Publicidade

Estado de Minas REPORTAGEM DE CAPA

O que fazer para não procrastinar

Nada mais fácil do que prometer, difícil é cumprir. Todo início de ano é assim, listas e mais listas de desejos. Saiba se comprometer com o que dará conta para não adiar seus objetivos


postado em 05/01/2020 04:00 / atualizado em 31/12/2019 17:27

Com a virada do calendário, muitas pessoas acabam se dividindo entre pedidos, promessas e planos para o ano-novo. Tente avaliar se cumpriu tudo o que prometeu ou se realizou tudo o que desejava. Listar objetivos e se planejar ajuda muito no processo de tomada de decisão ao longo do ano, mas se todos esses projetos não forem realizados, acabam se tornando dívidas.
 
Uranio Bonoldi, professor em cursos de MBA na Fundação Dom Cabral, palestrante e escritor, enfatiza que promessas se transformam em um peso nas costas e nem todas elas podem ser concretizadas. “Uma boa ideia é eliminar pendências, em vez de fazer uma lista enorme de novas promessas que podem acabar não sendo cumpridas.”
 
Veja algumas áreas que Uranio Bonoldi chama a atenção para que você não se torne "endividado" consigo mesmo:
 
Física

"Parar de fumar", "fazer exercício", "se alimentar melhor" são algumas das promessas mais comuns que fazemos no início do ano. Pode até ser que durante o ano você tenha pensado em fazer uma dessas coisas, mas não tenha conseguido ou tenha desistido no meio do caminho. Está na hora de riscar essa pendência da sua lista. Substituir comportamentos não saudáveis por saudáveis exige tempo, por isso encontre a melhor maneira e que funcione para você. Reduzir drasticamente as calorias, exagerar na academia ou alterar radicalmente sua alimentação só vai prejudicar seus planos. Em vez disso, concentre-se em dar pequenos passos.
 

Pessoal

Se já faz um tempo que você está querendo ser uma pessoa melhor, mais paciente, passar mais tempo com os amigos e a família, ou até mesmo ter mais tempo para você, não deixe mais essas dívidas pessoais para depois. Simplifique! Com um pouco de reorganização, você pode liberar tempo suficiente na sua agenda para relaxar e fazer o que realmente deseja. Você se sentirá menos estressado, o que ajudará a aumentar seu bem-estar físico e mental.
 

Financeira

Essa é uma dívida que pode nos assombrar, independentemente da época do ano. E ainda por cima pode aumentar se continuarmos deixando para resolver depois. Comece se organizando. Faça uma lista de suas dívidas, incluindo o credor, valor total da dívida, pagamento mensal e data de vencimento. Ter todas as dívidas à sua frente permitirá que você veja melhor e fique ciente de tudo que deve. Mas, não basta criar sua lista e esquecê-la. Consulte-a periodicamente, especialmente quando você paga contas, dê baixa de seus débitos. Atualize sua lista a cada poucos meses, à medida que o valor muda. Não há nada melhor do que ter as suas pendências financeiras resolvidas.
 
 

Profissional

Se está procurando um novo emprego ou até mesmo tentando definir onde você se encaixa entre tantas profissões, procure um mentor para ajudá-lo. Ele pode ser o seu guia para resolver diversas dúvidas e incertezas profissionais e também para ensinar o que você precisa para crescer. Se é conhecimento, pode ser adquirido. Se é uma habilidade, pode ser aprendida ou aprimorada. Faça cursos, workshops, especialize-se, continue sempre aprendendo.
 
 

Espiritual

É importante ressaltar que essa é uma questão individual e uma escolha exclusivamente sua. Então, se estiver em dívida com a sua espiritualidade, encontre uma comunidade espiritual com a qual você se sinta confortável e se identifique ou encontre este caminho através de você mesmo. Pode ser tanto informal, quanto um grupo de meditação ou programas de voluntariado. O importante é você se sentir bem consigo mesmo e ter a paz de espírito que deseja. 
 
palavra de 
especialista
 
Sérgio Bastos Júnior
fisioterapeuta que trabalha 
com saúde integrativa
 
‘Precisamos vencer nossos medos’
 
“Com raríssimas exceções, a grande maioria das nossas promessas de ano-novo continuam sendo promessas, réveillon após réveillon. Quem aí pode dizer o contrário? Por que será que, quando temos uma data importante, uma virada de ano, nos enchemos de energia e vontade e, de repente, todo esse gás vai embora, sobrando apenas o dia a dia de sempre? Geralmente, porque as promessas de ano-novo não passam do estágio um, ou seja, seguem sendo apenas promessas. A grande questão é que precisamos vencer nossos medos e nossos traumas para mudar as nossas atitudes. Muitas vezes, nós desejamos a mudança, queremos, com profundidade, mudar, mas não conseguimos enxergar o que nos impede. Esse é o que podemos chamar de 'o pulo do gato'. Descobrir quais crenças e memórias são bloqueadores daquilo que precisamos fazer diferente para conseguir novos resultados. Fazemos sempre a brincadeira de 'segunda-feira eu começo a dieta'. Já estamos acostumados a prometer. É como se a promessa fizesse parte do ritual, e, talvez, lá no fundo da nossa mente, podemos pensar que, se atingirmos nossos objetivos, não teremos mais como seguir com a tradição. Ledo engano. É preciso abrir espaço para o novo. Descobrir quais são as nossas crenças, os nossos bloqueios, quais são os muros que nos impedem de sair da promessa e partir para a ação, é o que nos faz crescer e sermos maiores do que as nossas dores. Por isso, antes de fazer sua lista de promessas de ano-novo, reveja todas aquelas que já foram escritas, faladas e desejadas. Observe o que pode estar faltando para que elas se tornem conquistas reais.” 


Publicidade