Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Ivan Lins, Joyce e Marcos Valle lamentam o abandono do Rio e do Brasil

'Casa que era minha', primeira parceria do trio de craques da MPB, fala da dor de ver a cidade e o país tão maltratados. Single chega hoje às plataformas


07/05/2021 04:00 - atualizado 07/05/2021 06:57

Ivan Lins, Joyce e Marcos Valle revelam seu desencanto com a forma como o Brasil e o Rio vêm sendo tratados (foto: Fotos: Deck/divulgação)
Ivan Lins, Joyce e Marcos Valle revelam seu desencanto com a forma como o Brasil e o Rio vêm sendo tratados (foto: Fotos: Deck/divulgação)

Em parceria inédita, Marcos Valle, Joyce Moreno e Ivan Lins fazem homenagem ao Rio de Janeiro e ao Brasil, tão castigados nos últimos tempos. O single “Casa que era minha” (Deck) estreia nas plataformas digitais nesta sexta-feira (7/5).

O trio diz que se juntou pela primeira vez com o objetivo de cantar – e chorar pelo país –, além de tentar proteger a cidade onde os três nasceram. Joyce assina a letra, enquanto a melodia foi composta por Marcos e Ivan.

A parceria de Valle e Lins teve início há cerca de um ano, quando eles conversavam sobre os grandes festivais europeus. “No meio do assunto, Ivan virou-se para mim e disse: 'Rapaz, nunca fizemos música juntos. Por quê? Que absurdo'”, relembra Marcos. “Decidimos fazer na hora.”

Ivan mandou para o amigo um pedaço de melodia, que se transformou no início de “Casa que era minha”. A partir dali, nasceu a parceria. Marcos sugeriu Joyce para letrar, pois queria agregar uma visão feminina à canção.

“Falei pra ela: agora é com você. Não demorou muito, acredito que uma semana, e Joyce surgiu com a letra e o tema ‘casa que era minha’. Como diz o Ivan, somos três cariocas e estamos falando da nossa cidade. Porém, estamos falando também do Brasil, do que a gente queria que ele fosse. Que pena ver a nossa cidade tão maltratada”, comenta Marcos Valle.

“Interessante... Na primeira parte, quando Ivan começa, Joyce colocou algo mais emocional. Na segunda, uma coisa mais doce, mergulhando na melodia”, diz Marcos. “Ela acompanhou a melodia e o sentimento. Quando vimos a letra, dissemos: está fechado totalmente.”

Foi Marcos quem fez contato com Rafael, filho de João Augusto, dono da gravadora Deck. “Foi lá que gravei meu disco mais recente, ‘Cinzento’. Os dois adoraram a ideia e decidiram gravar o single”, diz.

Valle produziu e registrou o piano, Joyce o violão e Lins cuidou das cordas. Ao trio se juntaram Alberto Continentino (baixo), Renato “Massa” Calmon (bateria) e Jessé Sadoc (flugelhorn). Os três gravaram as respectivas partes e devolveram para Marcos, que colocou seu piano Fender Rhodes na faixa.

Joyce revela que escreveu a letra como uma espécie de carta, um hino. “O Rio de Janeiro é a cidade emblemática que simboliza o Brasil no imaginário do mundo inteiro. E também é uma cidade que espelha o melhor e o pior do país. Então, quando falo com a cidade, de certa forma estou falando também com o Brasil.”

Ivan Lins ficou feliz com a tripla parceria. “Joyce achou essa temática sobre o Rio de Janeiro, que ela chama de nossa patriazinha. Isso é lindo, porque nós três somos cariocas. Cada um de nós é de um pedaço do Rio, somos cariocas da gema”, afirma. “A canção tenta passar um pouco desse sentimento e dessa dor que a gente está sentindo em uma cidade que já foi até vitrine do Brasil”, conclui.

"O Rio de Janeiro é a cidade emblemática que simboliza o Brasil no imaginário do mundo inteiro. E também é uma cidade que espelha o melhor e o pior do país"

Joyce, cantora e compositora


CASA QUE ERA MINHA

Minha bem-amada
Casa que era minha
Quem te maltratou
Te fez tão sozinha?

Diga...
Musa abandonada
Por tudo o que tinha
Quem vai te salvar
Das aves daninhas?

Diga...
Quem me dera te proteger, ai
Desses tantos perigos
Aquela que é mãe pra nós
E que nos criou com sua voz

Ó cidade amada
Minha patriazinha
Deixa eu te abraçar
Sonhar que ainda és minha...

Minha...
Quem me dera te proteger, ai
Desses tantos perigos
Aquela que é mãe pra nós
E que nos criou com sua voz

Ó cidade amada
Minha patriazinha
Deixa eu te abraçar
Sonhar que ainda és minha...
Minha...


“CASA QUE ERA MINHA”
.De Marcos Valle, Joyce e Ivan Lins
.Single
.Gravadora Deck
.Disponível nas plataformas digitais a partir desta sexta-feira


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade