Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MARKETING E NEGÓCIOS

O que que as empresas atuais devem fazer para terem sucesso no seu segmento

Nada mais positivo para as organizações quando estas possuem objetivos bem definidos, equipes alinhadas, ferramentas e sistemas de última geração. Mas, a chave é mesmo a gestão


27/09/2020 06:00

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

No mundo empresarial não há nada o que substitua a gestão eficaz. Empresas podem atingir altos resultados, alçar voos incríveis, e até fortalecer o seu nome no mercado por algum tempo, mas, nada, substitui uma gestão moderna, de visão holística e de trabalho altamente cooperado.

Agora que os negócios acontecem em escala global, e isto já ocorre de uma maneira bastante ampla, atingindo a maioria dos setores econômicos, já não se considera mais a força bruta, pois, o pensamento gerencial assume o seu lugar, assim como a nova dinâmica de decisões e aproveitamento de oportunidades suprime quase que totalmente as empresas que viviam de sua notoriedade.

Muitas empresas apostaram cegamente em tecnologia, sem darem conta de que tecnologia, necessariamente não resolve muita coisa, se não for acompanhada de inovação. O que fortalece as organizações e segmentos de mercado são as inovações, que são possíveis através da tecnologia disponível. 

Inovação é aquilo que efetivamente provoca mudanças no mercado. Quando os desejos das pessoas são melhor atendidos, isto ocorre, normalmente, por causa da oferta de produtos inovadores, ou seja, aqueles que tornam a vida mais fácil, oferecem soluções mais intuitivas, e geram aquilo o que todos os clientes desejam profundamente, ou seja, a conveniência em sua vida.

Empresas dão muitos passos em falso. Elas ainda creem em metodologias já ultrapassadas, em sistemas de relacionamentos que já não garantem a melhor forma de produtividade e ainda se deixam possuir por métodos e sistemas burocráticos. A visão de curto prazo ainda detém a mente de uma boa parte dos executivos. A ânsia de resultados rápidos e com o menor investimento podem levar a caminhos escabrosos. 

O relacionamento interno ainda é um dos grandes responsáveis pelas dificuldades. Torna-se cada vez mais necessário a prática de processo de cooperação para derrubar as barreiras do desempenho. É necessário obter cada vez mais e melhor, a eficácia da colaboração entre pessoas de diferentes áreas de atuação dentro da organização.
A comunicação entre os departamentos, divisões, setores e especificamente entre as pessoas se torna questão determinante para se atingir melhores resultados internos. Este mesmo processo também deve ocorrer provocando uma comunicação e um entrelaçamento positivo entre as empresas, inclusive aquelas concorrentes. 

Tudo deve ser executado em função de objetivos maiores, pois, isto facilita o processo de aplicação das mais modernas metodologias de atuação, que por conseguinte permitem a aquisição e utilização de equipamentos mais modernos e adaptados às demandas da empresa. 
A utilização de hardwares e softwares em razão de uma visão estratégica bem definida pela direção (business intelligence), transformam a comunicação mais eficiente e eficaz, o que aumenta a produtividade, tem papel fundamental na redução de custos, e ainda, facilita o processo de gestão das demandas do mercado.
Muitos, ainda são resistentes a metodologias que colaboram no processo de melhoria de resultados reais, ou, aqueles que efetivamente levam a empresa a garantir e aumentar as suas fatias de mercado e até mesmo a penetrar em outros.

Garantirão um período de vida mais longo as organizações que forem sensíveis às mudanças constantes e inesperadas do mercado e estiverem ligadas e em consonância aos novos cenários que vão se transformando como nuvens no céu. Empresas atuais precisam conhecer e lidar com a inovação da ruptura.
Demonstrar eficiência somente, não leva nenhuma empresa a um processo de lucratividade. Perdas de oportunidades não devem acontecer, e isto somente é possível se todos estiverem envolvidos e preparados para assumir novas propostas, novos meios de produção e principalmente novas estratégias de domínio de mercado.

Um meio que eu recomendo de saber se a empresa está indo no caminho do futuro positivo é se auto avaliar o tempo todo. É questionar os seus próprios sistemas, suas próprias formas de ação junto ao mercado, sua capacidade de inovação dos produtos, dos meios de produção e a sua própria forma de gestão.
 
Muito me agrada ver nas empresas visões dinâmicas, ações flexíveis, modernidade nos modelos de atuação, visão de cooperação interna, provocada e praticada pela alta direção e investimentos constantes em inovação. Além disso, as organizações precisam ter humildade de gestão para reconhecer seus erros e rapidez para corrigi-los e fazer as mudanças necessárias.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade