Publicidade

Estado de Minas COMPORTAMENTO

Palavra de especialista: qual o segredo do sucesso amoroso?

Especialistas comentam os elementos mais importantes para um relacionamento a dois dar certo de forma saudável e duradora


31/10/2021 04:00 - atualizado 31/10/2021 08:22

Juntos há 20 anos, Gianfrancesco Ghirugi e Flávia Vargas dizem que é preciso esforço e cuidado para caminhar e evoluir
Juntos há 20 anos, Gianfrancesco Ghirugi e Flávia Vargas dizem que é preciso esforço e cuidado para caminhar e evoluir (foto: Arquivo Pessoal)
Compartilhar a vida a dois com a pessoa escolhida traz a expectativa fantasiosa, e às vezes irreal, de felicidade constante. Isso porque ao fechar os olhos e imaginar uma vida ao lado de um grande amor, com certeza, relances de momentos completamente felizes sejam passados na mente como um filme, porém nem sempre será assim. A vida a dois reserva, sim, muito amor e alegria, mas, também, momentos de dificuldades e alguns obstáculos.

“Mas um casal feliz não significa um ‘casal perfeito’, até porque não existe perfeição nos relacionamentos. Um casal feliz pode ter uma série de imperfeições, mas aprende a apreciar as diferenças do outro todos os dias, e trabalha em conjunto para criar uma relação especial. Em outras palavras, um ótimo relacionamento não é sorte e não simplesmente acontece, é preciso esforço e cuidado para caminhar e evoluir de maneira que mantenha o par satisfeito e completo”, afirmam os companheiros de vida há 20 anos Flávia Vargas Ghiurghi, jornalista, de 44 anos, e Gianfrancesco Ghiurghi, empresário, de 40.

E como ter um relacionamento saudável e duradouro? Qual o segredo do “sucesso” amoroso? Não há fórmulas específicas; afinal, cada pessoa vive de uma forma e cada relacionamento se faz único pela mistura de duas pessoas distintas. No entanto, para a psicóloga Adriane Branco, especialista em sexualidade humana e pesquisadora do Centro de Estudos e Pesquisas em Comportamento e Sexualidade (Cepcos), relacionamentos precisam ser cativados. “É como uma planta que precisa de água, sol, cuidados, ser mudada de lugar quando necessário e ser adubada”, comenta.

Para que isso seja feito, é necessário conhecer a planta, saber das necessidades dela, do que deve ser feito e o que não convém. Além de conhecer os detalhes para cultivar sua planta, é preciso observar o desenvolvimento para saber agir no momento adequado. É assim também com um casal. É fundamental conhecer um ao outro para viver, de fato, a vida a dois de forma saudável, feliz e duradoura. Nesse cenário, Stella Azulay, educadora parental e especialista em neurociência comportamental, destaca que uma relação assim desenvolve o ser humano.

Não à toa, conforme ela, apesar de a sociedade estar mais autossuficiente e prezando pelo individualismo, a grande verdade é que ninguém quer ser sozinho. Trata-se de uma naturalidade humana buscar um par e querer viver um amor e uma troca com alguém. “Nos desenvolve. Um relacionamento saudável, com cumplicidade, respeito, amor, confiança, companheirismo tem o poder de nos potencializar em todas as áreas da vida. A vida amorosa tem impacto em nossas performances profissionais, em nossa postura de vida, na autoestima, autoconfiança e plenitude. Isso funciona tanto para o positivo quanto para o negativo, na mesma intensidade.”

Leticia Ueoka e Rogério Voltan dividem a vida há 13 anos e contam que aprenderam muito com a rotina e o diálogo
Leticia Ueoka e Rogério Voltan dividem a vida há 13 anos e contam que aprenderam muito com a rotina e o diálogo (foto: Arquivo pessoal)

COMUNICAÇÃO 


Independentemente do tempo em que se divide a vida a dois, situações levam a relação ao desgaste. E, na maioria dos casos, essas questões estão relacionadas a falhas na comunicação, aponta Adriane Branco. E, segundo ela, essa “palavrinha” é a chave do sucesso no relacionamento. “Esses erros ocorrem em situações simples, que poderiam ser resolvidas de maneira ‘rápida’ e sem conflitos. Mas acabam levando a discussões sem solução, nas quais as pessoas buscam impor seu ponto de vista e sua vontade, em vez de criar uma alternativa para solucionar a questão.”

Esses conflitos despertam sentimentos de irritabilidade, raiva, falta de empatia e mágoa, que em nada ajudam. Pelo contrário, só afastam. “Há outras questões que implicam o bom andamento da relação, como divergência de pensamentos, seja sobre assuntos corriqueiros com a casa, sobre a vida do casal, ou temas mais polêmicos, como política e religião. Pequenas críticas em ‘tom de brincadeira’, como apontar um defeito do outro diante de familiares e amigos, ou circunstâncias mais delicadas, como queda do poder aquisitivo, desemprego, doença, também podem causar conflitos”, afirma.

E todos eles pela falta de comunicação, que deve ser o cerne de toda relação. “Não importa a causa do conflito, todos os ajustes são feitos pela comunicação. É importante saber se colocar de maneira assertiva, sem agressividade, com o intuito de resolver o problema e não agredir o outro ou buscar um ‘culpado’”, completa.

Stella Azulay concorda. Para ela, é por meio da comunicação que vínculos são construídos ou quebrados. “Saber comunicar o que se sente é crucial. Muitos casais alimentam imaginação ou acumulam mágoas, e isso distancia um do outro. Sentir-se à vontade para falar o que pensa e ser você mesmo aproxima muito.”

CONTATO 


É muito importante que os casais se vejam como companheiros, de forma harmoniosa e a fim de cultivar a relação, destaca Adriane Branco. “É preciso entender que cada um vem de um núcleo familiar com hábitos, vivências e regras diferentes. E a partir do momento em que se unem, formam um novo núcleo. Para dar forma a essa família, buscarão dentro de seus aprendizados como construir isso juntos. À medida que o casal se ajusta, reconhece os pontos fortes da relação, entende diferenças e as respeita, o convívio tende a ser muito bom”, afirma.

Não que isso impeça conflitos, mas os tornará aptos a resolvê-los, sem dar uma dimensão inadequada para a questão. Conviver com alguém faz bem ao ser humano, é bom ter com quem compartilhar o dia, sejam situações engraçadas, difíceis ou apenas comentar sobre os acontecimentos. Planejar a vida, o dia a dia, o futuro, viagens. Um relacionamento saudável pode ser preenchido com momentos bons e prazerosos. “E o que cabe em um relacionamento saudável? Primeiro, duas pessoas que têm autoestima, amor-próprio e autoconfiança, para não atribuir ao outro a responsabilidade de preencher lacunas que não lhe cabem.”

Além disso, a psicóloga cita ser de suma importância que, aos poucos, respeito, confiança, empatia, solidariedade, afeto, parceria, saber falar e ouvir, admiração mútua, elogios sinceros, e por aí vai, sejam garantidos como elementos da relação. “Um vínculo bem fortalecido auxilia na hora da resolução dos conflitos, porque eles surgem. O afeto entre duas pessoas não garante uma relação saudável. Se as pessoas não se respeitam, se agridem verbalmente por meio de críticas destrutivas, falam sem pensar, guardam mágoas, resgatam desavenças do passado, tendem a destruir o relacionamento aos poucos.”

Stella Azulay destaca, ainda, que é importante manter o contato físico. “Tem um outro fator que muitos casais abandonam com o tempo que é o contato físico. Desde um toque, um carinho, um beijo, até a relação sexual, têm que estar presentes na vida a dois. Muitos casais acabam se envolvendo em temas do cotidiano e esquecem de que não são sócios, ou apenas parceiros, mas sim amantes. O toque é importante. O olho no olho. Afinal, amor se constrói com paciência. Paixão tem que ser sempre ativada. Amizade faz parte do processo.”

NA PRÁTICA 


No dia a dia, seguir as boas dicas pode até ser difícil, um outro verdadeiro obstáculo, mas surtem muito efeito, segundo Flávia Vargas Ghiurghi e Gianfrancesco Ghiurghi. “Uma das coisas que tornam nossa relação duradoura é a comunicação honesta e aberta sobre qualquer assunto. Isso é fundamental, já que a maioria dos problemas em um relacionamento, sejam grandes ou pequenos, começa com a má comunicação. Também temos o hábito de reconhecer quando erramos e pedir perdão.”

A profissional de marketing Leticia Ueoka, de 42, e o fotógrafo Rogério Voltan, de 52, que dividem a vida há 13 anos, também aprenderam muito com a rotina e o diálogo. Assim, reforçaram a relação a dois. “O que despertou o amor é o fato de gostarmos das mesmas coisas. Começamos a trabalhar juntos e nos aproximamos mais, agora temos o Antônio e a Valentina. E, com certeza, a viagem para o Canadá foi o que mais nos juntou, em um nível muito acima, porque tivemos que nos ajudar muito.”

* Estagiária sob a supervisão da editora Teresa Caram

Cuide do seu relacionamento
 
Confira algumas dicas para adotar 
em seu relacionamento e deixá-lo ainda mais vivo:

» Reserve um dia da semana para fazerem juntos algo de que gostem, seja saindo ou dentro de casa. Escolham algo divertido, que seja um lazer a dois e para os dois
» Incremente a vida sexual e não deixe o relacionamento cair no desânimo e na falta de vontade. Por isso, adote uma periodicidade mínima e fale a respeito do tema. Tem que existir o clima e criar o clima. Tem que acontecer
» Nunca fale o que pensa na hora de uma discussão ou no calor de uma conversa tensa. Espere no mínimo um dia e depois explique com calma seu ponto de vista. Busque acordos que sejam bons para ambos
» Uma dica básica, simples, mas que poucos casais lembram de usar: peça desculpas e desculpe, quando houver erros

Fonte: Stella Azulay, educadora parental e especialista em neurociência comportamental


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade