Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Boa saúde no inverno


postado em 14/07/2019 04:06

(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press %u2013 16/2/18 )
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press %u2013 16/2/18 )

 



As temperaturas mais baixas são um convite para o aumento do consumo de bebidas alcoólicas e alimentos mais gordurosos. Devido ao alto gasto calórico, o organismo, para manter a temperatura corporal, aumenta a sensação de fome, que faz com que muitas pessoas abusem das guloseimas e se alimentem de forma inadequada.De acordo com a nutricionista Mayara Olikszechen, da Fundação Pró-Renal, nesta época do ano é importante manter a dieta rica em alimentos naturais, como frutas e hortaliças, e optar por carboidratos de baixo índice glicêmico, como batata-doce, inhame e arroz integral. Para quem já sofre com alguns tipos de doenças, como a diabetes e a hipertensão, os cuidados no inverno devem ser redobrados. Consumir menos sal e açúcares pode evitar a pressão alta e manter os rins saudáveis. Por isso, a hidratação é fundamental para a saúde. “A atividade física também é importante durante o ano todo e não apenas no inverno. Ela regula o peso corporal, reduz níveis de glicose sanguínea, controla a pressão arterial, reduz o colesterol ruim (LDL) e aumenta o colesterol bom (HDL). Além disso, auxilia no controle da ansiedade e depressão, entre outros benefícios”, ressalta a nutricionista Mayara. Chás e sopas bem quentes são sempre uma delícia em dias mais frios. Existem inúmeros benefícios do consumo, mas, no caso dos chás, nem todos são indicados. Segundo a nutricionista, existem alguns tipos de chás que podem agravar a função renal de pacientes com doença renal crônica. Já em relação às sopas, a indicação é sempre pelas opções caseiras, feitas com ingredientes naturais e sem temperos industriais e conservantes. “As sopas industrializadas contêm muito sódio, corantes e conservantes, entre eles, o glutamato monossódico, que é um realçador de sabor e que pode ser responsável pelo desenvolvimento de várias doenças, como câncer e enxaqueca, entre outros”, alerta a nutricionista.







Água é o 
melhor remédio

A desidratação é um perigo conhecido do verão. Mas as baixas temperaturas típicas do inverno também podem oferecer risco, por diminuir a vontade de tomar água. "As pessoas tendem a achar que no inverno não precisam beber tanta água quanto no verão, por não sentirem sede com a mesma frequência. Isso aumenta o risco de desidratação", alerta o fisiologista do esporte do HCor Diego Leite de Barros. De acordo com Barros, sentir sede já pode ser um sinal de desidratação. "A sede nada mais é que o organismo sinalizando que precisa de líquido", revela. Entretanto, os sintomas da desidratação vão muito além dessa simples sensação, que também pode se manifestar pela pele ressecada, temperatura corporal elevada, cansaço, sonolência, vontade de urinar com menor frequência e coloração mais escura, prisão de ventre, além de perda de coordenação motora e consciência, nos casos mais severos. Para evitar o problema, o indicado é tomar entre 1,5 litro e 2,5 litros de água por dia, quantidade que pode variar de acordo com o sexo, idade, massa corporal e estilo de vida. "O ideal é ter água sempre por perto para se hidratar tanto nos dias quentes quanto nos mais frios", orienta o fisiologista.


Autocobrança pode gerar insônia

Pessoas com insônia, fadiga, falta de raciocínio, irritadas, desmotivadas e sem afeição são cada vez mais comuns nas clínicas psicológicas. Essa afirmação é do psicólogo do Hapvida Cezar Melo, que vê essas características como sintomas de exaustão emocional, estado que pode evoluir para patologias como depressão, transtornos de ansiedade generalizada e até doenças dermatológicas em um processo de psicossomatização. Para o psicólogo, essa tendência se deve, principalmente, à autocobrança imposta pelas pessoas. "Esse adoecimento ocorre em um processo lento, por meio de acúmulos de responsabilidades, sensações de injustiças, conflitos, excesso de trabalho etc. Nossa cultura valoriza a força e a concentração de atividades em um grupo pequeno de pessoas. Assim, temos que dar conta de várias áreas de nossa vida, como profissional, familiar e espiritual, entre outras", analisa. Por fim, o psicólogo recomenda pausa e descanso àqueles que se sentem sobrecarregados. "Nenhuma máquina funciona a todo vapor por muito tempo. É necessário voltarmos a olhar a natureza e encontrar o ponto de equilíbrio. Se há trabalho de um lado, tem de haver lazer de outro, de forma proporcional. As responsabilidades têm que ser compartilhadas", conclui o especialista.


Batom por mais tempo na boca

A boca é uma área de fácil ressecamento, principalmente em dias de inverno. Portanto, antes de pegar o batom, é importante aplicar hidratante nos lábios. Manter a hidratação ajuda a remover peles mortas e a evitar descamação – principal fator que colabora para a saída do produto dos lábios. A utilização de base ou pó translúcido ajuda a criar uma camada para receber o batom. Além de prolongar a fixação e disfarçar as linhas da boca, os produtos neutralizam o tom natural dos lábios e intensificam a cor que virá em seguida. Um lápis de boca da mesma cor que o batom, utilizado em movimentos firmes e precisos, ajuda a desenhar os lábios. A técnica é perfeita para quem tem dificuldade de aplicar o produto sem borrar, pois estabelece um limite de até onde a aplicação deve ir. Além de facilitar o processo, a dica ainda possibilita mudar o formato da boca, dando a ilusão de lábios mais grossos ou finos – basta desenhar os lábios acima ou abaixo das linhas originais. Já para a aplicação do batom, o ideal é utilizar pincel especial para a boca, para dosar a quantidade necessária do produto. Ao contrário do que muitos pensam, usar muitas camadas de batom não é sinônimo de alta durabilidade. Evitar o excesso faz com que o produto se adeque perfeitamente à boca, aumentando tanto a fixação quanto a duração.

 




Cabelos bem secos 
nesta época do ano

"Todo cabelo, antes de ser escovado, seja ele liso ou não, precisa receber algum tipo de leave-in. Fica a critério da pessoa o leave-in de sua preferência, mas sempre é necessária a sua utilização para que ele atue como um protetor térmico", diz a hairstylist Josy Silveira. Outra dica é evitar lugares úmidos. Muitas pessoas acabam secando os cabelos no banheiro, logo após o banho, em que o espaço ainda está úmido, abafado. O fato de o ambiente não estar seco influi no resultado final. Se possível, sempre escolha um lugar mais arejado para fazer a secagem. Segundo Josy, no caso dos cabelos lisos, é preciso secar muito, tirar toda a água com toalha antes de secar. Feito isso, a dica é ir secando com as mãos e depois começa a modelar com a escova para que o penteado seja como o desejado. Já para os cabelos cacheados, a dica é outra: quanto mais úmido, mais fácil de modelar e a escova fica melhor. 


Publicidade