Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Psicologia positiva

Sofrimento como sinal de alerta

Tente arrumar novas maneiras de lidar com o que hoje é desafio, problema. Não se entregue ao sofá%u201D


07/03/2021 04:00


As pessoas se acostumaram a reclamar da vida e de seus sofrimentos. 

Eu pergunto: será que existe alguém imune ao sofrimento?. Duvido que alguém passou por esta existência sem sofrer. Sempre achamos a grama do vizinho melhor do que a nossa. Mas será que não houve muito trabalho, adubo, cuidado para que aquela grama ficasse linda?
 
 
 
A vida é exatamente assim. Achamos lindo o que outro tem, mas será que ele também não sofre? 

Todos sofremos de alguma forma. Não existe outra possibilidade de crescimento, até o bebê sofre de fome e chora, de calor ou frio e chora. Então, é natural sofrer, bem como reclamar. Somos humanos e precisamos apenas nos permitir SER HUMANOS e sentir.

Mas para além de sentir e reclamar, que tal acolher seu sentimento de sofrimento como um SINALIZADOR – algo não vai bem. Este caminho não está bom. Você pode mudar sua vida. A medicina tem provado, através da neurociência, que podemos mudar. Nosso cérebro é flexível e plástico. Ele muda com mais facilidade do que imaginamos e principalmente diante de desafios. Essa hora, alguns usam sua mente de forma “divergente”, divergem do convencional e colocam em ação alguma ideia diferente do normal, mas que funciona e muda o mundo.

Assim foi a invenção da roda, da faca, do fogo, da luz elétrica, da geladeira, do sorvete, do telefone, da internet e das vacinas que estão chegando aí!

Por isso, ao reclamar de um sofrimento, procure parar e pensar o que ele está sinalizando. Um caminho que não está sendo o melhor, mas que você pode mudar. Requer esforço, mas é com você. Sentar o bumbum no sofá e só continuar a reclamar ou tomar uma atitude diante do problema ou mudar de rota, de vida, de emprego, de casamento ou o que for. 

Não estou dizendo para você desistir de algo, lute em primeiro lugar para fazer o melhor. Tente arrumar novas maneiras de lidar com o que hoje é desafio, problema. Não se entregue ao sofá. Mas caso você perceba que esse não é o melhor caminho, não hesite, mude logo. Melhor errar rápido e mudar logo do que passar sua vida reclamando.

Nosso cérebro é flexível e tem a capacidade de adaptação e aprendizado tão grande que você pode mudar até mesmo de profissão, país, vida e será adaptável se estiver bem e confortável com suas escolhas novas.

Agora, fica uma advertência: para uma grama bonita crescer, precisa de esforço, cuidado e muito adubo. O que desejo é que você entenda que esforço com prazer se tornam veículos de mudança. Uma abertura à felicidade. Sem esforço, nada sairá de graça!

Mas ficar deitado falando que a vida é difícil é fácil hoje, mas e em 15 anos, será? Será que você será feliz? Será que terá amigos? As pessoas se cansam com facilidade de pessoas paradas, mal-humoradas ou “reclamonas”. No entanto, vemos que pessoas com alegria, que se esforçam e trabalham com prazer se agrupam e se tornam um companheiro de jornada de outro. Que parcerias se fazem e o cooperativismo da nossa espécie atua com segurança trazendo o aconchego das amizades, o apoio das famílias e o desejo de uma vida mais feliz. 

Ter sofrimento é natural. Reclamar é natural. O que precisamos é acolher nossos sentimentos negativos e entender o que eles querem nos dizer. Será que esse é um bom caminho? Onde estou fazendo de forma inadequada? Mude logo e seja mais feliz.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade