Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Análise do ciclo de vida dos produtos e permanência de empresas no mercado

Com as mudanças do perfil e comportamentos dos clientes, as empresas precisam fazer constantes estudos sobre o desenvolvimento dos seus produtos


24/10/2021 06:00

Empresas e seus produtos
Como está a curva de ciclo de vida dos seus produtos? (foto: Pexels)

O cenário do mercado atual aponta para a necessidade de inovação constante pelas empresas de todos os seus processos de marketing. As relações com os clientes estão a exigir novas posturas de relacionamentos, a comunicação demanda novo linguajar, utilização de todas as mídias disponíveis, e a logística de distribuição passa a ser elemento chave na satisfação dos clientes.

A oferta de produtos se torna um desafio cada vez maior, porque as inovações estão abertas para todos, e os clientes querem ter acesso fácil a tudo. Estão dispostos a mudar de fornecedores, se os atuais não atenderem aos seus novos desejos.

As inovações das estratégias, táticas e operações de marketing estão exigindo novas e inesperadas competências dos profissionais da área. E não dá tempo para pensar muito. As decisões de mercado precisam ser tomadas cada vez em menor tempo, pois qualquer hesitação pode levar as empresas a perderem fatias significativas de mercado.

Nesta realidade, é fundamental que todas as metodologias de marketing disponíveis sejam utilizadas, pois, associadas aos recursos digitais para gestão, tendem a aumentar a competência mercadológica das empresas.

Metodologias, tais como a análise do ciclo de vida dos produtos, vêm se mostrando ainda mais importantes, porque dão uma visão mais detalhada da situação em que se encontra cada um dos produtos ou serviços oferecidos pelas empresas, bem como o seu posicionamento de mercado, em níveis de detalhes.

Diversas organizações não dão a devida atenção ao posicionamento de seu portfólio de produtos. Acontece, em muitos casos, um nivelamento de atenção e investimentos para produtos que geram resultados completamente diferentes, sendo que alguns geram alta receita, e outros são geradores de receita bem menores, ou até geram prejuízo, mas, por vezes, falta uma análise mais criteriosa para separá-los em categorias.

O ciclo de vida dos produtos permite ao marketing saber exatamente qual o desempenho dos seus produtos e em que fase eles se encontram, podendo, assim, dar tratamentos específicos a eles.

Todos os produtos devem ser claramente definidos e alocados em uma das fases do ciclo, que podem ser a de desenvolvimento, de introdução, de crescimento, maturidade ou decadência.

Muitas empresas já praticam o ciclo de vida dos produtos e têm os seus produtos colocados e direcionados para as fases a que pertencem, de acordo com a sua situação de mercado. Elas podem ter um produto sendo desenvolvido, um ou mais, na fase de introdução, outros na fase de crescimento, maturidade, e em muitos casos na fase de decadência. A partir do momento que o marketing faz esta distribuição, a empresa passa a saber melhor onde investir mais, que produtos estão gerando maior ou menor lucratividade, como ela deverá decidir sobre o futuro deles, definindo ações específicas, ou até retirando do mercado.

Ter muitos produtos na fase de maturidade é bastante interessante, pois é nesta fase que eles se mostram mais conhecidos pelo seu público-alvo, geram custos bem menores para serem vendidos e entregues. Os clientes já estão acostumados a comprá-los, a logística se torna mais fácil, com uma distribuição já aperfeiçoada, e, ainda, com menor exigência de gastos com comunicação e esforços de vendas.

Com a gestão utilizando a curva do ciclo de vida dos produtos, os gerentes de produtos e de linha de produtos têm um apoio muito grande para fazer as correções de rotas na sua gestão, ou mesmo conseguir maior apoio para aproveitar oportunidades de mercado que sejam identificadas.

Um grande desafio apresentado através da metodologia da chamada CVP (ciclo de vida dos produtos) é quando se identifica que há produtos em fase de decadência. A decisão a ser tomada normalmente não é fácil, visto que será necessário um estudo particularizado, para saber se vale a pena inovar ou renovar e mantê-lo por mais tempo para o mesmo público, ou se isso pode ser efetuado, mas com o direcionamento para outro segmento de clientes da empresa. O mais polêmico é a decisão sobre a retirada definitiva, ou não, do produto do mercado.

Uma metodologia semelhante à CVP é a chamada Categorias de adotantes de produtos, em que um raciocínio semelhante é utilizado, porém, apenas no que concerne aos perfis de clientes, seus comportamentos de compras e as ações de marketing que as empresas devem adotar para cada grupo de clientes identificados. As fases são: os clientes inovadores, os clientes primeiros adeptos, a maioria inicial e tardia, e os clientes retardatários.

O marketing deve considerar cada um desses perfis de clientes quando vai definir as estratégias para os seus produtos, fazendo a devida associação entre as fases desses produtos com as fases em que se encontram os seus clientes.

A facilidade de obtenção dessas informações estratégicas torna as organizações mais bem preparadas para adotar ações de marketing mais robustas, alongando assim o seu tempo de existência no mercado.

Como está a curva de ciclo de vida dos seus produtos, e como está o domínio das informações sobre as categorias de seus clientes? Essas respostas são imprescindíveis!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade