Publicidade

Estado de Minas COMPORTAMENTO

Dê um basta ao desperdício

Durante um ano, mais de um bilhão de toneladas de alimentos são jogados fora no mundo. Em meio à pandemia, esse índice tende a aumentar. Saiba como aproveitá-los e evitar perdas


postado em 14/06/2020 04:00

 

Frutas, verduras e legumes quando não consumidos estragam mais rapidamente e com maior facilidade(foto: Divulgação)
Frutas, verduras e legumes quando não consumidos estragam mais rapidamente e com maior facilidade (foto: Divulgação)

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), cerca de um terço de toda a comida mundial é desperdiçada. Além disso, segundo dados da entidade, em média, 28% dos alimentos que chegam ao fim da cadeia alimentar não são reaproveitados, enquanto 14% são descartados ainda na fase de colheita.

“O Brasil descarta mais do que o necessário para neutralizar a insegurança alimentar no país, e apenas um quarto do desperdício agregado dos Estados Unidos e Europa é suficiente para alimentar os 800 milhões de pessoas que ainda passam fome no mundo”, informa o relatório feito pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), referente aos dados da FAO.

A especialista em segurança alimentar e nutricional do Departamento Nacional do Sesc Claudia Roseno explica que esse desperdício está associado a uma série de fatores. E destaca que cerca de 54% do total de alimentos desperdiçados é descartado ainda na fase de produção, armazenamento e transporte. As demais perdas, segundo a especialista, se referem, em 46%, aos hábitos dos consumidores.

“Há uma força cultural no desperdício alimentar dos brasileiros, que pode ser observada na escolha dos alimentos. Um exemplo é o quiabo, que muitas vezes é quebrado para verificar sua qualidade, mas é deixado para venda e, portanto, acaba não sendo mais escolhido e indo para o lixo.”

Em meio à pandemia de COVID-19, Claudia destaca que o descarte de alimentos tende a aumentar, a considerar o maior tempo das pessoas em casa, o que sugere uma maior produção de resíduos, sejam eles recicláveis ou orgânicos.

Isso porque, segundo a especialista, é muito comum, mesmo antes da pandemia, que as pessoas realizem as compras do mês sem qualquer planejamento, o que tende a se intensificar durante o isolamento social, tendo em vista que inúmeras pessoas podem estar propensas a realizar estocagem de alimentos, devido à impossibilidade de circulação, e comprar mais do que o necessário.

Sendo assim, Claudia ressalta a importância de ações alinhadas à mudança comportamental para a criação de uma maior consciência ambiental e, consequentemente, percepção do impacto do desperdício no orçamento familiar.

Neste contexto, a especialista pontua que uma intervenção pode ser feita nesse descarte contínuo, a fim de reduzir a perda de alimentos ainda úteis. “Para isso, podemos planejar as refeições a serem produzidas e realizar as compras conforme as escolhas feitas. Além disso, pode-se optar por receitas que utilizem o alimento de forma integral, encontrando uso para a casca, folhas e sementes.”

Claudia destaca, ainda, ser importante que os consumidores se atentem aos prazos de validade dos alimentos e à sua forma de armazenamento, a considerar que ambos podem influenciar para a perda do alimento. “Frutas, verduras e legumes quando não consumidos estragam mais rapidamente e com maior facilidade. Portanto, uma dica é que esses alimentos sejam comprados em quantidades razoáveis ao consumo. Já alimentos como feijão, arroz e macarrão têm maior prazo de validade, porém, quando um apresenta sinais de deterioração, todos os demais, guardados no mesmo armário, podem vir a apresentar os mesmos sinais de comprometimento”, diz.
 
 
 
(foto: arquivo pessoal)
(foto: arquivo pessoal)
 Podem-se aproveitar todos os nutrientes dos alimentos. A maçã, por exemplo, pode ser consumida com a casca, mas aqueles que não comem essa parte da fruta podem usá-la para fazer doces ou mesmo geleias”

Claudia Roseno, 
especialista em segurança alimentar e nutricional do Sesc
 
 
RECEITAS DIVERSAS 

Claudia explica que, a fim de reduzir o desperdício de alimentos, algumas medidas podem ser tomadas no ambiente doméstico. Uma delas é utilizar todos os atributos do alimento para fazer receitas diversas. “Podem-se aproveitar todos os nutrientes dos alimentos. A maçã, por exemplo, pode ser consumida com a casca, mas aqueles que não comem essa parte da fruta podem usá-la para fazer doces ou mesmo geleias. A casca é rica em pectina e excelente para dar consistência à receita.”

Outro exemplo é o brócolis, comprado com folhas e talos. Claudia explica que, normalmente, as pessoas consomem uma pequena parte desse alimento, que são as flores, e descartam todo o resto. No entanto, os talos podem ser reaproveitados e usados em suflês, cremes, farofas, refogados, pães, bolinhos, sopas e demais refeições.

“Ao utilizar o alimento integralmente não há descarte de resíduos no ambiente, ou seja, menos lixo e menor impacto ambiental.” Outra medida para reduzir o desperdício e o descarte de alimentos está na compostagem. “Existe composteira de uso doméstico, que pode ser usada em casa para reduzir o impacto ambiental e evitar que o alimento se perca totalmente. É um método eficaz e bem tranquilo.”

A fim de reduzir o desperdício de alimentos, o Sesc disponibiliza, em seu site oficial, um cardápio variado de receitas. Acesse www.sesc.com.br/portal/site/mesabrasilsesc/receitas.

*Estagiária sob supervisão da editora Teresa Caram 





Criatividade na cozinha

Assado de legumes

Ingredientes
» 400g de chuchu picado
» 300g de cenoura picada
» 500g de batata picada
» 200g de abobrinha ralada
» 100g de cebola picada
» 300ml de leite
» 1 colher (sopa) de amido de milho
» 2 ovos
» 1 colher (sopa) de óleo
» 2 colheres (sopa) de margarina
» Cheiro-verde e tempero a gosto

Modo de preparo

» Cozinhe o chuchu, a cenoura e a batata em pouca água

» Escorra a água em excesso e reserve. Em uma panela, esquente o óleo, derreta a margarina e acrescente o tempero a gosto

» Frite a cebola. Quando estiver dourada, acrescente a abobrinha ralada, os outros legumes cozidos e o cheiro-verde

» Desligue o fogo e transfira os legumes para um refratário untado com um pouco de óleo

» Bata no liquidificador os ovos, o leite, a maisena e uma pitada de sal. Despeje essa mistura sobre os legumes e leve ao forno até dourar

Fonte: www.sesc.com.br/portal/site/mesabrasilsesc/receitas






Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade