Publicidade

Estado de Minas AUDIOVISUAL

Mostra de cinema faz edição com competição e prêmios via internet

Sétima edição do Festival Internacional de Cinema de Brasília começa nesta terça (21), com acesso gratuito aos filmes e workshops


postado em 20/04/2020 04:00 / atualizado em 20/04/2020 11:32

Musa da nouvelle vague, a atriz Anna Karina, morta em dezembro passado, aos 79 anos, é homenageada com o filme de abertura da mostra(foto: KIM JAE-HWAN/AFP)
Musa da nouvelle vague, a atriz Anna Karina, morta em dezembro passado, aos 79 anos, é homenageada com o filme de abertura da mostra (foto: KIM JAE-HWAN/AFP)

Em razão da pandemia do novo coronavírus, a 7ª edição do Festival Internacional de Cinema de Brasília (BIFF) será realizada totalmente on-line, a partir desta terça-feira (21). A programação promove um tributo a Kirk Douglas, ator norte-americano que morreu no último dia 5 de fevereiro, aos 103 anos, além de uma mostra competitiva com oito títulos inéditos no Brasil, entre ficções e documentários.

"Estávamos com praticamente tudo pronto, parcerias firmadas com diversos espaços de cinema em Brasília e, quando começaram os rumores de que os grandes festivais internacionais, como Tribeca (em Nova York) e Cannes (França), seriam adiados ou cancelados, passamos a lidar com essa possibilidade", conta Anna Karina de Carvalho, diretora do evento.


SOLUÇÃO

Na iminência da crise provocada pela propagação da COVID-19 no Distrito Federal, a solução encontrada foi transpor a programação das salas de cinema para o ambiente virtual. "No primeiro momento, alguns realizadores ficaram inseguros com a proposta, mas logo eles perceberam que essa seria a única forma, neste momento, de exibir os filmes, que, claro, foram feitos para o cinema, mas também foram feitos para ser vistos", afirma a diretora do festival.

As exibições serão feitas pelo site www.biffestival.com. Para acessar os títulos, será necessário preencher um cadastro. Grande parte dos filmes estará disponível durante todo o período de realização da mostra, que vai até domingo (26). Determinadas produções, contudo, somente poderão ser acessadas em horários predeterminados.

Destaque na programação, a mostra em tributo a Kirk Douglas reunirá alguns dos maiores sucessos da carreira do ator, como A montanha dos sete abutres (1951), Sede de viver (1956) e Spartacus (1960). O filme de abertura será Anna Karina, para você lembrar (2017), de Dennis Berry, forma que o festival encontrou de homenagear a musa da nouvelle vague que faleceu em dezembro passado, aos 79 anos.

"Dennis foi companheiro da atriz até seus últimos momentos", conta Márcio de Andrade, diretor de programação do BIFF. "O que ele faz nesse filme é um retrato afetivo da trajetória da atriz, para que ela mesma se lembrasse e, também, para que nos lembremos dela."

Na mostra Grandes Pré-Estreias está Liberté, longa vencedor do prêmio especial do júri da mostra Um Certo Olhar, no Festival de Cannes do ano passado. A obra do espanhol Albert Serra retrata uma noite de jogos sexuais que reúne libertinos em uma floresta no século 18.

O polonês Corpus Christi, de Jan Komasa, indicado ao Oscar de Melhor Filme Internacional neste ano (categoria vencida por Parasita), integra a mostra competitiva. A trama gira em torno de um jovem de 20 anos com um passado de crimes que decide aceitar a função de sacerdote num vilarejo.

Também competem Encantado, o Brasil em desencanto, de Filipe Galvon; The french teacher – Um amor a três, de Stefania Vasconcellos; Mapa de sonhos latino-americanos, de Martín Weber; Me leve para um lugar legal, de Ena Sendijarevi; Hálito azul, de Rodrigo Areias; Fendas, de Carlos Segundo, e Blue girl, de Keivan Majidi.

O júri presidido pela atriz Bárbara Paz definirá o vencedor, que será anunciado no domingo (26), em transmissão on-line. O melhor filme leva um prêmio de R$ 10 mil, assim como o favorito do júri popular.

Novidade da sétima edição, o BIFF Júnior, também de cunho competitivo, apresentará seis filmes voltados ao público infantojuvenil. Sob a curadoria de Luciana Druzina e Anna Karina de Carvalho, serão exibidos títulos como a animação espanhola Mortadelo e Salaminho em missão inacreditável, a comédia norte-americana CRSHD, a animação brasileira Peixonautas: o filme e a coprodução Colômbia e Uruguai O livro de Lila.

O festival também contará com uma programação de workshops virtuais gratuita. O curador Mario Abbade dará cinco aulas sobre o homenageado da mostra, Kirk Douglas. “Documentário – Da origem à produção contemporânea" é o tema da oficina ministrada pela jornalista Flávia Guerra. O debate "Mulheres em protagonismo – A batalha feminina por espaço no mercado audiovisual" será feito entre a produtora Débora Ivanov e as jornalistas Flávia Guerra e Krishna Mahon, com mediação da cineasta Cibele Amaral.

O polonês Corpus Christi, indicado ao Oscar de melhor filme internacional neste ano, está na mostra competitiva(foto: Aurum Films/Divulgação)
O polonês Corpus Christi, indicado ao Oscar de melhor filme internacional neste ano, está na mostra competitiva (foto: Aurum Films/Divulgação)


FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE BRASÍLIA

Confira a programação da sétima edição do evento, que começa amanhã

21/4 (TERÇA)

>> Anna Karina, para você lembrar, de Dennis Berry – disponível das 19h30 às 23h59
>> Blue girl, de Keivan Majidi
>> O livro de Lila, de Marcela Rincón
>> Serrado, de Erik de Castro
>> A montanha dos sete abutres, de Billy Wilder

22/4 (QUARTA)

>> Fendas, de Carlos Segundo
>> Mapa de sonhos latino-americanos, de Martín Weber
>> Peixonautas: o filme, de Célia Catunda, Kiko Mistrogiro, Rodrigo Eba
>> O tesouro esquecido, de Tom Ehrhardt
>> Um sonho de família, de Ginevra Elkann
>> Sua última façanha, de David Miller

23/4 (QUINTA)

>> Hálito azul, de Rodrigo Areias
>> Encantado, o Brasil em desencanto, de Filipe Galvon
>> Mortadelo e Salaminho em missão inacreditável, de Javier Fesser
>> Uma lição de amor, de Amélie van Elmbt
>> Sede de viver, de Vincente Minnelli e George Cukor

24/4 (SEXTA)

>> The french teacher – Um amor a três, de Stefania Vasconcellos
>> Corpus Christi, de Jan Komasa
>> CRSHD, de Emily Cohn
>> Liberté, de Albert Serra – disponível a partir das 19h
>> Assim estava escrito, de Vincente Minnelli

25/4 (SÁBADO)

>> Me leve para um lugar legal, de Ena Sendijarevi?
>> Um herói especial, de Eros Puglielli
>> Liberté, de Albert Serra – até 23h59
>> Spartacus, de Stanley Kubrick

26/4 (DOMINGO)

>> Ana, de Charles McDougall
>> Até que você me ame, de Edward A. Palmer
>> Cerimônia de premiação – disponível a partir das 20h30


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade