Publicidade

Estado de Minas conta-gotas

Alergia à soja


18/10/2020 04:00





(foto: Pixabay )
(foto: Pixabay )




Embora primariamente associada ao tofu, a soja é encontrada em muitos alimentos processados. Portanto, se você é alérgico, a única maneira de evitar uma reação é abolir esses produtos. Por isso, observe a embalagem e a lista de ingredientes com cuidado. Para a nutricionista Adriana Stavro, se o rótulo diz “contém soja”, não há dúvida: não o coloque no carrinho de compras. Porém, o cuidado deve ser redobrado, pois outras palavras nos rótulos dos alimentos podem indicar a presença do alimento. Palavras a observar: edamame, natto, miso, tofu, kinako, kyodofu, lecitina, okara, shoyu, tamari, tempeh, teriyaki, yakidofu, glycinemax, proteína vegetal hidrolisada e proteína vegetal texturizada (PVT).






Mitos mais comuns sobre os cuidados com a pele
 
Muitas informações sobre cuidados 
com a pele circulam na internet, mas é importante saber o que é verdade e o que é mito, de acordo com a medicina. Simone Stringhini, líder da clínica Stringhini | Dermatologia Avançada e membro da Academia Americana de Dermatologia, listou os principais mitos que 
circulam por aí. Veja:

» Hidratante repõe a água da pele
O hidratante não vai repor água, ele vai adicionar óleo na pele para reforçar a barreira cutânea.

» O colágeno ingerido vai para a pele
O colágeno ingerido em forma de cápsula ou pó não é absorvido diretamente pela pele. Primeiramente, essa molécula vai ser absorvida pelo estômago e, posteriormente, utilizada para várias funções no organismo e, uma delas, será para a síntese de colágeno pela pele.

» Ginástica facial rejuvenesce
A ginástica facial atua diretamente nos músculos faciais e não na pele. Esses movimentos repetitivos não rejuvenescem e podem até causar rugas.

» Cremes faciais tratam rugas e flacidez
Os cremes faciais têm função de hidratar e 
prevenir. Porém, não são capazes de reverter 
os sinais de envelhecimento que já surgiram.

» Pele negra não precisa usar filtro solar
Todos os tipos de pele necessitam de filtro solar 
para proteger dos raios ultravioletas (UV), prejudiciais à saúde.




Cardápio na primavera
 
(foto: Pixabay )
(foto: Pixabay )
 
Alimentos da primavera podem agregar, e muito, ao cardápio das pessoas. Pensando nisso, a nutricionista Aryane Emerick, do Smart Fit Nutri, separou uma lista de frutas e vegetais da safra que, além de saudáveis, proporcionam uma alimentação equilibrada e leve. Confira:

» Batata doce: excelente fonte de carboidrato e energia, saciedade e ganho de massa muscular.
» Moyashi: fonte de proteína vegetal e vitaminas, ajudando na imunidade e coagulação sanguínea.
» Beterraba: auxilia na imunidade e visão e, também, na boa performance física.
» Ervilha: fonte de proteína vegetal e fibras, o que favorece a saciedade nas refeições.
» Abacaxi pérola: fonte de vitamina C, melhora a imunidade e auxilia a digestão.
» Laranja-lima e acerola: melhora a imunidade, saúde da pele e a produção de colágeno.
» Kiwi: ajuda no funcionamento do intestino e melhora a qualidade do sono.
» Brócolis, couve e espinafre: importantes para saúde óssea e metabolismo.


Riscos da reposição de vitamina D

De acordo com entidades mundiais de saúde, há uma deficiência de vitamina D em diversas faixas etárias das pessoas em todo o mundo. Dessa forma, a crescente conscientização sobre a relação da deficiência de vitamina D com problemas de saúde levou a um aumento da ingestão de suplementos, muitas vezes sem acompanhamento médico. Porém, o excesso de vitamina D também causa problemas, como náuseas, vômitos, fraqueza, anorexia, desidratação e quadro agudo de insuficiência renal. As manifestações clínicas de toxicidade por vitamina D podem variar entre sintomas leves e graves, envolvendo risco de morte.
Consulte os valores de referência para o exame:
Deficiência: menor que 20 ng/mL
Valores normais para a população geral: de 20 a 60 g/mL
Valores ideais para população de risco: de 30 a 60 ng/mL
Risco de intoxicação: maior que 100 ng/mL
 
 
 
Outubro Rosa: vacinação contra HPV

Conhecido mundialmente como mês de prevenção e conscientização do diagnóstico precoce do câncer de mama, o Outubro Rosa se tornou, também, o mês de combate ao câncer de colo de útero. E uma das formas de preveni-lo é com a vacinação de adolescentes e pré-adolescentes de ambos os sexos contra a infecção pelo papilomavírus humano, o HPV. A Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (Sogimig) faz um apelo a todos os pais e responsáveis para que vacinem seus filhos, aproveitando a Campanha Nacional de Vacinação, iniciada em 5 de outubro. O Ministério da Saúde vacina meninas entre 9 e 14 anos, e meninos entre 11 e 14. Os órgãos de saúde alertam que, mesmo com a pandemia, é preciso levar crianças e adolescentes para se vacinarem, pois as vacinas, incluindo a que previne a infecção do HPV, são de extrema importância para manter a população imune a vários tipos de doenças.
 
 
 

Alimentos congelados x in natura
(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)
 

A suposição dos consumidores de que os vegetais congelados têm menor valor nutricional do que os in natura é mito. Um estudo realizado pela Food Science and Technology International revelou que a capacidade antioxidante, a retenção de vitamina C e glucosinolatos dos brócolis congelados industrialmente, por exemplo, podem ser consideradas semelhantes às características do alimento fresco. Isso porque o processo de aquecimento preserva a cor, o sabor, o valor nutricional e elimina microrganismos presentes no alimento, antes do congelamento. Além disso, os congelados têm prazo de validade maior e são mais econômicos, já que 100% de suas partes podem ser aproveitadas, o que não ocorre com os in natura, que sofrem perda de até 20% após eliminar as partes não comestíveis.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade