Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Bolsonaro, o mentiroso, é desmentido e ridicularizado mais uma vez; leia

Outro vexame mundial protagonizado pelo pinóquio-mor e sua gente, que não difere sonho de realidade


13/12/2021 13:36 - atualizado 13/12/2021 14:34

Jair Bolsonaro
(foto: Isaac Nóbrega/PR )
A revista americana Time é uma das mais prestigiadas publicações do mundo. Em uma época de forte declínio da imprensa, sobretudo das chamadas mídias impressas, diante de uma concorrência sem precedentes pela atenção do leitor (redes sociais, streamings, etc), existir, ou melhor sobreviver, tem sido cada vez mais difícil para as empresas do setor.
 

Anualmente, desde 1927, a revista promove uma lista com as 100 maiores personalidades do mundo (a cada ano), e em seguida elege a 'pessoa do ano', por suas extremas qualidades ou extremos defeitos, desde que tenha impactado, positivamente ou negativamente, o planeta durante o período de 365 dias anterior à eleição.

Engajamento virtual


Em tempos de internet onipresente e busca cada vez maior pelo tal 'engajamento', a revista abriu a votação ao público, o que significa, na prática, nada. Qualquer um poderia se cadastrar no site da Time e votar em seu candidato preferido. Com ampla divulgação em suas redes, qualquer personalidade influente poderia ser muito votada.

Jair Bolsonaro, o verdugo do Planalto, como sabemos, não trabalha e não governa. Passa os dias criando crises e brigas artificiais, extremamente danosas e prejudiciais ao País, a fim de dar milho ao bode; no caso, ração ao gado. Não é à toa o real ser uma das moedas mais desvalorizadas do Planeta e, consequentemente, termos uma das maiores inflações. 

Mentiras em série


O amigão do Queiroz também é mestre em mentir e criar factóides a seu favor. Dias atrás, estimulou seus bate-paus virtuais a votarem nele na eleição da Time. Uma turba à toa invadiu o site da revista e 'elegeu' Bolsonaro a Pessoa do Ano. Só que não! Era tudo mentira - outra! - do devoto da cloroquina, facilmente aceita pelos idiotas idólatras.
 
A votação do público, como eu disse, na prática, não vale nada. E ainda que valesse, o maníaco do tratamento precoce poderia, sim, ser eleito a Personalidade do Ano, como já foi Lenin, Fidel e outras 'merdas' equivalentes. Mas o bilontra logo espalhou por suas redes de esgoto, digo de internet, que era o novo 'homem do ano' da Time, coitado.

QI de ameba


Como sua seita possui QI e moral equivalentes, acreditou de pronto e festejou, como se fosse Copa do Mundo, o reconhecimento internacional do 'mito' - algo que a imprensa comunista, falida, petista, blá, blá, blá, local se recusa a fazer. São tão burros e cretinos os bolsolóides, que realmente imaginaram ser possível um asno assim ser o Homem do Ano.

A Time elege quem ela quer, e não quem o público quer. Mesmo se os idiotas que votaram no psicopata-homicida-ignorante fossem americanos e leitores/assinantes da revista, não teriam tanto poder. Sendo apenas zumbis idólatras de uma besta sulamericana antivacina qualquer, barrado até em pizzaria de rua de NY, muito menos.

Elon Musk

A Personalidade do Ano da Time, em 2021, é ninguém menos que o genial - e pra lá de controverso! - Elon Musk, o dono da Tesla, e uma das mentes mais brilhantes da atualidade. Jair Bolsonaro, o marido da receptora de 90 mil reais em cheques de milicianos, só consegue ser Personalidade da Bolsolândia, e olhe lá. Em breve, nem isso mais.

O que muda nas nossas vidas e no mundo a eleição de Musk pela Time? Nada. Como não mudaria se fosse o patriarca do clã das rachadinhas. Essa história toda apenas reforça o que são Bolsonaro e seus seguidores. Pessoalmente, se eu fosse um deles, pediria para ir ao banheiro e não voltaria mais. Que vergonha, meu Deus!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade