para esta edição, trouxe as cantoras Alessandra Salerno, Fabi Metzker e Carla Sceno, destaque no 'The voice Brasil', além das bandas Apple Rose e O Delta, trio de blues de Sete Lagoas que faz um show didático, de raiz. Já o Bruno Marques, um dos pilares do blues em BH, convidou o guitarrista Auder Jr, outro bluseiro da capital”, comenta Chagas.

O produtor informa que a Doctor Ray Blues Band, grupo de Nova Lima, toca blues de Chicago, enquanto Vinícius Mendes se dedica à música instrumental. “Antes, a ideia do festival era trazer apenas soul, jazz e blues, mas resolvi ampliar para outros estilos, como rock, rhythm’ blues, pop e bossa”, conclui Ivan Chagas.


BUENA VISTA, SOUL, JAZZ & BLUES FESTIVAL

Gratuito. Transmissão pelo canal da Sion Produções no YouTube (www.youtube.com/c/sionproducoes). Com a participação 
dos artistas plásticos Rafael Abreu, Luiz Pêgo e Lax Aiala

. DOMINGO (16/5)

15h: Buena Vista Soul Band, Alessandra Salerno e Apple Rose

. 23 DE MAIO

15h: Carla Sceno, Fabi Metzker e O Delta

. 30 DE MAIO

15h: Bruno Marques, Alessandra Salerno, Auder Jr., Doctor Ray Blues Band e Vinícius Mendes Quarteto


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade