Publicidade

Estado de Minas STREAMING

Veja guia de filmes e séries com ótimas cenas de balada

Plataformas de streaming oferecem títulos nacionais e estrangeiros que mostram encontros familiares e festas, quando a preocupação em manter o distanciamento social não existia


09/08/2020 04:00 - atualizado 09/08/2020 17:42

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia do novo coronavírus, em março passado, reuniões de amigos e família migraram para o ambiente on-line. A interdição de espaços públicos, restaurantes, bares e casas noturnas, que já dura quase cinco meses em Belo Horizonte, altera radicalmente os hábitos de entretenimento e contato social. 

Quando esses espaços voltarem a abrir para o público, terão de cumprir rígidos protocolos de segurança e higiene e seu funcionamento, portanto, não será igual ao que era antes da pandemia. Até lá, resta cumprir o isolamento social, usar máscara e continuar frequentando 
os eventos virtuais. 

Para quem está com saudades de uma baladinha com amigos e família, listamos 10 filmes e séries – todos disponíveis nas plataformas de streaming – que captam de diferentes formas as particularidades desses encontros (onde quer que eles aconteçam).

(foto: Vitrine Filmes/Divulgação)
(foto: Vitrine Filmes/Divulgação)

AQUARIUS
(BRA, 2016, 146 min, de Kleber Mendonça Filho, com Sonia Braga, Maeve Jinkings, Irandhir Santos, Humberto Carrão, Bárbara Colen. 16 anos)
Nos primeiros minutos de Aquarius, quando a protagonista Clara (Sonia Braga) ainda está em sua versão jovem, vivida pela atriz mineira Bárbara Colen, o apartamento localizado no edifício que dá nome ao filme é o cenário para a animada festa de aniversário de tia Lúcia (Thaia Perez). Entre salgadinhos e refrigerantes, adolescentes se pegando na escadaria do prédio e crianças jogando bola no quintal, os convidados também se divertem ao som de Toda menina baiana, de Gilberto Gil.
Onde: Netflix 

(foto: Priscila Prade/Divulgação)
(foto: Priscila Prade/Divulgação)

COMO NOSSOS PAIS 
(BRA, 2017, 106 min, de Laís Bodanzky, com Maria Ribeiro, Clarisse Abujamra, Paulo Vilhena, Jorge Mautner, Felipe Rocha. 14 anos)   
Rosa (Maria Ribeiro) é uma mulher que almeja a perfeição como profissional, mãe, filha, esposa e amante. Filha de intelectuais e mãe de duas meninas pré-adolescentes, ela se sente pressionada pelas duas gerações a ser engajada, moderna e onipresente. O auge da tensão ocorre num diálogo com com a mãe, Clarice (Clarisse Abujamra), que, durante um almoço em família, decide fazer uma revelação crucial para a filha. Antes de a relação azedar, a direção de Laís Bodanzky mostra belas cenas da reunião familiar, as quais estampam, inclusive, o cartaz do filme. 
Onde: Netflix

(foto: Warner/Divulgação)
(foto: Warner/Divulgação)

O GRANDE GATSBY 
(EUA, 2013, 143 min, de Baz Luhrmann, com Leonardo DiCaprio, Tobey Maguire, Carey Mulligan, Jason Clarke, Isla Fisher. 14 anos)   
Baseado no livro do célebre escritor norte-americano F. Scott Fitzgerald (1896-1940), O grande Gatsby é centrado na figura de Jay Gatsby (Leonardo DiCaprio), misterioso e excêntrico milionário americano dos anos 1920, conhecido por oferecer festas luxuosas em sua mansão. O estilo exuberante de Baz Luhrmann faz desse filme um deleite para os olhos. As festas promovidas pelo protagonista ganham, nessa adaptação, um cenário art déco luxuoso e idílico. Apesar de o filme ser ambientado no início do século 20, a trilha sonora original reúne músicas feitas sob encomenda por Beyoncé, Jay-Z, Jack White, Florence And The Machine, Lana Del Rey, entre outros. 
Onde: Netflix 

(foto: Columbia Pictures/Divulgação)
(foto: Columbia Pictures/Divulgação)

GENTE GRANDE 
(EUA, 2010, 102 min, de Dennis Dugan, com Adam Sandler, Salma Hayek, Chris Rock, Kevin James, Maya Rudolph. 12 anos)     
Uma reunião entre amigos pode ser divertida. Agora reunir amigos de longa data, depois que cada construiu uma vida separadamente, pode ser ainda melhor (ou não). No filme, a morte do treinador de basquete da infância de velhos amigos os coloca de volta no mesmo lugar em que celebraram um campeonato, anos antes. Acompanhados de suas esposas e filhos, eles descobrem que idade não significa o mesmo que maturidade. O besteirol é uma boa pedida para quem quer dar gargalhadas com piadas bobas e cenas constrangedoras, além de, no final, trazer uma mensagem sobre o valor da amizade. O filme originou a sequência Gente grande 2, também disponível no streaming. 
Onde: Netflix 

(foto: Melissa Moseley/Divulgação )
(foto: Melissa Moseley/Divulgação )

SUPERBAD - É HOJE
(EUA, 2007, 129 min, de Greg Mottola, com Emma Stone, Jonah Hill, Michael Cera, Seth Rogen, Christopher Mintz-Plasse. 16 anos)    
Os estudantes Seth (Jonah Hill) e Evan (Michael Cera) têm grandes esperanças para a festa de formatura. Nela, eles pretendem beber e conquistar garotas para, finalmente, poder fazer parte do grupo dos populares da escola. Nessa jornada, os amigos se metem em uma série de confusões, e as cenas da festa são o clássico exemplo de como os adolescentes podem, facilmente, perder a linha. Apesar disso, o filme rende ótimas cenas de um humor que também se encaixa na safra dos besteiróis americanos. 
Onde: Netflix 

(foto: Amazon/Divulgação)
(foto: Amazon/Divulgação)

THE MARVELOUS MRS. MAISEL 
(EUA, 2017, 60 min, três temporadas, de Amy Sherman-Palladino, com Rachel Brosnahan, Michael Zegen, Alex Borstein, Tony Shalhoub, Marin Hinkle. 16 anos)
Desde que chegou à Amazon Prime Video, The marvelous Mrs. Maisel é uma das séries mais celebradas da plataforma de streaming. Seja pela caracterização ou pela construção dos personagens, sem dúvida a produção é fruto de trabalho de pesquisa que reconstrói, com bastante fidelidade, os anos 1960 em Nova York. Para além do enredo principal, a série traz uma boa quantidade de cenas em bares da época, onde a personagem principal, Midge (Rachel Brosnahan) apresenta seus ótimos shows de stand-up. 
Onde: Amazon Prime Video

(foto: Neflix/Divulgação)
(foto: Neflix/Divulgação)

SINTONIA 
(BRA, 2019, 40 min, 1 temporada, de KondZilla, com Jottapê, Christian Malheiros, Bruna Mascarenhas. 16 anos)
Narrada a partir das perspectivas de três personagens diferentes, a história de Sintonia explora a interconexão da música, tráfico de drogas e religião em São Paulo. Doni (Jottapê), Nando (Christian Malheiros) e Rita (Bruna Mascarenhas) cresceram juntos na mesma comunidade, sob o fascínio do funk, das drogas e da igreja. Idealizada pelo produtor e empresário KondZilla, a série mostra cenas imperdíveis de bailes funk com o personagem Doni, um MC em ascensão. 
Onde: Netflix

(foto: Netflix/Divulgação)
(foto: Netflix/Divulgação)

POSE
(EUA, 2018, 60 min, duas temporadas, de Ryan Murphy, Brad Falchuk e Steven Canals, com Billy Porter, MJ Rodriguez, Indya Moore, Dominique Jackson, Ryan Jamaal. 16 anos)
Ambientada no final dos anos 1980, em Nova York, Pose mostra o cenário de ascensão da cultura ball, ou seja, dos bailes nos quais a comunidade LGBT podia se expressar livremente, apresentando coreografias e competindo em diferentes categorias. Além de abordar temas espinhosos, como a AIDS e a LGBTfobia, a série mostra ótimas cenas dessas festas, que, à época, aconteciam na surdina, e, vez ou outra, eram interrompidas pela polícia. 
Onde: Netflix

(foto: Netflix/Divulgação)
(foto: Netflix/Divulgação)

ACELERADAS 
(MEX, 2020, 40 min, de Diego Martínez Ulanosky, com Bárbara López, Tessa Ia, Lucía Uribe Bracho, Coty Camacho . 16 anos)  
A série segue a história de três jovens amigas da Cidade do México que fazem uma viagem de fim de semana a Oaxaca, onde encontram uma quarta garota local, que as obriga a mudar de rumo, literal e figurativamente. Vera (Tessa Ia), blogueira de moda que acredita ser a reencarnação de Kurt Cobain; Rocío (Bárbara López), estudante de neurocirurgia com uma vida supostamente perfeita, mas sufocante; Carlota (Lucía Uribe Bracho), feminista e artista incapaz de compartilhar suas criações com o mundo por medo de julgamento; e Marcela (Coty Camacho), viciada em um relacionamento tóxico e cercada por um ambiente hostil. Juntas, elas se divertem em noitadas regadas a margaritas e refletem sobre a vida.
Onde: Netflix 

(foto: Globoplay/Divulgação)
(foto: Globoplay/Divulgação)

TODO MUNDO ODEIA O CHRIS
(EUA, 2005, 20 min, quatro temporadas, de Chris Rock, com Tyler James Williams, Terry Crews, Tichina Arnold, Imani Hakim, Tequan Richmond. Livre)
Recém-chegada à Globoplay, Todo mundo odeia o Chris narra a infância e a adolescência nada fáceis de Chris Rock em Nova York. A série é ambientada na década de 1980 e mostra as agruras de jovem negro que estuda em uma escola frequentada, majoritariamente, por alunos brancos. Longe de ser irreal para o contexto brasileiro, as cenas em que Chris (Tyler James Williams), Drew (Tequan Richmond), Tonya (Imani Hakim), Rochelle (Tichina Arnold) e Julius (Terry Crews) se sentam à mesa para jantar são uma ótima e divertida representação de como as relações familiares podem ser, ao mesmo tempo, cômicas e complicadas. 
Onde: Globoplay


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade