Publicidade

Estado de Minas AUDIOVISUAL

HBO prepara seis produções no Brasil, apesar da pandemia

Estão nos planos série com Pedro Cardoso e Graziella Moretto, adaptação da HQ O beijo adolescente e seriado inspirado em livro de Fernando Scheller. Início das filmagens não está definido


05/08/2020 04:00

Graziella Moretto e Pedro Cardoso criaram e vão protagonizar a série Área de serviço(foto: Acervo pessoal)
Graziella Moretto e Pedro Cardoso criaram e vão protagonizar a série Área de serviço (foto: Acervo pessoal)
Em meio às adaptações que o mercado audiovisual tem de enfrentar por conta da pandemia, a HBO anuncia três novas produções originais brasileiras em fase final de desenvolvimento – ainda sem previsão para filmagens – e outras três coproduções nacionais.

O vice-presidente de produções originais da HBO Latin America, Roberto Rios, informou que um dos novos trabalhos será Área de serviço, série criada por Pedro Cardoso e Graziella Moretto. Nessa comédia dramática, o personagem Jacinto (Cardoso), nascido no Brasil e criado em Portugal, volta ao país para conhecer mais de seu próprio passado. Ele vai morar com a tia em uma mansão e estabelece relação com os funcionários daquela residência.

HUMOR 
“A série atravessa situações de humor e fala da relação entre os empregados e os donos de casa”, explica Rios. “O projeto está totalmente desenvolvido. Já temos algumas análises finais e precisamos passar por questões de produção, mas o processo foi delicioso. Trabalhamos bastante remotamente”, revela o executivo, que mora em Miami. Pedro Cardoso e Graziella Moretto vivem em Lisboa.

Outra produção à vista é a adaptação de O beijo adolescente, HQ do quadrinista, ilustrador e editor paulistano Rafael Coutinho, autor de Cachalote, Muchacha (com Laerte) e Mensur, entre outros trabalhos. No livro, apenas os personagens adolescentes são coloridos, perdendo essa característica quando se tornam adultos. Com o primeiro beijo, eles adquirem superpoderes e se unem em um clã – o protagonista Ariel se vê no centro de uma conspiração que envolve marcas famosas, videogames e uma cidade tomada por gangues e celebridades.

Rafael Coutinho participa do processo de adaptação como consultor. O executivo da HBO diz que a série vai se aproveitar da inventividade presente no livro. “São muitas possibilidades narrativas do ponto de vista visual, acredito que vá atrair diretores a explorar muitas soluções”, diz Rios.

A terceira produção original também é adaptação, mas de um romance: O amor segundo Buenos Aires (Intrínseca), escrito pelo jornalista, escritor e roteirista Fernando Scheller. O livro começa no Brasil, ruma para a capital argentina e se torna um mosaico de histórias sobre o tema do amor.

“É um drama mais estruturado, retrata a história muito bacana sobre ser estrangeiro e ter de se adaptar à vida nova em outro país”, antecipa o vice-presidente da HBO Latin America. Scheller participa da sala de roteiristas com outros três colegas argentinos. “É uma série diferente, será falada em português e espanhol ao mesmo tempo”, explica Rios.
Bobiography mostrará a trajetória do skatista brasileiro Bob Burnquist (foto: Youtube/reprodução )
Bobiography mostrará a trajetória do skatista brasileiro Bob Burnquist (foto: Youtube/reprodução )

PROJETOS 
Outras coproduções documentais da HBO se encontram em diferentes estágios de produção ou aprovação pela Agência Nacional do Cinema (Ancine). Três projetos já foram aprovados pela agência.

O documentário Odilon, réu de si mesmo, coproduzido com a Yourmama, vai detalhar o isolamento em que vive o juiz federal Odilon de Oliveira, responsável pelas condenações de Fernandinho Beira-Mar e Juan Carlos Abadia, entre outros criminosos.

A série documental Bobiography, coproduzida com a Goma Filmes e Vetor Filmes, conta a vida do skatista Bob Burnquist. “Temos material de todos os anos da vida dele, é um projeto muito divertido”, garante o produtor.

Já Guto Barra e Tatiana Issa, da série Fora do armário, vão dirigir Coisa de menino, com a proposta de discutir comportamentos e valores associados à “masculinidade tóxica”. A produção é parceria com a Producing Partners.

Outras produções ainda dependem da aprovação da Ancine: Público – As fotos privadas de Rose Leonel, Meninas de Realengo, A alma do negócio e O mundo invisível dos games.

De acordo com Rios, a prioridade da HBO, durante a retomada das atividades, é voltar à produção em circunstâncias de segurança para os trabalhadores. “Uma produção demora pelo menos 10 meses. Vamos ter que correr e pensar formas diferentes para cobrir o atraso”, afirma o vice-presidente da HBO Latin America. (Estadão Conteúdo)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade