Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Em nova arruaça institucional, Bolsonaro atira devotos contra o Supremo

'Convido qualquer dos ministros do STF a ocupar o carro de som e falar com o povo brasileiro', disse o delinquente


29/08/2021 08:47 - atualizado 29/08/2021 09:06

(foto: EVARISTO SA / AFP)
(foto: EVARISTO SA / AFP)
Jair Bolsonaro, o delinquente em exercício presidencial, voltou a atacar o judiciário, notadamente o Supremo Tribunal Federal, e desafiou 'qualquer um dos 11 ministros a subir em um carro de som e falar com o povo'.

Bem, lugar de juiz é na corte, julgando, e não nas ruas, fazendo comício eleitoral. E além do mais, juízes não 'compram' corações e mentes com populismo, promessas, bravatas e assistencialismo. Não têm orçamento secreto.

No Brasil, e em qualquer país democrático do mundo, juízes de direito não são amados; ainda bem! Quando muito, são admirados e respeitados, por mais ou menos gente, conforme suas atribuições e atuações.

POPULISMO VAGABUNDO


Mas o golpista Bolsonaro sabe disso. Aliás, também lhe faço um desafio: que saia às ruas em uma cidade grande, como São Paulo, por exemplo, sem sua claque ao redor. Saia, aleatoriamente, sem público escolhido nem local definido.

Ou melhor: desafio Bolsonaro a subir em um carro de som, defronte ao sindicato dos metalúrgicos do ABC. Que tal? Topa? Vá lá, valentão de araque! Vamos ver se é tão macho assim ou se sua popularidade é como você imagina. Se é que imagina.

Populistas vagabundos como o amigão do Queiroz são useiros e vezeiros na arte da empulhação retórica. Confundem e misturam 'alhos com bugalhos' propositalmente, pois conhecem o público que têm. Basta mostrar a cenoura que o jegue corre atrás.

URNA NÃO É TRIBUNAL

Lula da Silva, o meliante de São Bernardo - outro populista asqueroso! - insistia em ligar sua popularidade à sua pretensa inocência. Antes de ser condenado e preso, vivia dizendo que queria ser julgado pelo povo, nas urnas.

Ocorre que local de julgamento de bandido é o fórum mais próximo, e não uma zona eleitoral. Até porque, se assim fosse, não haveria tanto pilantra espalhado nas casas legislativas Brasil afora, seja nos municípios, estados ou Distrito Federal.

Jair Bolsonaro, o verdugo do Planalto, ao desafiar os ministros a se portarem como políticos, apenas atira a isca correta para os peixes bocós: 'isso mesmo, vamos ver quem pode sair às ruas; se o nosso mito ou os ditadores do STF'.

MINISTROS FALAM NOS AUTOS

Seria essa a resposta adequada e correta ao pai do senador das rachadinhas e da mansão de 14 milhões de reais, comprada por apenas 6 milhões, ou seja, juiz não sobe em carro de som para discursar, porque só se manifesta no processo.

Porém, a velha máxima, infelizmente, se perdeu com o passar dos anos. Ministros com vocação para estrela de novela - Gilmar Mendes é o expoente máximo! -, após o início das transmissões das sessões plenárias se esqueceram do decoro.

Aliás, justiça seja feita, Joaquim Barbosa foi o precursor da onda. E Marco Aurélio Mello, recém aposentado, foi outro que passou a se comportar como fofoqueiro de botequim. Atualmente, além de Gilmar Mendes, temos o ministro Barroso.

OBJETIVO É ESTIMULAR O ÓDIO

Parte da nossa Justiça, por si só, já nos enche de ira e revolta. É cara, ou melhor, caríssima, lenta e, por vezes, injusta. Além de corrupta e leniente com o crime. E alguns ministros, com decisões políticas e ideológicas, só pioram o quadro.

Ocorre que, se é ruim com ela, pior seria sem ela! É a Justiça que, ainda que a duras penas, regula, amparada nas leis, o ímpeto selvagem de gente como Jair Bolsonaro e seus fanáticos. Por isso essa turma imunda investe, furiosa, contra. 

O devoto da cloroquina, então, é o campeão de ataques. Mas não só ele, haja vista o deputado troglodita (Daniel sei lá do que), o decrépito mensaleiro, Roberto Jefferson, e os bolsokids. São os mais proeminentes e notórios líderes do ódio à Justiça.

FINALIZANDO

E que não me venham com o papinho furado de que o alvo é só o STF, pois não é e nem nunca foi. É o Poder Judiciário como um todo! É o TSE, a CGU, o TCU, o MPF e quaisquer outros órgãos que atrapalhem os planos dos golpistas e corruptos.

Assim como não se trata de 'um problema com um ministro', no caso o Alexandre de Moraes, como declarou o maníaco do tratamento precoce dias atrás. Basta ver o que ele fala do ministro Barroso e o que falava do ex-ministro Celso de Mello.

Aliás, antes de abraçar e beijar Dias Toffoli, e de comer pizza com Gilmar Mendes, o psicopata homicida também descia a borduna nos dois, acusando-os de agentes do petismo contra a Lava Jato - e não deixava de ter uma certa razão, hehe. 

Bolsonaro é um ditador nato. E como todo maldito ditador não aceita outros Poderes independentes; ou os aparelha, ou os corrompe ou simplesmente os fecha, se reunir condições, é claro. Por isso, não esperem que ele cesse os ataques. Ao contrário. Irá esticar cada vez mais a corda, torcendo para que estoure logo. Se possível, antes da eleição que irá perder em 2022 - o seu caminho mais rápido para a cadeia.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade