Publicidade

Estado de Minas CINEMA

Elenco de Parasita vence prêmio dos atores de Hollywood


postado em 21/01/2020 04:00

Depois de conquistar seis indicações ao Oscar, incluindo a de melhor filme, no último dia 3, o longa sul-coreano Parasita, de Bong Joon-Ho, voltou a fazer história nesse domingo (19), ao conquistar o principal prêmio do Sindicato de Atores (SAG) – o de melhor elenco de longa. Foi a primeira vez que um filme estrangeiro venceu esse prêmio.
 
"Estou um pouco envergonhado de sentir que somos os parasitas de Hollywood agora", brincou o ator Lee Sun-Kyun, que interpreta o senhor Park no longa. Com mais esse resultado favorável, o cineasta sul-coreano admitiu que seu filme está "ganhando um impulso" para o Oscar, referindo-se às chances de Parasita ganhar a estatueta de melhor filme. A vitória do filme na categoria melhor filme internacional já é dada como certa.
 
Combinando os gêneros de comédia, drama e terror, a produção trata de uma família pobre que se infiltra. A partir disso, o filme tematiza o abismo de classes de maneira irônica e inteligente.
"Embora o título seja Parasita, acredito que o filme trate de convivência e de como podemos viver todos juntos", disse o ator Song Kang-ho, que interpreta o patriarca do clã pobre da trama.
 
A vitória na comunidade dos atores, que compõem uma grande parte dos votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, é mais um indício da extraordinária popularidade do filme em Hollywood. Parasita derrotou concorrentes como O escândalo, que reúne as atrizes Nicole Kidman, Charlize Theron e Margot Robbie; O irlandês, com Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci; e Era uma vez em... Hollywood, com Brad Pitt, Leonardo DiCaprio e Margot Robbie.
 
Em cerimônia repleta de astros em Los Angeles, os atores e atrizes apontados como favoritos em suas respectivas categorias no Oscar consolidaram esse status. Joaquin Phoenix foi escolhido melhor ator por Coringa, depois de vencer também o Globo de Ouro. Renée Zellweger venceu por sua interpretação de Judy Garland em Judy: muito além do arco-íris, que relata os difíceis dias finais da diva. Brad Pitt acumulou mais uma estatueta de ator coadjuvante por Era uma vez em... Hollywood, de Quentin Tarantino, e arrancou risadas ao dizer que deveria acrescentar essa informação em seu perfil no Tinder.
 
Na categoria de melhor atriz coadjuvante, Laura Dern conquistou mais um prêmio por seu papel como a advogada que defende os interesses da personagem de Scarlett Johansson em seu processo de divórcio em História de um casamento. Robert De Niro foi homenageado pelo conjunto da obra. (AFP)

Na festa com o ex


Jennifer Aniston foi a vencedora na categoria melhor atriz em série dramática, por sua atuação em The Morning show, nos prêmios SAG. Já Brad Pitt ficou com o prêmio de melhor ator coadjuvante em filme, pelo papel do dublê que desempenha em Era uma vez... em Hollywood. No entanto, o que chamou a atenção do público cinéfilo não foi o reconhecimento que os dois tiveram no palco da premiação do Sindicato dos Atores, mas sim seu encontro nos bastidores da cerimônia. Pitt e Aniston foram casados de 2000 a 2005, ano de lançamento de Sr. e Srª Smith, em que Brad Pitt atuou ao lado de Angelina Jolie. Depois de se separar de Jennifer, Pitt e Jolie formaram um casal e tiveram seis filhos. No domingo, os fotógrafos registraram quando Brad Pitt e Jennifer Aniston se cumprimentam e a divulgação de algumas imagens deixou a internet em polvorosa, tornando esse um dos assuntos mais comentados em redes sociais. (Agência Estado)



Publicidade