Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Estado de concentração

Do trabalho ao lazer, parece inacreditável, mas o pensamento acelerado infiltra em todos os ambientes e é preciso ser vigilante para não sucumbir à ansiedade e, assim, adoecer


postado em 14/07/2019 04:06

Patrícia Carvalho, coordenadora adjunta da Brahma Kumaris em Minas Gerais, diz que a meditação é fundamental para o equilíbrio do corpo e da mente (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press %u2013 10/7/17 )
Patrícia Carvalho, coordenadora adjunta da Brahma Kumaris em Minas Gerais, diz que a meditação é fundamental para o equilíbrio do corpo e da mente (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press %u2013 10/7/17 )

 




Cada um tem a sua medida. Uns sentem menos, outros mais. Mas todos sabem do prejuízo de viver acelerado. Cansaço mental, dificuldade de concentração, de estar focado no presente, distração, instabilidade emocional, déficit de produtividade, dificuldade para escutar, problemas de comunicação e confusão mental... A lista não para por aqui, alerta Patrícia Carvalho, coordenadora adjunta da Brahma Kumaris em Minas Gerais, universidade espiritual mundial, uma entidade não governamental criada na Índia em 1937 com o objetivo de promover valores humanos, morais e espirituais universais.

Patrícia Carvalho destaca que esse é um mal dos tempos atuais, em que a média de pensamentos de um ser humano fica na faixa de 50 mil pensamentos por dia, na maior parte das vezes de forma totalmente automática, reativa e inconsciente. A média de tempo em que as pessoas ficam focadas em um conteúdo diminui a cada ano, devido à velocidade de informações pertinente à era digital, e isso afeta principalmente jovens e crianças, que já nasceram dentro dessa realidade.

Além da tecnologia (mal usada!), Patrícia acredita que há outros gatilhos que disparam o pensamento acelerado: “A tendência de viver cada vez mais no passado, e projetar acontecimentos do passado no futuro, a falta de contato e intimidade com os próprios sentimentos, a falta de exercícios de concentração e de presença, como a meditação, e a falta de uma postura mais reflexiva, que possa elaborar melhor a realidade, a dependência de fatores externos para ativar estados internos, a volatilidade das relações, a falta de valores e de experiências que sejam mais consistentes e duradouras, a temporariedade e a superficialidade das experiências”. Poucos admitem ou falam a esse respeito, sofrem em silêncio por não desacelerar.

BEM-ESTAR 

Mas é fundamental desacelerar. Patrícia afirma que há saída: “A meditação, em todas as suas versões, desde o método mindfulness, que visa focar a atenção no momento e na ação presente, até a meditação raja ioga, mais conhecida como a ioga da autossoberania, que tem como objetivo colocar o indivíduo em contato com aspectos mais profundos e, consequentemente, estáveis de sua identidade, como as qualidades de paz, amor, verdade, felicidade, força, pureza, equilíbrio, e, a partir disso, cultivar um estado interno de preenchimento e satisfação”.

Outro aspecto apontado por Patrícia é que, partindo de um estado de preenchimento, a relação do indivíduo com os diversos eventos e situações externas muda a sua natureza. “Em vez de necessitar dessas situações para se sentir bem, o estado de bem-estar interno passa a ser determinado na forma como somos capazes de perceber e lidar com as situações. A prática da meditação faz com que a pessoa passe a contemplar seus pensamentos, dando-se conta daqueles que são indesejáveis, e passe aos poucos a ir aprofundando a experiência e gerando sentimentos totalmente alinhados com os pensamentos positivos, para chegar a um estado de concentração e bem-estar. Sem empenho não alcançamos resultados na vida, e o mesmo aplica-se à meditação, e seus resultados positivos.”

REFLEXÃO E CONTEMPLAÇÃO 

Força de vontade é o que todos precisam, já que muitos têm as desculpas certas – “eu não consigo”, “sou agitado demais”, “não paro de pensar”: “A solução é aumentar o conteúdo interno por meio do autoconhecimento. Dessa forma, podemos oferecer para a mente pensamentos profundos e consistentes, gerando experiências prazerosas, que, naturalmente, fazem com que a mente entre em estado de concentração. A mente está interessada em experiências e, quanto mais capazes de oferecer a ela experiências profundas e prazerosas, mais ela permanecerá concentrada e alerta. Nesse sentido, pensamentos “clichês” não têm o poder de gerar comprometimento da mente.

Para Patrícia, é importante que as pessoas aprendam a praticar a reflexão e a contemplação do conhecimento “para extrair dessa prática significados que tragam entendimento, inspiração e clareza e dessa forma funcionem como combustíveis para o processo de meditação. Outro aspecto importante é conhecer a técnica. Na Brahma Kumaris, ministramos cursos de introdução, nos quais damos um escopo básico de conhecimento, e um passo a passo para a prática da meditação”. Vale ressaltar que os cursos na Brahma Kumaris são gratuitos, uma vez que o trabalho é mantido por meio de contribuições voluntárias.

. Recomendações para praticar no dia a dia
» Meditar todos os dias ao despertar, nem que para isso seja necessário despertar mais cedo. Ou fazer parte de um grupo de meditação para se comprometer com a prática e trocar experiências
» Evitar assistir à TV, filmes e atividades muito agitadas antes de dormir, para garantir a qualidade do sono
» Alimentar-se com alimentos frescos e saudáveis. Recomendamos a dieta lacto vegetariana, sem consumo de carne de nenhum tipo
» Evitar tabaco, álcool e drogas
» Paradas estratégicas durante o dia. A cada duas horas, pare por um minuto para exercitar foco e concentração

Fonte: Brahma Kumaris





Publicidade