Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Calçada Cilada


postado em 10/05/2019 05:08





Uma campanha nacional batizada de Calçada Cilada parece que não chegou por aqui. Nem sei se é por falta de grana ou de educação, é raro moradores de casas e edifícios se incomodarem com seus passeios. Quem circula pela Cidade Jardim, que já foi o bairro mais seleto da cidade, percebe isso claramente. Não é raro que quem quiser passar em alguns quarteirões tenha de andar no leito da rua, porque a calçada está em pandarecos. A prefeitura andou fazendo uma campanha para que os moradores fizessem aquele ajuste de calçada com piso especial para deficientes e o negócio não funcionou muito porque as peças do piso que deveriam ser colocadas no chão (aquelas vermelhas) ganharam preços altíssimos. O que devia ser um benefício para a cidade acabou se transformando num benefício para os produtores do azulejo.

Junto com os passeios, as calçadas ganham com frequência alguns buracos deixados por árvores que caíram, foram cortadas e os donos da casa no mesmo espaço não tomaram conhecimento das armadilhas. Engraçado é que as pessoas desconhecem que os passeios fazem parte das moradias, desde os tempos coloniais, quando ganhavam aquelas belas e grandes pedras que atualmente não podem mais ser usadas. Só nas cidades históricas são permitidas. Assim mesmo, com restrições. Durante o mês de abril, a campanha nacional Calçada Cilada mobilizou redes e convidou a população a participar de um mutirão de mapeamento da situação das calçadas de todo o Brasil. No total, foram registrados 1.571 ciladas ao pedestre, chamando a atenção para situação da mobilidade a pé nas cidades brasileiras.

Assim como nas outras edições, que ocorrem desde 2014, o objetivo principal é engajar a população em favor de cidades mais caminháveis e acessíveis. Com ao menos uma participação em 38 municípios e 10 estados, os números seguem revelando, infelizmente, a falta de compromisso e o estado crítico das nossas calçadas, ruas, passagens e caminhos. Os principais apontamentos indicam calçada irregular, falta de acessibilidade e calçada inexistente. Também merecem destaque os buracos, obstáculos e lixo.

Os moradores se esquecem que a calçada é uma infraestrutura simples e fundamental para a circulação das pessoas em qualquer cidade civilizada. A campanha, que está em sua sexta edição, nasceu em São Paulo, com Silvia Stuchi, gestora ambiental e integrante do Corrida Amiga, que idealiza a iniciativa. É bom não esquecer a quantidade de pessoas que quebram pernas, braços e até o rosto ao perder o equilíbrio em um buraco no passeio. Como as ruas são normalmente com pouca iluminação, não é difícil um problema passar despercebido. A coluna conhece muitas pessoas que já levaram esse tipo de queda, ferindo tanto o rosto, que depois é preciso fazer cirurgia plástica.


Publicidade