Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Mais que um movimento

Com coreografias, debates, filmes, exposição e livro, BH celebra Dia internacional da dança e faz reverência especial ao cinquentenário de trajetória de Dudude Herrmann


postado em 28/04/2019 05:09

A coreógrafa e bailarina Dudude Herrmann, que estará no centro das homenagens programadas para o Sesc Palladium e o Galpão Cine Horto (foto: Frederico Herrmann/Divulgação)
A coreógrafa e bailarina Dudude Herrmann, que estará no centro das homenagens programadas para o Sesc Palladium e o Galpão Cine Horto (foto: Frederico Herrmann/Divulgação)


Com uma programação extensa, o Sesc Palladium comemora o Dia internacional da dança, celebrado amanhã, 29 de abril. Uma das principais ações é o projeto Mix Dança – Semana da Dança no Sesc Palladium, que será realizado a partir deste domingo (28), prosseguindo até 5 de junho. O evento traz espetáculos, performances, oficinas, sessões de cinema e debates relacionados à dança. A abertura acontece às 17h, no Cine Sesc Palladium, com o filme Memória silenciosa, dirigido por Andre Semenza e Fernanda Lippi. Nesta edição especial, o Sesc aproveita para homenagear Dudude Herrmann, bailarina, coreógrafa, diretora de espetáculos e professora de dança, que comemora 50 anos de carreira, com a Mostra Dudude 50 – Trajetória singular.

Assim, neste domingo, às 18h, ela estará no Foyer do Sesc Palladium com a performance Le balai est la même chose que le ballet. Às 19h, no Grande Teatro do Sesc Palladium, a Cia Sesc de Dança apresenta as coreografias Terminal A2, Oblivion e o Grand Pas de Deux de O Quebra-Nozes. Na terça-feira (30), no Grande Teatro do Sesc Palladium, espetáculo didático com a Cia Sesc de Dança e, no Cine Sesc Palladium, exibição do filme Pendular, dirigido por Júlia Murat.

Janaína Cunha, gerente cultural do Sesc, conta que, inicialmente, a ideia de fazer este evento era celebrar o Dia da Dança e também propor uma abordagem que tivesse um olhar atento para a questão da formação, além das apresentações. “Todos os anos, somos procurados por produtores, gestores e empreendedores para criarmos alguma iniciativa para comemorar esta data. Acolhemos as propostas e decidimos criar uma convergência com os projetos do Sesc, em vez de fazermos ações isoladas”.

A programação continua de quarta (1º) a domingo (5), com a exposição Cia Sesc de Dança – 5 anos e a Oficina Motion Bank Lab Brasil, com Thembi Rosa e Margô Assis, e o espetáculo de dança Sublime travessia, com Dudude Hermann. Na quinta-feira (2), Oficina Motion Bank Lab Brasil, com Dorothé Depeauw, Thembi Rosa e Margô Assis e o debate Possibilidades de formação em dança: compartilhando experiência, além da apresentação do Bols & Worp, trio de dança, som e luz de Dorothé Depeauw, Matthias Koole e Flávia Mafra.

OFICINA

Na sexta-feira (3), Oficina Motion Bank Lab Brasil, com Thembi Rosa e Margô Assis, a intervenção urbana Parquear Bando Motion Bank Lab Brasil, com saída do Sesc Palladium, e a conversa Acervos Digitais em Dança – Motion Bank Lab Brasil. Sábado (4), Oficina Motion Bank Lab Brasil, com Dudude Hermann, e a roda de diálogo No Sofá com Dudude. Finalizando, domingo, (5), em debate Dança e Tecnologia, com Daniel Bisig.

“O objetivo é criar um ambiente que possibilite este movimento e que busque projetar também o papel do Sesc Minas, que é o de impulsionar a formação artística por meio de várias possibilidades, tanto dos convidados nacionais e internacionais como o que acontece com os nossos grupos, como é o caso da Cia Sesc de Dança”, ressalta a gerente. “É importante lembrar que o Sesc sempre procura criar projetos de informação para todas as linguagens de pensar a cultura e arte, não apenas como uma apresentação artística pontual, mas também como um processo de conhecimento e aprimoramento.”


Quando varrer vira ato poético

A performance Le balai est la même chose que le ballet reunirá cerca de 20 artistas parceiros de trajetória de Dudude Herrmann e vai recorrer a um artigo um tanto peculiar. “Ter a vassoura como objeto funcional nas ações ordinárias do viver. Extrair imagens nas quais o ato de varrer desliza para a ação do dançar. Deslizar, varrer, escorregar, cantar, delirar, limpar, transitando entre espaços para assim desenhar um espaço possível em que, por meio da repetição, da insistência, ganha volume, porosidade e ressignificâncias singulares”, explica a coreógrafa.

Dudude conta que, nesta performance, os convidados iniciarão a ação coletiva de varrer o Foyer do Sesc Palladium. “A vassoura é a mesma coisa que o balé. Convidei colegas, amigos, parceiros e colaboradores para varrermos juntos, fazer um trabalho que tenha apoio na poética do sim. E que também abasteça um pouco de alegria. Precisamos varrer nossas tristezas, os absurdos que vivemos, como a insanidade e a violência”.

Ela cita o olhar solidário e de cumplicidade sobre os companheiros de jornada. “Somos colegas de ofício e precisamos reconhecer no outro o lugar de potência e colaboração. Reconhecer também nossos laços fraternos de camaradagem e troca, ainda mais nestes tempos ácidos”, ressalta Dudude. As comemorações pelo cinquentenário seguirão até junho, quando lançará o livro Ela sentou na cadeira, com textos sobre improvisação e contos compilados. “Na verdade, sou uma escrevedora e não uma escritora”, diz.

SOLO

Dudude ressalta que a proposta da residência artística Improvisação, Ação, Sentidos Composição, ministrada por ela, é de criar estímulos para a composição a partir da ‘escuta sensível’ de cada acontecimento. “São três espetáculos-solo que apresentam momentos distintos do meu percurso artístico. O objetivo é ampliar, para cada participante, o entendimento de espaço, de lugar, de acontecimento, de ação, de dança”.

Sobre Sublime Travessia, nova obra, Dudude explica que a necessidade de travessia de um corpo artístico estilizado, potente de intuição e instinto, repousa também no campo das afetividades. No espetáculo Maria de Lourdes em tríade, que comemora 15 anos, elenca pontos nos quais um afeto, um nada, uma fuga coexistem em lugares ordinários da vida. “É um monólogo em que disserto sobre estares: afeto/casa, nada/trabalho, fuga/lazer”, explica.

Em A projetista, ela simboliza esses terrenos áridos, secos, desnutridos, muito rasos. “Todos repletos e plenos de possibilidades de construção, onde só a imaginação alcança”. Mas sem perder a fé no que virá. “Acho que esta continuação tem a ver com a esperança de, quem sabe, um dia melhore. O que a gente esta fazendo é muito isto. Comecei no final dos anos 70, época que também era difícil trabalhar e a gente sabia disto. Pergunto: quando foi fácil trabalhar com arte neste país? Temos que ter uma inquietude, uma necessidade gigante para continuar com nossos projetos”, enfatiza.

E o PA entra na dança

A Fundação Clóvis Salgado também comemora o Dia Internacional da Dança, realizando edição especial da série permanente Encontros com a Cia. De Dança amanhã (29). Está prevista a aula aberta Improvisação a partir do jogo, às 13h. Às 15h30, a palestra Tensionamentos entre arte e instituição pública: reflexões sobre a Cia. de dança Palácio das Artes. Na terça-feira (30), aula aberta Conhecendo a técnica de Fletchter Pilates. Às 18h30, aula aberta Descobrindo um corpo dançante. Na quinta-feira (2), às 13h, aula aberta de Gyrokinesis. Às 15h, workshop Trechos do repertório coreográfico da Cia. de Dança. Ainda a aula aberta Técnica clássica, sexta-feira, às 13h. Às 15h, workshop Trechos do repertório coreográfico da Cia. de Dança. Dias 9 e 10, 20h, o espetáculo Lalangue: carta à mãe. As inscrições podem ser feitas pelo site: https://forms.gle/4xcKxcamffuKT68TA. Entrada gratuita. Informações: (31) 3236-7321 e www.fcs.mg.gov.br


Programe-se
MIX DANÇA – SEMANA DA DANÇA SESC PALLADIUM E MOSTRA DUDUDE 50 – TRAJETÓRIA SINGULAR

>> Domingo (28), às 17h, no Cine Sesc Palladium, Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, (31) 3270-8100. Exibição do filme Memória silenciosa, dirigido por Andre Semenza e Fernanda Lippi. Entrada franca, com retirada dos ingressos 30 minutos antes da sessão. Às 18h, no Foyer, performance Le balai est la même chose que le ballet, com Dudude Herrmann. Às 19h, no Grande Teatro do Sesc Palladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, a Cia Sesc de Dança apresenta espetáculo com as coreografias Terminal A2, Oblivion e o Grand Pas de Deux de O Quebra-Nozes. R$ 20 (inteira).

>> Terça-feira (30), às 14h30, no Grande Teatro do Sesc Palladium, espetáculo didático com a Cia Sesc de Dança. Inscrições no site: ciadedanca@sescmg.com.br. Às 20h, no Cine Sesc Palladium, o filme Pendular, dirigido por Júlia Murat.. Entrada gratuita, com retirada de ingressos 30 minutos antes da sessão. Censura 18 anos.

>> De quarta (1) a domingo (5), das 9h às 21h, no Mezanino, exposição Cia Sesc de Dança – 5 anos. Entrada franca. Das 15h às 17h, Oficina Motion Bank Lab Brasil, (projeto de pesquisa da Mainz University of Applied Sciences codirigido por Florian Jenett e Scott deLahunta), com Thembi Rosa e Margô Assis. Às 19h, espetáculo de dança Sublime travessia, com Dudude Herrmann. Grande Teatro do Sesc Palladium. R$ 20 (inteira) pelo www.ingressorapido.com.br ou na bilheteria. Segunda temporada, dias, 17, 18, às 20h, e 19, 19h. Galpão Cine Horto, Rua Pitangui, 3613, Horto, (31) 3481-5580. R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Vendas on-line pelo www.symla.com.br ou na bilheteria do teatro. Classificação: 12 anos.

>> Quinta-feira (2), de 15h às 19h, no Mezanino, Oficina Motion Bank Lab Brasil, com as convidadas Dorothé Depeauw, Thembi Rosa e Margô Assis. Às 19h, debate Possibilidades de formação em dança: compartilhando experiência. Entrada gratuita, com retirada 30 minutos antes do evento. Às 20h30, no Grande Teatro do Sesc Palladium, Bols & Worp. Trio de dança, som e luz de Dorothé Depeauw, Matthias Koole e Flávia Mafra. R$ 20 (inteira).

>> Sexta-feira (3), das 15h às 17h, no Mezanino, Oficina Motion Bank Lab Brasil, com Thembi Rosa e Margô Assis. Às 15h30, a intervenção urbana Parquear Bando Motion Bank Lab Brasil, com saída da entrada do Sesc Palladium, seguindo até a Praça 7. Às 20h, no Mezanino, conversa Acervos Digitais em Dança – Motion Bank Lab Brasil. Entrada franca.

>> Sábado, (4), das 17h30 às 19h, Oficina Motion Bank Lab Brasil, com Dudude Hermann. Às 20h, roda de conversa, No Sofá com Dudude, com Dorothé Depeauw & Margô Assis – Motion Bank Lab Brasil. Entrada franca.

>> Domingo, (5), 18h30, no Mezanino, a conversa Dança e Tecnologia com Daniel Bisig – Motion Bank Lab Brasil. Entrada franca. O palestrante desenvolve trabalhos no campo da Inteligência Artificial e Arte Generativa. Na conversa,  ele compartilhará alguns dos seus trabalhos neste campo de atuação.

>> Sexta (24) e sábado (25), 20h, e domingo (26), 19h, no Galpão Cine Horto, espetáculo A projetista. R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Após a apresentação do dia 26, lançamento do livro de Dudude Ela sentou na cadeira, que será vendido a R$ 30.

>> Sexta (7/6) e sábado (8/6), 20h, e domingo (9/6), 19h, no Galpão Cine Horto, o espetáculo Maria de Lourdes em Tríade. R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Vendas on-line pelo site: www.symla.com.br ou na bilheteria do teatro.

>> De segunda (10/6) a sexta (14/6), das 14h às 19h, e sábado (15/6), 9h às 13h e das 14h às 19h, residência artística Improvisação/Ação/Sentidos/Composição. Sesiminas, Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, (31) 3241-7181. Valor: R$ 100. Inscrições pelo formulário online: https://forms.gle/G3YRXWEHGsuiMxDXA


Publicidade