Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Diretores premiam Alfonso Cuarón, que pavimenta caminho ao Oscar

Mexicano venceu o prêmio do Sindicado dos Diretores com Roma. Filme saiu premiado também no Goya, o "Oscar" espanhol


postado em 04/02/2019 05:09

O mexicano Guillermo Del Toro, vencedor no ano passado com A forma da água, entregou o prêmio do Sindicado dos Diretores ao compatriota Alfonso Cuarón por Roma(foto: VALERIE MACON/AFP)
O mexicano Guillermo Del Toro, vencedor no ano passado com A forma da água, entregou o prêmio do Sindicado dos Diretores ao compatriota Alfonso Cuarón por Roma (foto: VALERIE MACON/AFP)

O cineasta mexicano Alfonso Cuarón conquistou no sábado (2) o prêmio entregue pelo Sindicato de Diretores dos Estados Unidos por Roma, consolidando sua trajetória rumo ao Oscar. “Guillermo, obrigado, cara!”, comemorou Cuarón, abraçando seu compatriota Guillermo Del Toro, que ganhou o prêmio no ano passado por A forma da água e que lhe entregou a honraria. Cuarón disse que receber o prêmio das mãos do compatriota e amigo Del Toro era um “milagre da vida” e tornava a ocasião ainda “mais especial”.

Roma é um projeto muito pessoal de Cuarón. Filmado em preto e branco, acompanha a história de duas mulheres que marcaram sua infância: a empregada doméstica (de origem indígena) e a dona de casa, sua mãe, que está vivendo um processo de separação.

Del Toro disse que o filme, indicado em 10 categorias do Oscar, incluindo melhor filme e direção, era “absolutamente soberbo, perfeito e muito complicado”. Cuarón, que voltou ao palco cinco anos após receber o prêmio por Gravidade, em 2014, agradeceu em especial a Yalitza Aparicio, que interpreta a empregada Cleo, e Marina de Tavira, que faz o papel da mãe.

“Obrigado a Libo [a babá que inspirou a personagem de Aparicio], minha mãe e meu país, o verdadeiro arquiteto de Roma”, disse o diretor. Antes do anúncio do prêmio, Cuarón observou que há “mais de 70 milhões de empregadas domésticas no mundo, e esse número não inclui crianças”. “Roma conta a história de uma delas”, afirmou.

Cuarón venceu Spike Lee (Infiltrado na Klan), Adam McKay (Vice), Peter Farrelly (Green book: O guia) e Bradley Cooper (Nasce uma estrela). Roma é o segundo filme de língua não inglesa premiado pelo Sindicato dos Diretores. O primeiro foi O tigre e o dragão, em 2000, do americano-taiwanês Ang Lee.

O Sindicato dos Diretores é um dos melhores termômetros para o Oscar. De seus últimos 15 vencedores, 14 levaram também a estatueta, incluindo o próprio Cuarón, em 2014. A edição 2019 do Oscar está marcada para o próximo dia 24, em Los Angeles. Bo Burnham (Eighth grade) ganhou o prêmio de melhor diretor estreante, superando os prognósticos que apontavam Bradley Cooper.

Também na noite de sábado, Roma venceu o Goya, o prêmio de cinema espanhol, como melhor filme iberoamericano. (AFP)


Publicidade