Publicidade

Estado de Minas DA ARQUIBANCADA

Apesar da derrota, o América mostrou que será competitivo

Mesmo com revés na estreia diante do Athletico, é bom lembrar que há derrotas e derrotas. E o Brasileiro é um campeonato de paciência


01/06/2021 04:00 - atualizado 02/06/2021 18:37

O Coelho deixou escapar um adequado empate no fim contra o Furacão, mas tem tempo para se recuperar na competição(foto: ESTEVÃO GERMANO/AMÉRICA)
O Coelho deixou escapar um adequado empate no fim contra o Furacão, mas tem tempo para se recuperar na competição (foto: ESTEVÃO GERMANO/AMÉRICA)


“É uma longa caminhada. O torneio começa agora e já temos de estar de olho no Corinthians. Certamente, eles virão com tudo, ainda mordidos pela eliminação da Copa do Brasil”

É fato que “meio” gol no final de qualquer jogo gera derrota com os mesmos três pontos perdidos de quando se toma uma goleada. Só que é preciso, muitas vezes, pontuar os pingos nos “is”, com certa justiça.

O América mostrou, apesar de ter deixado escapar um adequado empate no final, que é um time combativo. Tanto que representou, além de certo perigo, uma pedrinha bem incômoda no sapato deste Athletico (PR) que tanto goleou gigantes na Baixada, em vitórias esmagadoras.

“Ah, mas vai justificar a derrota?”. O ponto não é este. Há derrotas e derrotas. E o Brasileiro é um campeonato de paciência, um jogo de xadrez que, nem sempre, pode se medir pela pontuação ou resultado do momento.

Embora o sabor da perda seja sempre amarguinho e indigesto, é preciso mostrar que não foi de todo ruim. O pior mesmo foi não poder sofrer na telinha, em mais uma lambança contratual daquelas com cara de Brasil.

Nada mais tenso do que ficar à mercê daquela bolinha que sobe para palpitar seu coração e te avisar do gol (contrário) no jogo do seu time, que não está passando.

Mas, voltando... É preciso olhar para outros resultados atípicos, como a derrota do temido Galo no Mineirão para o Fortaleza e a do Corinthians em Itaquera para o Atlético-GO.

A própria Chapecoense, que nos tirou o título da Série B na mão grande, começou tomando uma truncada de três em casa para o mediano e discreto Bragantino. Por isso, tomarei a liberdade de dizer que o começo do América não foi desastroso – e, muito menos, desanimador.

É uma longa caminhada. O torneio começa agora e já temos de estar de olho no Corinthians, no próximo domingo. Certamente, eles virão com tudo, ainda mordidos pela eliminação da Copa do Brasil passada.
A respeito deste torneio, que é bem mais emocionante (mata-mata!), a cabeça deve estar no lugar, pois quarta-feira agora já tem Criciúma no primeiro dos dois jogos decisivos. E o melhor? O torcedor americano se acostumou em passar de fases na Copa do Brasil. Que xodó.

Energias mil para que um bom resultado no Independência traga bons ares para a semana e a sequência justa que o Coelhão merece neste Brasileirão. O time que não quer cair tem de suportar quedas menores, mas nunca se esquecer de que a reação deve estar logo “ali”.

Faltam 37 rodadas e é melhor dar sorte na última do que na primeira, não acham? Avante, nação americana!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade