Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Crivelli Visconti será o curador da Bienal de SP


postado em 17/01/2019 05:05

Jacobo Crivelli Visconti promete exposição acessível ao grande público(foto: Maria Tereza Correia/EM/D.A Press - 13/4/10)
Jacobo Crivelli Visconti promete exposição acessível ao grande público (foto: Maria Tereza Correia/EM/D.A Press - 13/4/10)

Pouco mais de um mês após o encerramento da 33ª Bienal de São Paulo, a fundação responsável pelo evento revelou que Jacobo Crivelli Visconti será o curador-geral de sua 34ª edição, prevista para 2020.


Em comunicado enviado ontem à imprensa, a Fundação Bienal de São Paulo confirmou o nome do italiano radicado no Brasil, doutor em arquitetura pela Universidade de São Paulo (USP). Visconti integrou a equipe da Fundação Bienal de São Paulo entre 2001 e 2009, quando foi curador da participação oficial brasileira na 52ª Biennale di Venezia, em 2007.

“É uma enorme honra voltar a trabalhar para a Fundação Bienal de São Paulo”, declarou Visconti. “A 34ª Bienal nasce com o desejo de ser uma exposição sofisticada do ponto de vista curatorial, mas também acessível para o grande público nacional e internacional”, completou.

CONEXÃO
“Crivelli Visconti reúne uma carreira com circulação internacional, além de valiosa trajetória dentro do Brasil”, afirmou, por meio de nota, José Olympio da Veiga Pereira, presidente da Fundação Bienal. “Ele tem grande conexão com a fundação, o que possibilitará o trabalho de cooperação para um projeto ambicioso.”

A escolha de Visconti ocorreu depois do convite a cinco curadores nacionais e internacionais. De acordo com o comunicado da fundação, eles apresentaram projetos expositivos “a partir do entendimento de que a arte é, por excelência, uma plataforma para a diversidade de pensamento e um meio apropriado para a reunião de diversos segmentos em torno de um projeto comum”.

A ideia é que a 34ª Bienal seja iniciativa colaborativa. “Se conseguirmos criar um projeto com essas premissas de trabalho e que saiba ativar essas potências, daremos enorme contribuição para a arte e o país”, explicou José Olympio Pereira.

Entre os recentes trabalhos de Crivelli Visconti estão as curadorias do Pavilhão da República de Chipre na 58ª Biennale di Venezia, em cartaz na Itália, da exposição Brasile – Il coltello nella carne, exibida na Padiglione D’Arte Contemporanea de Milão, em 2018, e da mostra Matriz do tempo real, apresentada em 2018 no Museu de Arte Contemporânea da USP.

A equipe da 34ª Bienal de São Paulo formada por Visconti contará com Paulo Miyada, curador do Instituto Tomie Ohtake, Carla Zaccagnini (artista), Francesco Stocchi (curador de arte moderna e contemporânea do Museu Boijmans van Beuningen, em Rotterdã) e Ruth Estévez (curadora-geral do Rose Art Museum, em Boston, e diretora da Liga DF, na Cidade do México). (Estadão Conteúdo)


Publicidade