Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Setembro Amarelo - um alerta ao suicídio

''É preciso ter uma visão melhor do tratamento da doença. Encarando-a, dando muito apoio e sem preconceitos. Afinal, esta doença não é frescura''


postado em 22/09/2019 04:00 / atualizado em 22/09/2019 08:52



Não é fácil ajudar quem está por um fio. Mas é possível salvar vidas. Juntos, podemos mudar o destino de uma pessoa sob o risco de suicídio. Incentive a busca pelo diálogo, informação e orientação de ajuda. Seja você alguém que fará a diferença na vida de uma pessoa deprimida.

Esse mal terrível, a depressão, tem como a pior parte não conseguirmos prever o suicídio. Apesar de a maioria dos que se suicidaram terem tentado antes ou falado que iam se suicidar. Mesmo assim, nos pegam de surpresa num piscar de olhos. Há culpados? Claro que não. A depressão tem suas nuances complicadas. Uma delas é a vertente daqueles que querem suicidar, que nem sempre contam o verdadeiro momento do desespero. Infelizmente, em algumas dessas vezes, não conseguimos segurar.
 
E se você se sente culpado por ter um parente próximo que se matou, por favor, se permita ser humano. Não se consegue salvar todos que já avisaram. Essa é a maior calamidade. E, algumas vezes, nem se consegue prever ou estar por perto. A coisa ocorre quando o nosso olhar se desvia. E o paciente deprimido, num ato impulsivo, se mata.
 
Como ajudar? Ser parceiro, amigo e confidente. Um ombro para apoiar. Colocar em tratamento psiquiátrico, ajudar a tomar as medicações de acordo com as prescrições, isso é imprescindível. Ter alguém por perto como amparo e cuidador. O auxílio da psicoterapia ou de uma palavra amiga.
Ninguém se suicida por prazer, mas por desespero, por falta de alternativas.
 
Quem sofre vai se esquivar de tomar os medicamentos como deveria e pode até se automedicar como forma de extermínio, pois prefere sumir do que sofrer aquilo que vem sofrendo. Ficar por perto, acolher no aconchego. A melhora pode vir devagar. Ainda teremos as pessoas resistentes aos tratamentos médicos. Haverá necessidade de muito carinho, informação, contenção.
 
É preciso ter uma visão melhor do tratamento da doença. Encarando-a, dando muito apoio e sem preconceitos. Afinal, essa doença não é frescura. Tem grande parte de suas raízes nos componentes genéticos. Portanto, quem sofre é apenas mais um entre muitos dos seus familiares a ter o mal.
E, infelizmente, a depressão vem avançando em número de pessoas atingidas pelo desgaste da vida diária, pela correria e pelo excesso de atividades. Esgotamento também provoca o mal.
 
O jeito é encarar sem medo de dizer “eu tenho depressão e preciso de ajuda”. Hoje, ainda não temos a cura da doença depressão. Mas temos medicamentos melhores, terapias mais eficazes e tratamentos auxiliares, que podem melhorar a qualidade de vida de quem padece dessa doença terrível. Ioga e meditação têm sido de grande ajuda. Além dos exercícios físicos, alimentação saudável, sono regular e relacionamentos saudáveis.
 
O que podemos fazer com a psicologia positiva? Ajudar que essa pessoa deprimida encontre algo que ela se engaje. Que ela se sinta bem fazendo. Descobrir um significado para viver. O que realmente pode acender uma chama de vida? Ou ainda, descobrir um animalzinho de estimação para cuidar, ser voluntário de uma boa causa ou descobrir novas habilidades, como desenhar, escrever, pintar...
 
Mas quando em crise, o melhor é o aconchego. Estar sempre junto e com amor. Cuidar com um zelo especial, ajudar a tomar as medicações nas horas certas, brincar. Sempre será o amor o melhor elo com a vida. Precisamos fazer o nosso paciente, parente se sentir amado e querido. Com o tempo, alguma medicação fará o efeito desejado, enquanto isso, seu amor será o remédio necessário. Não despreze uma pessoa triste ao seu lado. Dê o que ela pede: colo!
 
E, mesmo assim, para você que já teve um parente que se suicidou, lembre-se que é uma doença, não foi porque ela quis tirar a própria vida. Ela não deu conta de ficar nessa vida. E você é que precisa de um colo com uma visão mais otimista. Para ela, aquele momento foi de alívio. Aceitar será o bálsamo à sua dor. Por amor, guarde o bom e belo da vida em comum de vocês com muito carinho. E, em honra a ela, viva a vida o melhor que puder...
 
 
Pílulas de felicidade para quem for cuidar de alguém deprimido

Ser um bom ouvinte do paciente 
depressivo é essencial

Dar toda atenção à dor, medos e 
ansiedade dessa pessoa

Não julgar nem criticar

Demonstrar empatia e que 
está disponível para ajudar

Não fazer comentários tipo 
anime-se!, vai correr tudo bem. 

Apenas esteja ao lado 
da dor e dê conforto

Não hesitar em conversar sobre a vontade de morrer, um desabafo pode ajudar muito

Estabelecer a confiança da pessoa 
em você. Assim, ela pode pedir 
ajuda nessas horas difíceis

Procurar um profissional 
da saúde para ajudar no tratamento 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade