Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Mitos e verdades sobre AVC


postado em 09/06/2019 04:09

O acidente vascular cerebral (AVC) ocorre de várias formas e situações, portanto, há muitos mitos e verdades sobre o tema. Para esclarecer esse assunto, o especialista em cirurgia vascular pela Sociedade Brasileira de Angiologia, Cirurgia Vascular e Endovascular e responsável pelo Serviço de Cirurgia Vascular do Hospital do Coração, Gilberto Narchi Rabahie, esclarece algumas dúvidas mais comuns.

1 – O AVC é considerado grave?
Verdade. Sim, o acidente vascular pode ser classificado entre leve, moderado ou grave de acordo com a severidade e duração dos sintomas e sequelas.

2 – É a doença que mais mata no Brasil?
Verdade. As doenças cardiovasculares são as primeiras causas de óbitos no Brasil, e incluem infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral.

3 – Após o AVC é possível voltar à rotina normalmente?
Verdade. Porém, depende do grau de acometimento cerebral. Existe AVC que praticamente não deixa sequelas, e outros, mais raros, que são incapacitantes.
4 – Ocorre apenas uma vez?
Mito. É possível que o AVC aconteça mais de uma vez no mesmo paciente.

5 – Atividade física diminui o risco de acidentes cardiovasculares?
Verdade. Assim como não fumar tabaco e ter controle de hipertensão arterial, diabetes e dislipidemias. Hábitos saudáveis serão sempre bem-vindos para a qualidade de vida e para evitar um AVC.

6 – A causa do derrame é a falta de oxigênio?
Verdade. Uma das causas é a privação de oxigênio nas células, que acaba ocasionando o AVC isquêmico. Doenças cardíacas também podem ser outra causa. O AVC pode ser causado por coágulos que são formados no coração e podem migrar inclusive para o cérebro, causando oclusão de artérias e consequente isquemia local. Os próprios vasos intracerebrais podem ocluir localmente devido à aterosclerose focal. Outra causa de AVC é sangramento, ou seja, um vaso intracerebral pode romper e causar extravasamento de sangue. Nesse caso, o AVC é então hemorrágico.

7 – As chances de cura são pequenas?
Mito. A possibilidade de cura aumenta de acordo com o diagnóstico. Quanto antes ocorrer o diagnóstico e iniciar o tratamento específico, menores as chances de sequelas.

8 – A dificuldade de movimentação é um sintoma?
Verdade. A dificuldade de movimentação de braço ou perna do mesmo lado do corpo (hemiparesia) e, até mesmo a alteração da fala (dislalia) e de consciência é um sinal do derrame.

9 – O derrame ocorre somente depois dos 40 anos?
Mito. O acidente pode ocorrer com crianças e adolescentes também, porém, com a idade, a condição clínica piora devido aos fatores de risco envolvidos (aterosclerose, diabetes e hipertensão arterial).

10 – A trombofilia tem relação com a doença?
Verdade. Alguns casos específicos de AVC podem ser atribuídos à trombofilia, portanto, se houver histórico familiar de trombofilia ou se o próprio paciente já teve algum episódio de trombose, sem motivo claro aparente, é recomendado analisar com um profissional.

Inimigos da dieta e da saúde

Embora muitos não saibam, alguns alimentos têm ação inflamatória e acabam causando desconfortos para quem os consome. Se após consumir algum alimento você sente estufamento, azia, gases, retenção, edema e inchaço, crises de rinite, sinusite e enxaqueca, você pode estar consumindo um alimento que na verdade é um inimigo da boa forma e da sua saúde. Leone Gonçalves, nutricionista e educador físico especializado em longevidade e ortomolecular, aponta alguns alimentos que têm ação inflamatória no organismo: “Em geral, frituras, conservantes, nitratos, refrigerantes, bebidas alcoólicas e alimentos ricos em glúten, mas isso varia de cada indivíduo, metabolismo e particularidades como doença celíaca ou intolerâncias, como a lactose, por exemplo”. O nutricionista revela que também existem alimentos com potencial anti-inflamatório, que fortalecem o sistema imunitário, aumentando assim a resistência a fatores externos invasivos. Vegetais de folha verde-escura, como brócolis, espinafres ou couves; peixes gordos como salmão, cavala, atum, sardinha e o arenque; frutas vermelhas, como maça e tomate, e o azeite têm potencial anti-inflamatório.
Como se prevenir da
hipertensão arterial

Conscientizar as pessoas sobre os cuidados básicos para prevenir a hipertensão arterial é o objetivo do Dia Nacional de Prevenção à Hipertensão Arterial. De acordo com o Ministério da Saúde, a pressão alta atinge aproximadamente 25% da população do Brasil. O mal atinge 40% das pessoas entre 65 e 80 anos. Acima dessa faixa etária, metade tem pressão alta – e essa é uma das causas mais recorrentes de quadros como infarto do miocárdio, AVC, aneurisma e insuficiência cardíaca, responsáveis por um terço das mortes no país. Segundo Daniel Mendes, angiologista e membro do Núcleo de Atenção Neuro Cardio e Vascular do Hospital Felício Rocho, o combate à hipertensão arterial é essencial. O melhor caminho é a prevenção, eliminando fatores de risco como tabagismo, alimentação inadequada, obesidade, sedentarismo, colesterol e triglicérides elevados, excesso de consumo de sal e álcool, estresse e diabetes. “Uma avaliação recorrente, completa a lista de procedimentos que deixam a pressão nos níveis ideais”, ressalta.



Meias velhas ajudam a salvar vidas

Você acha que é possível fazer o bem sem gastar um centavo? Ajudar a diminuir a produção de lixo têxtil pode salvar vidas? Você acredita que uma meia velha pode mudar o destino de uma pessoa? O Projeto Meias do Bem, idealizado pela Puket, reforça que para todas essas perguntas a resposta é sim! A combinação de inovação, responsabilidade social, solidariedade e sustentabilidade deram forma ao projeto que nasceu em 2013 e desde então atua na arrecadação de meias usadas que são transformadas pela marca em cobertores que ajudam a salvar vidas em todo o país. Até agora, mais de 40 toneladas de meias velhas, usadas e sem par foram transformadas em 40 mil cobertores. Para contribuir com o projeto basta ir a uma das 160 lojas Puket, espalhadas por todo o Brasil, e depositar na urna Meias do Bem aquelas que já não lhe servem mais. A ação ocorre ao longo do ano e as doações são realizadas principalmente durante o inverno.


Grupo de oração

Amanhã ocorre o encontro mensal do grupo de oração Nhá Chica. Será às 19h no Salão Paroquial da Catedral Boa Viagem (Rua Sergipe, 175, Bairro Funcionários). Ao final, serão distribuídas relíquias da Beata Nhá Chica. Mais informações com o coordenador
Márcio Barros pelo telefone (31) 99941-9389.


Publicidade