Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Poesia e lirismo em missa cantada


postado em 10/06/2019 04:08



Inspirado no musical Missa dos quilombos, do qual fez parte por mais de 10 anos, o cantor, compositor e violonista mineiro Ladston do Nascimento teve a ideia de compor a Missa dos contos de Deus. Com direção do músico Geraldo Vianna, o espetáculo será apresentado nesta terça-feira (11), às 20h, no Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil Vallourec. Para colocar o projeto em prática, Ladston convidou o poeta e músico Antônio Martins.

“A ideia de compor uma missa começou a germinar em minha cabeça em meados de 2004. Falei para o Martins da minha intenção naquela época e ele topou na hora. Além de amigo, ele é também meu parceiro em várias canções já trilhadas. Mas, quanto à missa, disse-lhe que esta não deveria ter a formalidade natural de uma celebração, mas que fosse apenas cantada, o que ele entendeu imediatamente”, lembra Ladston.

O músico confessa que sempre foi fã da Missa campal, apresentada pelo Quinteto Violado, e da Missa breve, de Edu Lobo. “Na verdade, elas me inspiraram muito”. Ladston garante que foi muito bom participar da Missa dos quilombos. “A montagem é da Companhia Ensaio Aberto, com músicas de Milton Nascimento, texto de dom Pedro Casaldáliga e Pedro Tierra, direção de Luiz Fernando Lobo e direção musical de Túlio Mourão. É um espetáculo maravilhoso e nos inspirou realmente a compor a Missa dos contos de Deus”, ressalta. “Este espetáculo já tem mais de 15 anos, mas somente agora resolvemos apresentá-lo. Na época, fui mandando as músicas para o Martins, que foi fazendo as letras”, acrescenta.

Já Martins conta que a Missa dos contos de Deus é uma ideia que nasceu do próprio parceiro, quando Ladston ainda estava encenando a Missa dos quilombos, em 2004/2005. “Trata-se de uma missa cantada, com músicas dele e minhas também. Os textos e roteiros são meus”.

O poeta lembra que tudo começou a partir de uma troca de conversas entre os dois.“Fomos rememorando passagens do que já havíamos feito e, dessa maneira, a coisa foi tomando um rumo maior, com Ladston compondo canções num ritmo fora do nosso normal e me exigindo a criação das letras. Foi então que percebi que teríamos que ter um enredo como se uma liturgia fosse. Lembrei-me de um texto escrito sob encomenda para uma missa de bodas de ouro e isso passou a ser o meu norte”, esclarece Martins.

Ele garante que foi assim que a Missa dos contos de Deus começou a tomar corpo e alma com as canções e os textos. “Desde essa época, alimentamos o sonho de levar o trabalho para o palco, ainda que para uma apresentação simples, mas que trouxesse a sonoridade da grande mistura musical brasileira que nos identifica no mundo, contando com a participação de músicos comprometidos, com o que queríamos musicalmente e ainda queremos, como uma futura gravação em CD, com arranjos de Edu Lobo e Cristóvão Bastos”, espera Martins.

VERSÕES

O poeta ressalta que já tem duas versões da Missa dos contos de Deus, sendo uma pré-gravação que fez com o próprio Ladston e uma outra com a participação de Robertinho Silva na percussão. Além de Ladston (voz e violão) e Martins (voz), o musical conta ainda com a presença dos músicos Ênio Flávio, Paulo Loureiro e Fernando Muzzi nos vocais; Márcio Batista na percussão; Renato Saldanha no violão; e Sérgio Rabello no baixo e cello. (AGP)


MISSA DOS CONTOS DE DEUS
Nesta terça-feira (11), às 20h, no Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil Vallourec (Avenida Amazonas, 315, Centro). Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada ou com a apresentação do flyer).  Informações: (31) 3201-5211


Publicidade