Publicidade

Estado de Minas DA ARQUIBANCADA

Escolinha de Futebol GDI traz esperança para carentes

"Projetos como o da escolinha na Serra mostram que o esporte é alternativa para crianças sonharem, e isso transcende resultados, títulos e rivalidades"


16/06/2022 04:00

Escolinha de Futebol no Aglomerado da Serra
Crianças da Escolinha de Futebol GDI, um projeto de inclusão pelo esporte no Aglomerado da Serra (foto: Escolinha GDI/Divulgação)
Projeto Social no Aglomerado da Serra
 


Imagina se torcedor fosse um ser racional moldado na base da tecnologia de dados? Todo mundo iria ser Real Madrid. Mas o legal do futebol é que ele ultrapassa, e muito, as barreiras do bom senso – e que bom! Mais do que isso, a paixão pelo esporte pode salvar vidas, sem qualquer exagero. E não adianta você se iludir e achar que seu time é especial e que você é único, torcedor. Aliás, não adianta, mas entendo que mesmo assim você vai achar. Eu, por exemplo, munido de todo clubismo insensato que me atormenta, tenho a certeza de que o torcedor do América não é um ser comum. E não é mesmo!

Mas, claro, é preciso ponderar que há muitos casos parecidos, aqueles de torcedores que não deixaram seu clube em momentos vexatórios, nem optaram por ser mais um “ondinha”, nem escolheram na infância pular para um rival que ganhava títulos. E sabe por quê? O futebol é uma bela metáfora de como nos comportamos desde a infância, carregando nossas aspirações, frustrações, nos confrontando com a derrota, com a incapacidade, com a glória. Imagina então que você cresça em um ambiente mais complicado, com menos oportunidades e problemas sociais, e seja impedido de vivenciar essa magia?

Digo isso pois o ponto aqui é que o que o mundo da bola faz a gente transcender muito a questão das vitórias, dos títulos, dos jogos. O futebol, esporte mais popular do Brasil e do mundo, é mesmo capaz de transformar realidades e de mudar completamente a vida de crianças carentes, por exemplo. E poucos sabem e investem nisso, principalmente na área executiva de ponta, onde na maioria das vezes estão todos muito ocupados em expandir lucros e negócios. Mas tem muita gente fazendo a diferença.

Um exemplo que merece ser citado e que me comoveu é o apoio do Bruno da Matta Machado, da Tailor, a um projeto que traz esperança a crianças carentes do Aglomerado da Serra, a escolinha GDI. A iniciativa foi criada para tirar os pequenos dos becos e das más influências e levá-los à opção do esporte e cultura. Os próprios moradores idealizaram sem qualquer verba inicial e já estão recebendo incentivos da iniciativa privada. Agora, tento aqui fazer a minha parte colocando-os na mídia, com prazer.

“Quando a gente entra em iniciativas como esta, não quer nem falar do nosso negócio. Só de sentirmos que estamos, de alguma forma, impactando positivamente uma nova geração, sabemos que estamos fazendo o certo – e o mínimo ainda. O esporte é, sem dúvidas, um caminho. Eu penso que nós, como empresários empenhados em fazer a economia girar, precisamos devolver isso de alguma forma à sociedade, e essa tem sido uma das minhas formas de contribuir”, afirma Matta Machado.

Vaquinha do bem

A Escolinha precisa agora arrecadar uma quantia mínima para participação em um torneio que conta com a presença de todas as categorias, contemplando 85 crianças, que terão custos em transporte, alimentação e taxas de inscrição. Para ajudar nesta causa e manter o projeto vivo, é só acessar no Instagram o perfil @escolinha.gdi e conhecer todos critérios legais e sociais deste sério projeto. Mas porque estamos falando disso hoje, torcedor americano? Penso que, às vezes, temos que dar um tempo dos jogos. E, ainda, principalmente para não esquecermos que, antes de torcedor e apaixonado, podemos também ser agentes da mudança por meio do esporte. Quem tem o Coelho tatuado na alma e todos os outros torcedores de Minas devem estar juntos nessa. Vamos fazer a diferença.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade