Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

'Fuja do país', recado de Arthur Lira ao capital estrangeiro, que obedeceu

Presidente do Congresso é covarde, conivente com o crime e cúmplice de Bolsonaro


08/09/2021 19:15 - atualizado 08/09/2021 19:25

Arthur Lira dá de ombros para a democracia e acena com o sinal verde para Bolsonaro
Arthur Lira dá de ombros para a democracia e acena com o sinal verde para Bolsonaro (foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputado)
O Brasil é o país dentre as maiores economias do mundo que apresenta o pior resultado econômico durante a pandemia. Bem como o real, a moeda que mais de desvalorizou. 

Nossa economia não se recupera; o desemprego atinge níveis recordes, com mais de 15 milhões de pais e mães de família sem ocupação e renda; a inflação explodiu, sobretudo a de alimentos e de combustíveis , e a fome voltou a assombrar 40% da nossa população. 

Tanto desastre assim conta com nome e sobrenome como culpado: Jair Bolsonaro. E também, sejamos justos, alguns sócios, como o próprio coronavírus e um certo Arthur Lira. O trio conduz o Brasil para o “infinito e além” do fundo do poço. 

A única autoridade com poder e influência política que se acovardou diante da pregação golpista criminosa de 7 de setembro foi Lira. Aliás, não se acovardou, não. Simplesmente se omitiu. Até porque, sabemos todos, Bolsonaro, como pato manco, só lhe traz mais alguns bilhões de reais. 


A quarta-feira de cinzas, após o incêndio bolsonarista, apresentou o cartão de visitas do que está por vir: o dólar disparou para R$ 5,30 e a bolsa caiu mais 4%. Eis o resultado do ataque fascista de ontem e do endosso velado do presidente do Congresso Nacional. 

Assim, Arthur Lira dá de ombros para a democracia, acena com o sinal verde para Bolsonaro continuar com suas arruaças e manda o seguinte recado aos investidores estrangeiros: “go away”! Caiam fora! E eles entenderam. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade