Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

O que esperar do S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L no Mineirão neste sábado

Festival promove 11 encontros musicais. Serão 12 horas de programação. Evento tem esquema antichuva


postado em 08/02/2020 04:00 / atualizado em 08/02/2020 07:50

Gaby Amarantos e Duda Beat dividem o Palco Sensa, a partir das 21h45(foto: Jr Franch/Divulgacão)
Gaby Amarantos e Duda Beat dividem o Palco Sensa, a partir das 21h45 (foto: Jr Franch/Divulgacão)

A escalação, com o perdão do trocadilho, é sensacional. Durante 12 horas deste sábado (8), a partir do meio-dia, 40 artistas – cantores, bandas, blocos de carnaval e DJs – desfiam seu repertório na Esplanada do Mineirão. Em sua oitava edição, o S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L. celebra a diversidade da música brasileira em três palcos, mais um circuito e tendas.

Se a chuva vier, o público estará preparado. Serão distribuídas 10 mil capas de chuva no evento a céu aberto – há cobertura na área do palco Chacoalha e na Praça de Alimentação. Melhor que ela não venha; afinal, a programação é intensa.

Neste ano, o evento vai promover 11 encontros musicais no palco. Exemplos: Pabllo Vittar participa do show de Emicida; Gaby Amarantos faz dobradinha com Duda Beat; Johnny Hooker canta com Liniker e os Caramelows; Letrux interpreta suas próprias canções com a banda carioca Biltre. A convite do Estado de Minas, alguns desses nomes responderam às mesmas perguntas. Veja como eles se saíram.

No que você e seu (sua) parceiro (a) neste show são iguais e no que são diferentes?
Pabllo Vittar – Emicida e eu temos estilos e referências diferentes. Mas, independentemente da vertente musical, ele é um artista que, como eu, busca passar mensagens de inspiração e luta por direitos através das canções.
Johnny Hooker – Acho que eu e a Liniker compartilhamos essa coisa do romântico dentro da música. Também temos essa natureza um pouco maternal. Gostamos de cuidar dos outros, de ouvir as pessoas de coração aberto, de olhar nos olhos. São energias bastante intensas, mas que são diferentes. Acho que o drama das minhas canções é mais uma maneira de queimar, exorcizar as coisas; já nas dela, é uma maneira de sentir e nutrir esse amor que ela vive e sente. Acho que, para além das nossas questões identitárias, a música que fazemos é essencialmente popular e brasileira.
Gaby Amarantos – Eu e a Duda Beat temos muitas coisas parecidas. Sempre falo para ela que, quando a vi surgindo no mercado, percebi semelhanças na nossa identidade musical: falamos de amor, misturamos música eletrônica. Nos figurinos, a gente curte a parada dos brilhos, do fashionismo. E somos de dois polos culturais, Recife e Belém, que têm muita conexão. O diferente é a questão da raça: eu sou negra, ela é branca. O que a gente tenta fazer no palco é mostrar duas mulheres unidas para falar de amor, do poder do feminino.
Biltre – Acho que nós e a Letrux temos um humor ácido que converge e uma presença de palco visceral. O som é um pouco diferente, mas somos da mesma tribo: ela é mais densa e intensa e a gente é mais leve e brincalhão.

O que dá para adiantar do show de vocês dois no festival?
Pabllo Vittar –  A banda é a do Emicida, que eu amo muito. É sempre um prazer dividir o palco com eles, mas só farei uma participação.
Johnny Hooker – O show será guiado pelo repertório da Liniker e dos Caramelows e minha participação se dá num bloco só, acredito. Vamos fazer algumas das que são mais populares. Vai ser emocionante.
Gaby Amarantos – Vou cantar com a banda da Duda. Prefiro manter surpresa, mas pode ter certeza de que vai ser muito potente. No último fim de semana, participei, de surpresa, do show dela no Circo Voador (no Rio) e quando a gente está juntas é só alegria, amor e muito poder da xana no palco.
Biltre – O show vai ser só Biltres na banda e a diva divando. Vamos cantar Vamos gozar (que Letrux gravou com a banda) e uns hits do Climão (Em noite de climão, álbum de 2017 da cantora). Tiramos os arranjos tentando ser fiéis ao fonograma original. Flerte não pode faltar para fazer o pessoal fritar.

Com quem você nunca dividiria palco e com quem gostaria de dividir?
Pabllo Vittar – Não dividiria palco com qualquer pessoa que não respeite os outros. Fora isso, amo dividir o palco, é sempre uma experiência maravilhosa.
Johnny Hooker Nunca dividiria com alguém que simpatiza e compactua com o nazismo, com o fanatismo religioso, com a censura e a perseguição que a gente está vendo neste país. Gostaria de dividir com tantos artistas maravilhosos que fazem da música brasileira uma das mais diversas e mais respeitadas do mundo. Olhando para a escalação do S.e.n.s.a.c.i.o.n.a.l., não tem um artista com o qual eu não me sentiria honrado em dividir o palco.
Gaby Amarantos – Não me vem na cabeça alguém com quem não dividiria palco, porque sou muito da inclusão, do diálogo, do amor. Dividiria o palco com o line up inteiro do festival. Com algumas pessoas, inclusive, já cantei junto – Elba, Chico César, Emicida. Mas tem um monte de gente maravilhosa com quem ainda quero cantar, como Nação Zumbi, Liniker. Adoro fazer festival, porque sempre saem parcerias. É o momento de celebrar essa diversidade toda.
Biltre – Não dividiríamos o palco com pessoas que não acreditam nas mesmas coisas fundamentais em que a gente acredita. Divergir em opiniões é importante para o convívio democrático. Agora, terraplanistas não caberiam nesse palco.

A cantora Letrux(foto: ANA ALEXANDRINO/DIVULGAÇÃO)
A cantora Letrux (foto: ANA ALEXANDRINO/DIVULGAÇÃO)

Palco Budweiser
14h30 – Nação Zumbi
16h – Hot e Oreia
17h30 – Rosa Neon
19h – Biltre convida Letrux
20h30 – Emicida convida 
Pabllo Vittar
22h20 – Baianasystem

Palco Sensa
14h – Bloco do Sargento Pimenta
15h30 – Graveola convida Chama o Síndico e Então, Brilha!
17h – Liniker e os Caramelows convida Johnny Hooker 
18h30 – MC Tha
20h – Elba Ramalho convida 
Chico César
21h45 – Duda Beat convida 
Gaby Amarantos

Palco Chacoalha
12h – DJ Luiz Valente
15h – Palomita DJ
15h30 – Bonde do Dub, Zion Love e Shiron The Iron
16h20 – Palomita DJ
16h50 – Nath Rodrigues convida Júlia Branco
17h40 – Palomita DJ
18h10 – Pequena Morte convida Marina Peralta
19h – Palomita DJ
19h30 – Fenda
20h20 – Palomita DJ
20h50 – Yônika convida Claudia Manzo
21h40 – Palomita DJ
22h10 – Delatorvi

Circuito
13h – G.R.E.S. Cidade Jardim
16h – Magnólia
18h – Babadan Banda de Rua
18h30 – Unidos do Samba Queixinho
21h15 – Sagrada Profana

Tendas
12h – Deska Sound System
18h – Masterplano convida alka



FESTIVAL S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L
Neste sábado (8), a partir das 12h, na Esplanada do Mineirão. Ingressos: R$ 50 (preço único). Vendas pelo site Sympla. Entrada pela Esplanada Sul – Avenida Coronel Oscar Paschoal, Pampulha (perto da Escola de Veterinária da UFMG). Estacionamento: G1 Avenida Abrahão Caram (em frente ao Mineirinho) e G1 Avenida C (em frente à UFMG). Valor: R$ 30 (carro) e R$ 60 (van). 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade