Publicidade

Estado de Minas SHOWS E DEBATES

Festival Marte discute aliança entre arte e tecnologia

Programação do evento que tomaria as ruas de Ouro Preto migrou para o YouTube e irá desta quinta (25/3) a domingo (28/3), com shows em 360 graus e debates


25/03/2021 04:00 - atualizado 25/03/2021 07:34

Show de Craca Beat na Casa da Ópera, em Ouro Preto, que é atração de amanhã na programação do evento(foto: Divulgação)
Show de Craca Beat na Casa da Ópera, em Ouro Preto, que é atração de amanhã na programação do evento (foto: Divulgação)
 
Originalmente idealizado para tomar as ruas de Ouro Preto, o Marte Festival começa nesta quinta-feira (25/3) a desbravar o formato virtual popularizado durante a pandemia do novo coronavírus. Até domingo (28/3), por meio do canal do YouTube da UN Music, o evento idealizado por Barral Lima, Carolina Daves e Erick Krulikowski investiga o encontro entre arte e tecnologia em manifestações artísticas que vão do teatro a criações gráficas.

A programação, cuja curadoria teve a parceria do jornalista Tony Aiex, discutirá realidade virtual, deepfakes, experiências em 360 graus, novos formatos de festivais e saúde mental, entre outros temas. Os músicos Evandro Fióti, Giovani Cidreira e Luiza Lian e o jornalista Bruno Sartori confirmaram presença.

“Desde a primeira edição, nosso objetivo é discutir maneiras como a tecnologia, se bem usada, pode auxiliar a arte”, diz Barral Lima. “No último ano, esse recurso ficou mais acentuado por conta da pandemia. Nosso festival foi concebido para ser apresentado numa praça pública. A gente perdeu esse aspecto, mas ganhou a oportunidade de alcançar pessoas de lugares diferentes.”

MIGRAÇÃO

A primeira edição do Marte foi realizada em Mariana, em 2018. No ano seguinte, o festival foi deslocado para Ouro Preto. A terceira edição estava programada para julho de 2020, mas, logo no início da pandemia, a organização achou melhor transferi-la para o segundo semestre, ainda imaginando que seria possível o festival presencial. Com o agravamento da crise sanitária, decidiu-se realizá-lo na internet. Apesar de ser um festival voltado para a tecnologia, houve dificuldades para adaptá-lo.

“Não foi nada automática a transferência para o on-line. Nosso objetivo é promover uma experiência sensitiva para o público, é difícil entender como fazer isso virtualmente. A gente teve uma dificuldade muito grande, porque a tecnologia para fazer isso já é conhecida. Como criar novidades num universo que está sempre inovando?”, questiona Barral.

A solução foi buscar ações especialmente pensadas para o Marte. “Investimos em realidade virtual, videomapping e 3D. Também convidamos artistas inovadores e diferenciados que souberam utilizar a tecnologia a seu favor”, explica Barral.

Entre os destaques está o produtor Craca Beat, cuja performance vai ao ar na sexta-feira (26/3) e consiste em videomapping com drone da Casa de Ópera de Ouro Preto, o teatro mais antigo da América Latina. No sábado (27/3), o artista Leston e a dupla Darklight Studio & Pedra Branca apresentam experiências com realidade virtual.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

A conversa de Barral Lima com Geraldo Ramos, fundador do aplicativo Moises.ai (plataforma de inteligência artificial para auxiliar músicos a criar samples e remixes), abre a programação de hoje (25/3), às 18h. Em seguida, haverá o painel “Arte, cultura, entretenimento e sociedade digital”, com Priscila Gama, Gustavo Ziller, Kdu dos Anjos, Paulo Emediato e Sabina Deweik, mediado por Dani Ribas.

O encerramento da noite ficará por conta da cantora e compositora Yma com o show-performance “Delírio: A vingança do real”, criado em colaboração com o VJ 1mpar.

No sábado (27/3), um dos painéis discutirá novos modelos de festivais, considerando os formatos on-line e híbrido, com representantes dos festivais Sarará, Se Rasgum, MIA e Formemus.

Como organizador de eventos desse tipo, Barral Lima considera que as mudanças causadas pela pandemia são irreversíveis para o mercado musical. “Muitas experiências virtuais vão ficar, porque é possível levar o evento para outros públicos e lugares. É mais um lugar da música, que traz a possibilidade de tornar os shows mais democráticos”, avalia.

Ainda assim, Barral entende que é questão de tempo as apresentações ao vivo voltarem a ter a força de sempre. “Essa experiência não vai mudar nunca. Os festivais estão loucos para voltar. Mas já era hora de os eventos entrarem no mundo virtual. Foi preciso parar tudo para isso ficar forte”, conclui.

Agenda

Confira as atrações do festival, que vai até domingo

QUINTA (25/3)
» A partir das 18h:
•Barral Lima entrevista Geraldo Ramos
•Painel “Arte, cultura, entretenimento e sociedade digital”
•Show “A vingança do real”, com Yma e 1mpar

SEXTA (26/3)
» A partir das 18h:
•Tony Aiex entrevista Bruno Sartori
•Painel “Criatividade, tecnologia e saúde mental”
•Performance “Anseios”, de Beth Freitas
•Performance “Ouro Byte”, de ADA e Michelle Mattiuzzi
•Show de Craca Beat, na Casa de Ópera

SÁBADO (27/3)
» A partir das 10h:
•Workshop “(Re)começo: Além de Marte”, com 1quarto.cc
» A partir das 17h:
•Tony Aiex entrevista Rafael Mantesso
•Show do cantor Giovani Cidreira
•Performance em 3D de Leston
•Experiência de realidade virtual “Sacred geometry”, por Darklight Studio & Pedra Branca

DOMINGO (28/3)
» A partir das 10h:
•Workshop de bordado, com Ali Krupkoski
» A partir das 17h:
•Erick Krulikowski entrevista Luiza Lian
•Painel “Tecnologia e novas experiências na música e nas artes”
•Barral Lima entrevista Fióti
•Show “Paisagem sonora”, com Adriano Campagnani e Ed Zimerer

MARTE FESTIVAL
Desta quinta-feira (25/3) a domingo (28/3), no canal da UN Music no YouTube. 
Gratuito. Mas informações no site do festival. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade